Mau desempenho faz Bandeira sinalizar mudanças em 2018

Mau desempenho faz Bandeira sinalizar mudanças em 2018

Eduardo Bandeira de Mello, presidente do Flamengo, ainda acredita em um fim de temporada boa para o time e clube, entrando, no último ano de seu segundo mandato, o dirigente admitiu insatisfação com o desempenho do Flamengo no Brasileiro, em entrevista ao Globo Esporte.

O presidente afirmou que muita coisa pode mudar em 2018, e disse que avaliações serão feitas em casos de novos fracassos, em reuniões com a diretoria.

“Não falo sobre coisas que são discutidas internamente. O que posso dizer é que a torcida pode ficar absolutamente tranquila em relação ao nosso esforço, à nossa determinação em fazer o melhor possível. Em terminar o ano da melhor maneira possível. Dependendo do modo que a gente terminar o ano isso vai se refletir também no ano que vem”, completou Bandeira.

Sucinto, Bandeira disse que o torcedor nunca deve estar satisfeito e se poupou ao falar do trabalho do Departamento de Futebol.

“A gente sempre tem que ter a expectativa maior possível e nunca podemos ficar satisfeitos com nada. Se o Flamengo tivesse ganho a Libertadores, eu não ia estar satisfeito porque eu ia querer ser campeão do mundo. Então quem é Flamengo não pode ficar avaliando o que foi feito, se é satisfatório… nunca é satisfatório. Tem que sempre mirar o objetivo mais alto possível”, afirmou.

Rueda já vem sendo questionado por parte da imprensa e até torcida, seja por escalações contestadas, seja por substituições que não dão certo. O mandatário saiu em defesa do colombiano ao ser perguntado se críticas severas influenciam dentro do vestiário. O técnico, que após o jogo contra o Palmeiras definiu a atuação do time como “inacreditável”, e que “não tinha cabimento” perder daquela maneira.

“Ele expôs alguém? Deixou alguém em situação difícil? Não, muito pelo contrário. Ele defende o grupo. Ele não falou nada. Se alguém está falando que ele expôs algum jogador… O que ele falou é que o resultado de ontem foi insatisfatório, o que envolve o trabalho de todo mundo. O dele, o meu, dos jogadores, de todos. Está todo mundo consciente disso.”

Após a perda de dois vice-presidentes, Bandeira de Melo afirmou não haver cunho político nas baixas da diretoria, enfatizando que quem deixou os cargos o fez por motivos pessoais e profissionais.

“Não tem reflexo político nenhum. A realidade é que são pessoas que são muito caras a mim, que gosto muito, são quase filhos meus de tanto tempo que convivemos, trabalhando juntos. Mas tenho que respeitar, é uma situação pessoal e profissional que eles estão vivendo. Vão fazer muita falta no dia a dia, mas vão estar sempre conosco. Tenho certeza que se precisar é só pedir que eles vão ajudar sempre o Flamengo – garantiu Bandeira, negando que a movimentação o isole no clube ou signifique rompimento político.”

O Flamengo está na sétima colocação do campeonato Brasileiro, o que pode lhe garantir uma vaga na fase da pré-Libertadores. Outra competição que pode carimbar o passaporte para a maior competição da América, é a Copa Sul-Americana, que, se for vencida pelos rubro-negros, além de render no total um pouco mais de R$ 4 milhões de premiação, garante a vaga direto para a fase de grupos da Libertadores.

About The Author

ANÚNCIO

APOIADORES

ANÚNCIO

Siga-nos no Twitter

NOTÍCIAS DO FLAMENGO