Compartilhar:

Veja as notas e análises das atuações do confuso empate do Flamengo contra o Goiás, pela 29ª rodada do Brasileirão

Com o empate em Goiânia, o Mais Querido chega aos 64 pontos e segue firme em busca do título do Brasileirão, agora com 8 pontos de vantagem do segundo colocado Palmeiras.

Confira as notas das atuações do Flamengo feitas pelos membros do grupo de Whatsapp do MRN Pensar Flamengo.

Acesse agora useartillero.com e concorra a uma camisa irada na promoção de lançamento do site!


Cesar: Durante 90% do jogo mostrou o quanto faz falta um goleiro que não só saiba tratar a bola com os pés, mas que também tenha visão de jogo para enxergar o melhor passe e confiança na execução do mesmo. Sempre que a melhor opção para sair jogando era um passe mais apertado César preferiu reviver o chutão no Flamengo. No final errou numa saída do gol, deu uma bicuda num jogador do Goiás e foi expulso. Na montanha-russa que é a carreira do César, o goleiro deixa o jogo em baixa. Nota: 3,0.

Por Edson Lira – Twitter: @Edsonjslira

Rodinei: Mais uma partida ridícula do pior jogador do Flamengo. Dois gols tomados pelo lado dele. Não contribuiu em nada ofensivamente. Nota: 2,0.

Por Verônica Coutinho – Twitter: @Vevecoutinho

Rodrigo Caio: Conseguiu um gol importante para o time com bom posicionamento e oportunismo. Na defesa, sofreu com as bolas esticadas do Goiás, mas não teve culpa nos gols. Nota: 5,0.

Por Miguel Peters – Twitter: @miguelpeters

Pablo Marí: Assim como o restante do sistema defensivo sofreu com as inversões e bolas longas do Goiás no segundo tempo. Falhou no primeiro gol ao permitir a antecipação do Rafael Moura. Nota: 3,0.

Por Marcelo Franco – Twitter: @FrancoMarcelo_

Filipe Luís: Não foi um grande jogo do nosso ótimo lateral esquerdo. Diferentemente do que tem mostrado nessa temporada, esteve inseguro e errando jogadas bobas. Mas é bom observar que as jogadas dos gols do adversário saíram do outro lado onde o Rodinei foi mil vezes pior. Nota: 5,0.

Por Rafael Albuquerque – Twitter: @O_RafaelAlbuque

Piris da Motta: No jogo de hoje não foi bom marcador, não se posicionou bem, não deu sequência a nenhuma jogada. Conseguiu gerar um contra-ataque e no fim do jogo ganhou uma disputa, fora isso uma partida de baixa qualidade, principalmente pelo que estamos acostumados a ver do Flamengo. Mostrou hoje o porque é banco. Nota: 3,0.

Millena Dourado – Twitter: @millefalcon

Arão: Partida discreta, começou ditando o jogo, mas depois o rendimento caiu um pouco. Taticamente foi bem, mas sentiu falta do Gerson. Nota: 5,0.

Por Caroline Menezes – @kaka_menezes07

Everton Ribeiro: Jogou muito mal a partida, principalmente o primeiro tempo, errando muitos passes e não se apresentando para o jogo. Nota: 4,0.

Entrou Vitinho: Mal ficou em campo. Sem nota.

Entrou Gabriel Batista: Apesar de ter jogado pouco tempo e ter entrado frio no jogo, poderia ter evitado o segundo gol se fosse um goleiro mais experiente, saindo do gol para fechar o ângulo. Nota: 4,0.

Por Ivo Junior – Twitter: @ivofsjr

Arrascaeta: Partida insegura, ainda sem ritmo de jogo, ainda deu uma belíssima assistência para finalização que Gabriel perdeu. Nota: 6,0.

Entrou Gerson: Não conseguiu repetir as boas atuações anteriores, fez uma partida muito aquém do que costuma desempenhar. Nota: 4,0.

Por Willian Sian Herzog – Twitter: @willian_sian

Bruno Henrique: Um dos piores jogos no ano do camisa 27, pouco produtivo, se movimentou pouco e pareceu meio pregado. Ainda sim, conseguiu meio sem querer dar o passe para o segundo gol. Nota: 5,0.

Por Sérgio Ribeiro Twitter: @sergioribeiro04

Gabigol: Apesar do gol, não teve boa atuação, prendeu muito a bola, deu toque de efeito em momentos que não devia e não ajudou na marcação na frente, o pior tomou um cartão bobo, de novo. Nota: 4,0.

Por Marcio Marcondes – Twitter: @mjmarcondes

Jorge Jesus: Das duas uma: ou o time está cansado ou está aguardando a final da Libertadores. Nos dois casos Jesus terá que rever algumas de suas práticas. Pela segunda vez seguida o Flamengo entrou em campo numa rotação muito abaixo do que o português nos acostumou a ver. No primeiro tempo, os rubro-negros pressionaram a saída de bola do Goiás pouquíssimas vezes e a segurança defensiva ficou refém do impedimento. O esmeraldino ameaçou a partida inteira, porém esbarrava sempre na linha de impedimento funcional do Flamengo ou em seus próprios erros. Quando o impedimento não aconteceu o Goiás marcou seus gols. O ataque do Mais Querido também sofreu muito para criar. Com Rodinei e Piris da Mota em campo a saída de bola ficou a cargo de Filipe Luis e, infelizmente, o lateral-esquerdo esteve muito abaixo de seu usual, tornando a ida para o ataque complicada. A única arma ofensiva do Flamengo foi seu bom repertório de bolas alçadas à área, tanto que daí saíram os dois gols. Se mexe aí Mister, porque o Ney Franco soube parar o nosso Flamengo: CRÊ DEUS PAI TODO PODEROSO! Nota: 3,0.

Por Edson Lira – Twitter: @Edsonjslira

Não deixe de ler também

O MRN depende do apoio de leitores como você para continuar fazendo uma cobertura criativa, propositiva e ética do Clube de Regatas do Flamengo. ➡ Junte-se a nós

Compartilhar: