O Campeonato Brasileiro começa em 14 de abril. A sequência de jogos das 5 primeiras rodadas será crucial para o sucesso, porque será a sequência de jogos teoricamente mais fácil no campeonato inteiro. Uma largada forte será essencial. E no meio há dois confrontos contra o Independiente Santa Fé, da Colômbia, pelas rodadas 3 e 4 da Fase de Grupos da Libertadores.

A aposta é de se conseguir no mínimo 12 pontos nos 15 possíveis nas cinco primeiras rodadas. Os duelos são contra o Vitória, fora de casa, o América Mineiro, em casa, o Ceará, fora de casa, o Internacional, em casa, e a Chapecoense, fora de casa. Para fazer 12 pontos, tem que vencer quatro destes cinco jogos. Não é fácil, mas ganhar o título de Campeão Brasileiro nunca foi, é, ou será fácil. As sequências seguintes são mais difíceis.

Depois da 5ª rodada do Brasileiro, o Flamengo tem confronto em casa contra o Emelec pela Libertadores, em 16 de maio. Depois há um clássico contra o Vasco, e logo a seguir a última rodada da Fase de Grupos da Libertadores. Momento de decisão, porque nenhum rubro-negro aguenta mais ser eliminado na 1ª fase da Libertadores, como aconteceu nas últimas três participações rubro-negras.

No blog: Flamenguista, contra quem você quer competir?

Da rodada 6 à 10 do Brasileiro, a aposta é de se conseguir no mínimo 9 pontos, numa sequência que tem Vasco, Atlético Mineiro, fora de casa, Bahia e Corinthians, duas seguidas em casa, e Fluminense. Vencer pelo menos três destes jogos é crucial. A meta é chegar à 10ª rodada com pelo menos 21 pontos.

Da rodada 11 à 15, a aposta será mais uma vez de fazer no mínimo 9 pontos, chegando a 30 pontos na tabela. A sequência é contra o Paraná, em casa, Palmeiras, fora de casa, São Paulo, em casa, Botafogo, e Santos, fora de casa. Mais uma vez, tem que vencer no mínimo três destes cinco duelos.

Na sequência do Brasileiro, é hora de apostar em uma ligeira aceleração no desempenho, condizente a quem quer ser campeão. Da rodada 16 à 20, a aposta é de se conseguir pelo menos 10 pontos, levando o Flamengo a 40 pontos na tabela. Nos cinco jogos, tem que vencer três e empatar um. A sequência tem: Sport Recife em casa, Grêmio fora de casa, Cruzeiro em casa, Atlético Paranaense fora de casa, e Vitória em casa.

Proposta é repetir o desempenho e fazer 10 pontos da 21ª à 25ª rodada, levando o clube a 50 pontos na tabela. Mais três vitórias e um empate numa sequência que tem: América Mineiro fora de casa, Ceará em casa, Internacional fora de casa, Chapecoense em casa, e Vasco.

O desafio para ser campeão: 12 pontos, com quatro vitórias em cinco jogos na sequência das rodadas 26 à 30! Meta: alcançar a 30ª rodada com 62 pontos na tabela! Uma sequência que não é fácil, mas que o sprint com gás de quem quer ser campeão precisa fazer ser excepcional. Os cinco jogos são: Atlético Mineiro em casa, seguido por dois jogos fora de casa, contra Bahia e Corinthians, por um Fla-Flu, e pelo confronto contra o Paraná fora de casa.

Para ser campeão, tem que manter o ritmo. Nos cinco jogos das rodadas 31 à 35, a meta é fazer pelo menos 10 pontos, terminando a sequência com 72 pontos na tabela (marca que seria a maior pontuação da história do Flamengo no campeonato por pontos corridos, logo, por tanto, não é uma meta fácil, tanto que nunca foi obtida, mas é o que tem que ser feito para ser campeão). Três vitórias e um empate, pelo menos, na sequência contra Palmeiras em casa, São Paulo fora de casa, Botafogo, Santos em casa e Sport Recife fora de casa.

Três rodadas finais, da 36 à 38, é o objetivo é vencer dois dos três jogos, que são contra Grêmio em casa, Cruzeiro fora de casa, e Atlético Paranaense em casa. Chegando a 78 pontos, nossa meta para ser Campeão Brasileiro de 2018. Em 2016, o Palmeiras fez 80 pontos, e em 2017 o Corinthians fez 72 pontos em 2017. Assim, fazer 78, definitivamente não é fácil. Mas é a meta no planejamento que levará ao título nacional em 2018. E paralelamente a tudo isto, esperamos que haverá os play-offs da Libertadores para se jogar. Isto é o que importa, Campeonato Brasileiro e Libertadores, em outras competições, como a Copa do Brasil, e a Sul-Americana (esperamos não disputar, pois só uma eliminação na Fase de Grupos da Libertadores nos colocaria nela), todo o resto não deve ser priorizado, é missão para um time reserva.

 
Imagem destacada no post e redes sociais: Arte sobre gráfico do autor.
 

Quer ser apoiador do Mundo Rubro Negro? CLIQUE AQUI
 


Marcel Pereira é economista e escritor rubro-negro, autor do livro “A Nação – Como e por que o Flamengo se tornou a maior torcida do Brasil” (Editora Maquinária). Este post é publicado originalmente no blog A Nação