Compartilhar:

O que foi o Flamengo na segunda e terceira rodadas do Campeonato Brasileiro. E os outros jogos? 

 

Ricardo Martins

 

Esse Campeonato Brasileiro certamente é muito diferente de todos os anteriores. Há um comportamento inusitado dos torcedores a cada gol, diante da incerteza se será válido ou não. É algo inconsciente, uma espécie de medo de se frustrar, o que por si próprio já é frustrante. Eu tento superar isso de maneira racional. Vibro quando há clareza no lance e fico quietinho quando acho que o lance será invalidado. Grandes coisas…

Meu pai é mais autêntico. Ele vibra em todos os gols, e até naquele que ele antevê a jogada e crê que será gol. O que há de positivo nele é a preservação da torcida incondicional pelo Flamengo.

O VAR veio a insistentes pedidos. Conforme eu imaginava ele elevou as polêmicas a níveis sofismáticos. Hoje ficamos debatendo se o árbitro deveria ou não ter revisado o lance polêmico, segundo a nossa ótica. Passamos a torcer para o VAR para nos ajudar. Em campo a coisa é ainda pior, pois jogadores e treinadores ficam implorando para que a tecnologia seja acionada em qualquer lance.

Ao que parece, para que o jogo não perca suas dinâmica, os sopradores de apito darão cada vez mais autonomia aos fiscais de vídeo. Nesse sentido eu acho até que a postura é positiva. O problema maior ainda permanece: a falta de profissionalização das arbitragens. Afinal, de nada adianta a modernidade tecnológica se os árbitros continuarem a fazer lambanças…

O QUE FOI O FLAMENGO NA SEGUNDA E TERCEIRA RODADAS?

É muito fácil avaliar os fatos após o ocorrido. Creio que a Comissão Técnica do Flamengo passa por dilemas amplificados, quando comparados aos gritos dos torcedores nas redes sociais. Todavia, eles são pagos para isso e tem a obrigação de acertar majoritariamente. Hoje, na minha modesta opinião, o Flamengo deveria ter utilizado formações alternativas contra Internacional e São Paulo. Nem Abel precisaria viajar, pois aproveitaria o tempo para treinar a equipe, o que traria impacto positivo para o confronto chave na Libertadores e a sequência na temporada.

Fique claro que não coloco as minhas fichas em competições estilo copa. Eu torço para o Flamengo passar da primeira fase na Taça Libertadores por dois motivos distintos: a possibilidade de ser campeão (mesmo que remota) e fugir da eventual disputa na Sulamericana, que só nos traria mais problemas nesse momento.

O Flamengo possui um elenco superior ao do ano passado, mas ainda aquém das necessidades de uma temporada tão cheia de compromissos. O que existe em comum com 2018 é que as nossas chances ainda são maiores no Campeonato Brasileiro. Motivo pelo qual temos que jogar com inteligência. Isso me leva a lamentavelmente concordar como o Abel Braga, pois historicamente é “normal” perder para o Inter em Porto Alegre. Antes que fiquem zangados comigo, vamos a análise do jogo contra o Inter?

 

Internacional 2×1 Flamengo

São tantos os erros cometidos pelo nosso time, que buscarei abordá-los cronologicamente. O time demorou a se ligar na partida. Por conta disso sofremos um gol do Guerrero, que time profissional não pode levar. Falta na lateral, batida curta e cruzamento na área. Rodolfo marcou a bola e o atacante do Inter cabeceou livre. Ninguém dá esse mole para o nosso ataque.

O time ficou apático ainda uma boa parte do primeiro tempo, quando os lampejos do bom futebol surgiram, o Flamengo fez boa jogada e obteve uma falta frontal ao gol Colorado. Houve a batida um bate-rebate e gol! Todos ficamos aguardando a marcação talvez de um impedimento, mas isso não ocorreu. Marcaram um toque no cotovelo do Rodolfo. E pergunto: o braço estaria colado ao corpo? A regra mudou nesse nível? No meu entender seria gol legal. Pena que não era eu quem estava apitando.

Veio o segundo tempo com o Flamengo melhor. Aparentemente acertávamos ao enviar o time titular. Empatamos em um lançamento do Arrascaeta, num corta-luz do Everton Ribeiro e numa restituição do Lomba pelos serviços prestados em favor de vários times que jogaram contra o Flamengo.

Quando pensávamos que daria para pensar num placar favorável, Renê marcou frouxo, assim como o restante do setor defensivo e levamos gol de um jogador que estava apagado no jogo. Com um chute a distância deu números finais ao placar. No Dia do Trabalhador nossos operários se negaram a dar o seu melhor.

 

São Paulo 1×1 Flamengo

Diferente da frouxidão contra o Internacional, o jovem time do Flamengo que foi ao Morumbi demonstrou vontade e alguma qualidade. O goleiro Cesár estava seguro, Tuller foi muito bem, Trauco continua uma avenida na marcação, mas mostrou muito bom futebol quando apoiou. O meio de campo teve três volantes que se portaram razoavelmente: Ronaldo, Hugo e Pires da Mota. Diego, mesmo contestado por alguns, vem fazendo boas atuações. O ataque funcionou até a estranha saída de Berrio, autor do gol do Mengão. Lincoln até protegeu a bola, sofreu umas cinco faltas, mas se posicionou mal reiteradamente.

A meu ver o placar foi injusto. O São Paulo fez uma partida muito ruim. Eu já tinha visto o tricolor paulista contra o Botafogo. Na ocasião jogaram fechadinhos. Contra o Flamengo resolveram partir pra cima. Pena que não aproveitamos os espaços dados. Não vou execrar ninguém no time, mas deixamos a desejar em termos ofensivos.

Obviamente não estou satisfeito com os 4 pontos em três rodadas. Mas estamos no lucro, pois os rubro-negros do apocalipse apostavam que perderíamos para Cruzeiro, Inter e São Paulo…

 

DEMAIS JOGOS DA SEGUNDA E TERCEIRA RODADAS

Corinthians 1×0 Chapecoense

O Corinthians do Carille é isso aí. Grandes goleadas de 1×0. O pragmatismo sempre obteve resultados no campeonato de pontos corridos. Do outro lado a Chape demonstra que mantém a estratégia de anos anteriores de permanecer na divisão de elite do futebol brasileiro.

 

CSA 1x1Palmeiras

Mesmo jogando com um time totalmente de reservas, e peço atropelamento que o CSA sofreu na primeira rodada, o empate pode ser considerado uma zebra. Mas quero aguardar um pouco mais. O time paulista está focado na Libertadores e a equipe alagoana tenta buscar um lugar no mundo.

 

Cruzeiro 1×0 Ceará

Recebi informações de que o placar não traduziu o que foi o jogo, pois parece que o domínio da partida foi da equipe cearense. Fábio pegou até pênalti. Não gosto da lembrança do jogo contra esse mesmo Ceará ano passado no Maracanã, mas tudo indica que pode obter pontos preciosos contra adversários teoricamente mais fortes.

 

Avaí 1×1 Grêmio

Os times de Santa Catarina historicamente não fazem campanhas vistosas. Mas jogar com um Grêmio “envelhecido” focado em outra competição é uma oportunidade ímpar de conquistar pontos.

 

Fortaleza 2×1 CAP

O time de Rogério Ceni demonstrou força em casa, apagando aquela péssima imagem da derrota por goleada na estreia. Já o time paranaense levou para o Ceará só o corpo, deixando o espírito no Sul do País.

 

Vasco 1×2 Galo

São Januário viveu mais uma tragédia. O Atlético Mineiro talvez nem tenha merecido a vitória, mas os problemas lusitanos parecem não ter fim. Mais uma vitória na bacia das almas para a equipe mineira, mas isso não importa, pois o que vale mesmo são os 3 pontos!

 

Goiás 1×2 São Paulo

Não devemos nos iludir com a vitória dos esmeraldinos na primeira rodada. O time é muito fraco, mas parece ser bem armado e pode aprontar ao longo do campeonato. O São Paulo ainda pratica um futebol aquém do que pode jogar. Cuca terá muito trabalho. Por enquanto terá sucesso fechando a equipe.

 

Santos 2×1 Fluminense

Placar esperado e justo, a meu ver. O santos é muito rápido, embora tenha um meio de campo com pouca criatividade. O Fluminense é uma incógnita.

 

Botafogo 3×2 Bahia

Não vi o jogo. Confesso que o placar me surpreendeu. Será que voltamos ao tempo que o Foguinho com equipes medíocres era um calo para os adversários?

 

Palmeiras 1×0 Internacional

Tá difícil saber aonde passará, e se passará, o jogo dos porcos. Só sei que houve muita reclamação do time gaúcho. São dois rivais diretos pela conquista do campeonato. Os paulistas detém o maior investimento. Temos que torcer para as outras competições desgastarem mais o Palmeiras do que no ano passado…

 

Vasco 1×1 Corinthians

Resultado que deixa o bacalhau numa “inesperada” lanterna do campeonato. Para o Vasco dois pontos a menos. Para os gambás, um ponto a mais.

 

Ceará 1×2 CAM

O Galo lidera aos trancos e barrancos. Foram duas vitórias no apagar das luzes. Resultados valiosos, sendo dois fora de casa. Aqui em Belo Horizonte já surgiu um tímido e bem-humorado “segue o líder”. Já espero por piadas com flanelinhas e tartarugas no alto do poste. O time cearense me decepcionou. Esperava mais deles no segundo jogo dentro de casa.

 

Chape 1×1 CAP

Resultado tão previsível que dispensa qualquer comentário.

 

Cruzeiro 2×1 Goiás

O time celeste vem recebendo algumas críticas da imprensa mineira. Acho que a derrota para o Flamengo ainda não foi digerida. Além disso, o Cruzeiro é outra equipe com os olhos na América. O Goiás continua me irritando com a ausência de algum futebol convincente.

 

Botafogo 1×0 Fortaleza

A única coisa que sei dessa partida é que, mais uma vez, a arbitragem foi camarada com o alvinegro. O time do eternos chôrôrô não tem do que reclamar. Elenco fraco com 6 pontos na tabela. Faltam 39 para a salvação. Já o Fortaleza deu mostras de que pode melhorar.

 

CSA 0x0 Santos

Eu esperava vitória da equipe santista. Ocorre que o time de Sampaoli é de uma instabilidade própria da juventude. Há momentos em que o time do Santos parece ser um Sub-20. Já o CSA terá que fazer das tripas coração para ficar fora do Z4 e consequentemente não cair.

Grêmio 4×5 Fluminense

Resultado surpreendente. Tudo aparentava que o Flu sofreria uma goleada histórica. Afinal, não via a cor da bola e sofria um massacre do tricolor gaúcho. No meu entender a falha bisonha do goleiro Júlio Cesar (ex-Flu) foi decisiva para a mudança de motivação da equipe carioca.

Começar o segundo tempo com derrota por apenas um gol de diferença transformou o Fluminense e transtornou o técnico Renato Gaúcho. Rapidamente o empate com justiça veio logo no início, aonde vimos o tricolor carioca encurralar a gauchada.

Não sei se posso falar em justiça, merecimento. Só digo que o jogo foi bom para quem quer ver gol. Alguns querem comparar com o histórico Santos 4×5 Flamengo na Vila Belmiro. A meu ver, de semelhança apenas o placar. Lembro que naquela partida havia um equilíbrio na qualidade do futebol de ambas as equipes ao longo dos 90 minutos. Já nessa partida em Porto Alegre, cada time dominou o outro por completo em fases distintas da peleja.

 

Vencer! Vencer! Vencer!

Sei que as nossas cabeças estão lá no Uruguai. Já falei várias vezes que acredito que a partida contra o Peñarol lá, em termos de futebol, será menos difícil que o jogo que perdemos no Maracanã. Um eventual insucesso traria impactos muito piores do que a própria desclassificação. Eu acredito em um resultado positivo. Creio na classificação. Só peço que torçamos para o Flamengo. Nisso não pode existir condicionalidade.

 

Cordiais Saudações Rubro-Negras!

 

 


Você pode contribuir com o nosso projeto:

Via Paypal:

 

Via Transferência Bancária:

Banco do Brasil:
Agência 3652-8
Conta Corrente 43937-1

Compartilhar: