Compartilhar:

Rodrigo Rötzsch, da equipe MRN Informação

A iniciativa da Conmebol de divulgar público e renda dos jogos da Copa América vêm causando espanto pelos altos valores arrecadados pela entidade mesmo com os estádios vazios na maioria dos jogos. Hoje, no Maracanã, não foi diferente. E com um detalhe a mais: embora com menos de um terço dos assentos disponíveis vendidos, a renda foi, de longe, a maior do estádio em 2019.

Segundo os números da Conmebol, 17.550 pessoas pagaram ingresso para ver o confronto entre as duas seleções andinas, válido pela segunda rodada da Copa América. O número é inferior aos 24.854 torcedores do jogo no qual o Flamengo teve o menor público no Maracanã neste ano, na vitória contra o Americano pelo Campeonato Carioca.

A renda, porém, foi 37% maior do que a maior receita bruta registrada em jogos do Flamengo em 2019: R$ 4.906.150 contra R$ 3.571.041 arrecadados na partida contra o Corinthians pela Copa do Brasil. A diferença é que aquele jogo teve 55.583 torcedores, que pagaram, em média, R$ 64,24 pelo ingresso (que já foi o valor mais caro cobrado pelo Flamengo este ano). Já a partida entre Peru e Bolívia teve um tíquete médio de R$ 279,55.

Os valores impressionam ainda mais se considerado que a Conmebol havia acertado com a Odebrecht a cessão do Maracanã por dois meses por apenas R$ 1,75 milhão. Flamengo e Fluminense renegociaram o contrato após assumirem a cessão do estádio, mas os termos finais não foram publicamente divulgados.

Como as rendas das partidas da Copa do Mundo e da Copa das Confederações não são anunciadas pela Fifa, a expectativa é que o Maracanã tenha a maior renda oficial da sua história na final da Copa América, que também será jogada no estádio.

O MRN depende do apoio de leitores como você para continuar fazendo uma cobertura criativa, propositiva e ética do Clube de Regatas do Flamengo. ➡ Junte-se a nós

Compartilhar: