Compartilhar:

Dia 05 de março, final da Taça Guanabara, Engenhão com torcida dividida, espetáculo em campo e nas arquibancadas. As torcidas de Flamengo e Fluminense puderam ir ao Nilton Santos e apoiar seus respectivos times graças ao desembargador Gilberto Clovis Farias Matos, que no dia 03 do mesmo mês permitiu a venda para que as duas torcidas pudessem comparecer ao estádio e assistir a final da primeira etapa do Carioca 2017.

Desde essa decisão, os clássicos do Rio de Janeiro foram com torcidas divididas e muita festa nas arquibancadas. O charmoso futebol carioca, com isso, ganhou um tubo de oxigênio para ajudá-lo a respirar. Para o Brasileirão, no entanto, um enfermeiro mal quis acabar com essa “mamata”: o Ministério Público, que tentou derrubar a liminar que garantia torcidas mistas nos dérbis cariocas.

O MP pediu a transferência do caso para uma das Câmaras Especializadas em Direito do Consumidor do órgão. A 15ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) negou o pedido e manteve a decisão do desembargador, além de afirmar que a Câmara Cível tem totais condições de julgar o assunto.

Com isso os recursos dos clubes e da federação carioca também serão julgados pela 15ª Câmara Cível com a data ainda a ser marcada.

*Crédito da imagem destacada: Bruno Giufrida


O Mundo Rubro Negro precisa do seu apoio para não acabar, e melhorar ainda mais. Contribua mensalmente com nosso trabalho. Clique aqui: bit.ly/ApoiadorMRN

Compartilhar: