Compartilhar:

De Diego Alves a Jorge Jesus: Veja as análises e notas de quem atuou na importante vitória do Flamengo sobre o Cruzeiro

O segundo turno começou como o primeiro: com vitória em cima do Cruzeiro. Desta vez, no Mineirão, o time do Flamengo superou um Cruzeiro desesperado, diante de seu torcedor, tentando sair da crise que assola a Toca da Raposa.

Ao vencedor, o topo da tabela. Ao perdedor, a zona de rebaixamento. Justiça dentro e fora de campo.

Primeiro tempo

O jogo começou a mil por hora. Como já virou costume na Era Jorge Jesus, o Flamengo não deixou o adversário respirar. A pressão na saída de bola do adversário surtiu efeito. Quando Fábio errou a saída de bola, a trama entre Vitinho e Gerson resultou em mais um gol de Gabigol. O artilheiro do campeonato, agora com 17 gols, testou pra baixou e balançou as redes com apenas seis minutos de jogo.

O jogo continuou sendo dominado pelo Flamengo até pelo menos metade da etapa. Aos poucos o Flamengo foi arrefecendo a pressão e a intensidade de jogo caiu. O time sentiu o forte calor e tentou se poupar mantendo mais posse de bola.

Na zona de rebaixamento, o escrete mineiro comandado por Rogério Ceni foi ganhando confiança. Aos 38 minutos, Pedro Rocha tabela com Thiago Neves na entrada da área e é derrubado por Rodrigo Caio já dentro da área. O árbitro Rafael Klaus nem quis rever o lance duvidoso no VAR. Thiago Neves bateu no canto esquerdo de Diego Alves e empatou o jogo.

Segundo tempo

O Cruzeiro teve chances perigosas de gol no início do segundo tempo. Ezequiel chutou torto, a bola desviou em Filipe Luís e bateu no pé da trave esquerda. O sufoco durou pouco tempo. Logo o Flamengo voltou a ser o time dominante.

E aos 22 minutos, Arrascaeta deu números finais ao jogo. O jogador provou que todo o investimento do Flamengo para tirá-lo justamente do Cruzeiro valeu a pena.

Willian Arão fez aquela que é uma de suas mais conhecidas jogadas: a infiltração na ponta com cruzamento rasteira pra quem vem atrás. Gabriel não foi fominha e com lindo corta-luz deixou para o uruguaio arrematar sem chance para o goleiro celeste. 2×1. Agora o Flamengo tem 45 pontos na tabela.

Veja abaixo as notas e análises das atuações dos jogadores do Flamengo aplicadas por nosso grupo especial de colaboradores.

flamengo cruzeiro notas atuações jogadores
Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

Diego Alves

Mais um jogo seguro do nosso camisa 1. Deu um susto na torcida com aquele drible. Na hora que precisamos fez uma excelente defesa. Nota: 7,0.

Por Sérgio Ribeiro – Twitter: @sergioribeiro04

Rafinha

Bem no jogo. Partida segura. Defensivamente quase perfeito, tomou um amarelo que a maioria dos flamenguistas comemoraram por se tratar de um ataque perigoso do adversário, que sairia de cara para o gol. Nota: 7,0.

Por Verônica Coutinho – Twitter: @Vevecoutinho

Rodrigo Caio

A equipe se mostra cada vez mais segura na defesa. Estava no lance do pênalti que no mínimo era para ter sido revisto! Se posiciona muito bem: antecipações e subidas sempre no momento certo. Nota: 6,0.

Por Ricardo Bitencourt – Instagram: @drbitenco

Gabriel Barbosa

Mais uma partida taticamente perfeita do nosso artilheiro. Se movimenta o jogo todo não aceitando marcação. E correndo até o último minuto. Nota: 10,0.

Por Verônica Coutinho – Twitter: @Vevecoutinho

Pablo Mari

Temos que entender o espanhol. Veio desbravar as terras tupiniquins em busca de um sonho, e está encontrando muito mais do que um dia ousou imaginar. Com suas passadas largas, torna-se cada vez mais o tão sonhado e mítico xerifão da torcida. No jogo, partida monumental: nada passa por ele. Veloz, técnico e extremamente inteligente. Percebeu que o gramado era ruim e evitou sair jogando em algumas jogadas. Ademais, muita precisão em seus carrinhos. Nota: 8,5.

Por Willian Sian Herzog – Twitter: @willian_sian

Jorge Jesus

O portuga é impressionante. Sabe o time que tem em mãos e consegue tirar o melhor de cada um. Faz jus ao seu sobrenome ao transformar água em vinho. Neste jogo, montou um time inicialmente diferente e que não conseguiu produzir o que se esperava, seja pelo bom jogo do adversário que se fechou ou pela falta de ritmo de Vitinho, que não conseguiu executar com perfeição o jogo do Éverton Ribeiro sendo um meia pela direita. Por fim, no segundo tempo arrumou a casa, mostrou novamente que seu time é mutável e consegue com uma substituição alterar diversos posicionamentos no jogo. Fez o time crescer no segundo tempo e o levou a vitória. Nota: 8,0.

Por Willian Sian Herzog – Twitter: @willian_sian

Filipe Luís

Consciência tática e posicionamento de quem foi titular 15 anos na Europa. Hoje os brasileiros conseguem entender um pouco melhor porque ele foi convocado tantas vezes. Nota: 8,0.

Por Ricardo Bitencourt – Instagram: @drbitenco

Bruno Henrique

Partida um tanto apagada. Destaque para a cabeçada defendida por Fábio. Participou na jogada do segundo gol. Tomou cartão amarelo. Nota: 7,0.

Entrou Berrío: Entrou no final do jogo, aos 42. Sem nota.

Por Millena Dourado – Twitter: @millefalcon

Gerson

Muito bem taticamente como de costume, principalmente na segunda etapa, em que a equipe criou mais jogadas no meio e ele passou a atuar mais à frente depois da entrada do Piris. Contribuiu também com uma assistência para o primeiro gol da partida. Nota: 8,5.

Por Rafael Albuquerque – Twitter: @O_RafaelAlbuque

William Arão

Excelente partida. No primeiro tempo fez um bom jogo na saída de bola e chegou pouco ao ataque. No segundo, foi incansável na marcação e na chegada ao ataque. Deu opção na frente em uma tarde apenas regular de Gerson. A atuação foi coroada com o passe para o segundo gol. Nota: 9,0.

Por Marcio Marcondes – Twitter: @mjmarcondes

Arrascaeta

Primeiro tempo bem discreto do meia uruguaio. Errou muito na parte técnica e, taticamente, não atendeu ao que queria o Mister. Já na segunda etapa, conseguiu mostrar o futebol que todos esperam. Contribuiu com grandes jogadas e fez o belo gol da vitória em jogada trabalhada da equipe rubro-negra. Nota: 8,5.

Rhodolfo: Entrou no final da partida para combater possíveis bolas aéreas do Cruzeiro na área. Acabou não sendo exigido. Sem nota.

Por Rafael Albuquerque – Twitter: @O_RafaelAlbuque

Vitinho

Uma partida apagada como de costume. Participou do lance do primeiro gol pressionando a saída de bola do Cruzeiro e só. Saiu no intervalo para a entrada do Piris da Motta. Nota: 6,0.

Piris da Motta: Entrou no intervalo no lugar do Vitinho, taticamente cumpriu sua função, não deu margem para jogadas do Cruzeiro. Foi firme e seguro. Nota: 6,0.

Por Caroline Menezes @kaka_menezes07

O MRN depende do apoio de leitores como você para continuar fazendo uma cobertura criativa, propositiva e ética do Clube de Regatas do Flamengo. ➡ Junte-se a nós

Compartilhar: