Compartilhar:

Yago Martins, do MRN Informação

Depois de três anos no quase, meia finalmente conquista títulos importantes pelo rubro-negro

O título da Libertadores de 2019 ficará marcado para sempre na memória dos rubro-negros, e o atual camisa 10 do clube, aproveitou a sua chance, fez sua redenção e gravou seu nome na história do Flamengo. Falamos de Diego Ribas.

O meia entrou aos 20 minutos para substituir Gerson, lesionado. O Fla perdia por 1 a 0 para o River Plate, e Diego foi fundamental para a virada. No primeiro gol, deu um carrinho interceptando o passe de Lucas Pratto. A bola voltou para o argentino, que foi desarmado por Arrascaeta. A jogada prosseguiu, e saiu o gol de empate de Gabigol.

A assistência para o gol do título foi dele. Diego fez um lançamento longo buscando Gabriel, o atacante disputou com Pinola, ganhou e finalizou sem chances para Armani.

A redenção de Diego foi improvável. Em julho, o jogador se lesionou gravemente na partida de ida das oitavas de finais da Libertadores, contra o Emelec, e foi praticamente descartado para o restante da temporada.

Fez uma recuperação magnífica, e se colocou à disposição de Jorge Jesus para a reta final de 2019.

Após chegada com grande festa em 2016, Diego era cobrado pelo torcedor rubro-negro por uma grande conquista. O atleta foi três vezes vice com o Fla, e em uma delas, perdeu um pênalti decisivo. Neste ano, com a Libertadores e o Brasileiro, Ribas consegue enfim mudar a história e conquistar grandes feitos com o “Manto Sagrado”.

Não deixe de ler também

O MRN depende do apoio de leitores como você para continuar fazendo uma cobertura criativa, propositiva e ética do Clube de Regatas do Flamengo. ➡ Junte-se a nós

Compartilhar: