Compartilhar:

Blog Mulambeiros comenta a vitória do Flamengo diante do Cruzeiro e faz pequena análise dos outros jogos da primeira rodada do Brasileirão

 

Ricardo Martins


 

Tivemos nesse fim de semana o início da maior competição da América Latina. O Campeonato Brasileiro, a meu ver, premia todo o investimento técnico e financeiro dos clubes. Ou seja, a conquista de um campeonato desse porte não se dá apenas pelo fato de um time ter mais dinheiro, mas sim de como é a aplicação desses recursos.

O Flamengo de 2019 tem características distintas de temporadas anteriores. Nem me lembro de quando começamos uma ano com um elenco minimamente preparado. Hoje temos um time competitivo desde o primeiro jogo. Isso não significa que dispensamos reforços. Nem vou falar aonde estão nossos elos mais fracos, pois, polêmicas à parte, todos sabem quais são.

A cada semana farei uma síntese das rodadas, com ênfase, obviamente, do comportamento da seleção rubro-negra. Mas antes de focarmos no que aconteceu na primeira rodada, eu quero abrir o meu coração em relação a alguns temas que afligem a Magnética.
 

ABEL BRAGA

Confesso que Abel não era o meu técnico dos sonhos. Também sei que ele é muito questionado por parte significativa de nossa Torcida. Sabemos que o treinador esperado pela diretoria do Flamengo era Renato Gaúcho. E aí, creio eu, que por falta de opções de grandes nomes no futebol brasileiro, a contratação de Abel veio como receio a perde-lo e ficar sem referências nacionais para comandar o Flamengo.

Leia também:
Sobre dúvidas e certezas
Pé na Estrada
O Hepta começa hoje
Vem Afobado, Não. Vem Tranquilo.
Metas para o hepta: Flamengo campeão brasileiro 2019
Brasileirão 2019 – Análise sem clubismo feita pelo Matuto

Eu vinha me pronunciando timidamente, pois me policio para não julgar o trabalho de Abel Braga baseado na tragédia de 2004 contra o Santo André no Maracanã. E é isso que peço aos colegas. Vamos aguardar o resultado do trabalho do treinador. Técnico de futebol se sustenta com resultados, com vitórias e títulos.

Competições como a Libertadores da América e a Copa do Brasil podem ser frustradas em um dia ruim. Considero a Libertadores a competição mais imprevisível do mundo. Jogar na altitude, por exemplo, nos faz assistir a um outro tipo de esporte aonde tudo pode acontecer.

Até alguns anos atrás os brasileiros menosprezavam as competições sul-americanas. Isso proporcionou uma hegemonia argentina na Taça Libertadores da América. Mudou muito. E creio que até mudou para melhor. Só uma coisa não mudou, quem vence a Libertadores não precisa ser o melhor time, mas tem que ter vontade de avançar para chegar na final, que agora será disputada em apenas uma partida.

Para concluir, temporariamente, o caso Abel Braga, eu ouso afirmar que, ao contrário do que afirmam seus maiores críticos, ele arruma gradativamente o time do Flamengo. Não quero polemizar, tampouco vou defendê-lo tacitamente, mas considero que mudar de treinador a essa altura do campeonato não nos garantiria melhores resultados.
 

FOI DADA A LARGADA! A PRIMEIRA RODADA DO BRASILEIRÃO

 

FLAMENGO 3X1 CRUZEIRO

Eu alimentava sentimentos difusos em relação a estreia do Flamengo. Boa parte da imprensa esportiva apontava o empate como um resultado natural. E acho que alguns rubro-negros compraram essa ideia ao invés de comprar ingresso para o jogo. Tudo bem, olha o horário da partida! Sábado? 21 horas? No Rio de Janeiro? Há mais o que fazer… Mesmo assim, Flamengo e Cruzeiro tiveram o maior público da rodada.

bruno-henrique-flamengo-cruzeiro

E tivemos dois jogos distintos. Assisti parte do primeiro tempo com a Fla Gerais em Belo Horizonte. Saí irritado do local, por causa de uma torcedora do Cruzeiro que estava com um fone ouvindo a partida no rádio, e antecipava os lances. Eu me despedi dela e fui embora cuspindo marimbondo. Nem vi o gol de empate do Flamengo, só ouvi os gritos dos rubro-negros. De imediato pensei “Flamengo ganhará por 3×1!”, algo que me remetia a uma das primeira partidas que vi contra o mesmo adversário no Maracanã.

Acreditem. Fui assistir o jogo no computador com fones de ouvido. Justamente para não ouvir o ambiente externo. Fui premiado com uma grande atuação do time no segundo tempo. Óbvio que fiquei muito feliz, mas quero fazer algumas considerações. Eu tinha visto outras partidas do Cruzeiro na temporada. A rigor, só o Atlético Mineiro fora um adversário de maior dificuldade. Porém, isso não diminui em nada a qualidade do Cruzeiro.

A campanha do Cruzeiro na Libertadores é 100%, fato. Mas eu não vi futebol decente em nenhum dos times da chave celeste. A força do Cruzeiro é grande no goleiro, no Fred e nesse menino que me impressionou, o Pedro Rocha. Dedé é um grande zagueiro, mais reiteradamente falha em bolas baixas. Pelo alto é monstro e um grande animal na imprudência, e não me refiro apenas ao lance com Rodrigo Caio. Fico feliz dele não ter vindo para o Flamengo, que pode e deve investir em um zagueiro como Fabian Balbuena.

O Flamengo jogou melhor e mereceu a vitória. Todavia, a queda física do Cruzeiro contribuiu para o domínio absoluto rubro-negro no segundo tempo. Nossa equipe demonstrou força e qualidade. Rodrigo Caio, Arão, Everton Ribeiro tiveram atuações impecáveis. Cuéllar mais uma vez impressionou pelo senso de posicionamento, marcação e consequentes roubadas de bolas. Quanto a Gabriel, o Gabigol, eu só percebi o que foi a sua atuação após o jogo. Gabriel participa do segundo e terceiro gol de forma decisiva. Aguardemos. Seu posicionamento em campo não é novidade. Ele é um baita atacante, com bom domínio e movimentação.

Já Bruno Henrique, sinceramente? Quem imaginava que ele jogaria esse grande futebol? Fazia tempo que eu não via alguém usar o Manto Sagrado sem sentir o peso dessa camisa. Um condicionamento físico invejável. Até aqui sua contratação deve ser a de retorno mais rápido. Foi o melhor jogador da partida, na minha opinião.

E que linda a homenagem de jogadores e Torcida ao Juan. Todos respeitam a carreira exemplar do Juan. Emocionante. Obrigado Juan! Que você continue irradiando essa simplicidade em sua nova etapa de vida. Se quiser tem vaga no time de campo da Fla BH. Você escolhe camisa e posição em campo!

juan zagueiro flamengo despedida

Que estreia! Foi ótima para aqueles que diziam que perderíamos as três primeiras partidas. Falando nisso, pedreira na próxima quarta-feira, Internacional no Sul do País. Em outros tempos eu me contentaria com um empate, mas já prevendo insucessos. Dá para acreditar em um resultado positivo. Vamos Flamengo!
 

DEMAIS JOGOS DA RODADA

 

São Paulo 2×0 Botafogo

O treinador do São Paulo é bom. Mas penará um tempo para organizar um elenco de qualidade em formação. Talvez por isso tenha jogado fechadinho contra o limitado Botafogo, que não sabia o que fazer em campo. Placar justo. Deu a lógica. Times possuem objetivos distintos na tabela. Um quer beliscar vaga em Libertadores o outro foge do Z4, aonde começa a competição.
 

Chapecoense 2×0 Internacional

Não vi o jogo. Mas certamente o elenco da Chape teve um resultado interessante para a sua estratégia permanente de se manter na Séria A. O Internacional parece estar com ca beça na Libertadores. Que na próxima quarta continue assim.
 

Atlético Mineiro 2×1 Avaí

Assisti a fragmentos dessa partida. Não gostei. Muito menos do Avaí, que nos apresenta o velho Geninho, que aconselho ficar atento a sua saúde. Campeonato Brasileiro costuma adoecer técnicos de futebol. O galo precisa renovar o time. Tem gente fazendo hora extra. Creio que esse seja o time mais fraco do Atlético Mineiro desde 2012. Fez 3 pontos e venceu até o VAR dessa vez.
 

Grêmio 1×2 Santos

Foi um jogo interessante e que deve nos deixar alerta em relação ao time do Santos, que tem um dos melhores treinadores do mundo, Sampoli. É uma equipe jovem e, naturalmente, instável. O santos surpreendeu uma das melhores equipes de futebol no Brasil nos últimos anos. Uma vitória garantida por uma atuação espetacular de seu goleiro Vanderlei. Não gostei da atuação da zaga do Grêmio, que dificilmente é superada. O futebol é isso. Talvez o empate fosse um resultado mais justo, mas nessa rodada empate era proibido.
 

Ceará 4×0 CSA

Pelo que percebi, o placar talvez nem reflita a diferença técnica entre as equipes. O CSA poderia ter largado na frente. Não fez o gol e levou dois. Teve o goleiro expulso em uma jogada que estava parada. Jogar com um a menos foi um peso para o CSA, que é estreante na Série A da era dos pontos corridos. Já o Ceará deve apostar em um desempenho melhor em casa nesse início de campeonato, para tentar sofrer menos na reta de fim de ano.

 
Bahia 3×2 Corinthians

O Tricolor demonstrou força nas arquibancadas e no campo. Foi um jogo de belos gols. Achei o resultado justo. No Corinthians quem me surpreendeu foi o lateral Fagner, que fez uma partida impecável. Serão dois times difíceis de serem batidos na competição. Possuem bons treinadores, Roger e Carili.
 

CAP 4×0 Vasco

O time paranaense é muito bem armado. E sabe jogar bem em seu campo de gramado sintético. Nem há que se falar em justiça no placar. A atuação do Vasco foi abaixo do que poderíamos imaginar. A zaga do Vasco teve uma atuação trágica. Não há o que se comentar.
 

Palmeiras 4×0 Fortaleza

Rogério Ceni deu azar de pegar logo o poderoso Palmeiras de cara. Fica até difícil fazer uma avaliação dessa partida. A diferença de investimento dessas equipes é gigante. O Palmeiras é um dos favoritos ao título. Já o Fortaleza, eu quero esperar mais um pouco, pois não acredito que seja um saco de pancadas.
 

Fluminense 0x1 Goiás

O Sobrenatural de Almeida, personagem de Nelson Rodrigues estava presente. Nelson, tricolor histórico, certamente não gostaria desse jogo. Tudo deu errado, quando parecia que a vitória do Flu viria naturalmente, mesmo sem apresentar um futebol convincente.

Teve de tudo, árbitro atrapalhado com o VAR, apagão no momento de bater pênalti, goleiro do Goiás defendo o pênalti ao retorno da energia, vendaval, chuva, gol anulado (gol legal, diria o saudoso Mário Viana) e, pasmem, gol de falta duvidosa, adivinha de quem? Rafael Vaz, em uma bizarra formação de barreira do Fluminense. Resultado injusto, com interferência direta da má arbitragem.

***

Foi uma rodada de muitos gols, sem empates e com a vitória de apenas dois visitantes. Começamos muito bem vencendo um dos fortes candidatos ao título. Mas cabe lembrar que faz tempo que o Cruzeiro não sabe o que é vencer o Flamengo em campeonatos brasileiros…
Cordiais Saudações Rubro-Negras!
 


Você pode contribuir com o nosso projeto:

Via Paypal:

 

 

Via Transferência Bancária:

Banco do Brasil:
Agência 3652-8
Conta Corrente 43937-1

Compartilhar: