Compartilhar:

Uma semana após a decisão da Copa Sul-Americana entre Flamengo e Independiente, a questão mais debatida do futebol brasileiro é a possível punição da Conmebol ao Rubro-Negro, pelos inúmeros casos de badernas e agressões dentro e fora do Maracanã. Por diversas vezes a possibilidade de exclusão da Copa Libertadores da América de 2018 foi levantada.
Num momento em que um julgamento pode mexer profundamente na próxima temporada do Mais Querido, o MRN fez um levantamento das principais confusões em competições continentais da América do Sul e no que acarretaram, num exercício de tentar abalizar o desfecho mais provável do caso.

Veja o histórico:

Boca Junior 2 x 2 Sporting Cristal – Fase de grupos da Copa Libertadores da América de 1971

O jogo foi encerrado em meio ao segundo tempo após uma briga generalizada entre os times terminar com um saldo de 19 expulsos. A Conmebol deu a vitória para o Sporting Cristal e eliminou os argentinos da competição.

Colo-Colo 3 x 1 Boca Junior – Semifinal da Copa Libertadores da América de 1991

Torcedores chilenos entraram em campo disfarçados como fotógrafos e cameramans. Após o terceiro gol do time da casa, os infiltrados começaram a agredir os jogadores argentinos. Parte dos boquistas precisaram tomar pontos após no vestiário e o goleiro Navarro Montoya foi mordido por um cão da polícia. Ninguém foi punido e o Colo-Colo foi campeão naquele ano.

Vasco 0 x 2 River Plante – Supercopa dos Campeões de 1997

A partida foi interrompida por falta de segurança aos 25 minutos do segundo tempo, quando torcedores cruzmaltinos começaram a jogar objetos em campo e acertaram um dos auxiliares. Inicialmente o uso de São Januário foi suspenso por 18 meses pela Confederação Sul-Americana do Futebol, mas a entidade voltou atrás e anulou a punição.

Lanús 1 x 4 Atlético MG – Final da Conmebol de 1997

A goleada imposta pelo Atlético Mineiro no primeiro jogo da final fez os jogadores e torcedores do Lanús perderem a cabeça e partirem para a agressão contra atletas brasileiros após a partida. A delegação alvinegra foi encurralada contra o alambrado. Diversos jogadores foram agredidos, sendo o mais grave o lateral Dedê que desmaiou. Emerson Leão, técnico do Galo, teve que passar por cirurgia após ter parte do crânio afundado. O estádio do Lanús foi suspenso por 18 meses, o jogador Ruggeri por 10 jogos e outros cinco (Gustavo Siviero, Juan José Serrizuela, Ariel López, Ariel Ibagaza e Gustavo Giustozzi) por seis partidas.

Peñarol 3 x 2 Flamengo – Semifinal da Copa Mercosul de 1999

O resultado garantiu a classificação do Mais Querido à final da competição. Durante a comemoração dos brasileiros após o jogo, os uruguaios perderam a cabeça e começaram a agredir a delegação rubro-negra, que fugiu para o vestiário, mas não sem antes contabilizar diversos socos e pontapés em vários jogadores. Ninguém foi punido.

América do México 1 x 1 São Caetano – Oitavas-de-final da Copa Libertadores da América de 2004

Após um jogo tenso, o Azulão conseguiu a classificação em plena Cidade do México. O jogadores brasileiros comemoravam a conquista quando um gandula agrediu o goleiro Silvio Luiz, que revidou. O gesto inflamou a torcida que invadiu o campo duas vezes. Os brasileiros se salvaram após conseguir chegar ao vestiário. Sete torcedores foram presos e dez pessoas ficaram feridas. Ninguém foi punido.

Corinthians 1 x 3 River Plate – Oitavas-de-final da Copa Libertadores da América de 2006

A torcida paulista perde a cabeça após uma desclassificação sob amplo domínio do time argentino. Após um certo momento o público deixou de torcer e começou a incentivar que os jogadores brasileiros agredissem os visitantes. Alguns torcedores começaram a invadir o campo, culminando em uma tentativa em massa de invasão, impedida pela polícia. A Confederação Sul-Americana de Futebol suspendeu o uso do Pacaembu por um ano.

Cerro Porteño x Fluminense – Semifinal da Copa Sul-Americana de 2009

Os dois jogos foram marcados por agressões. Na partida de ida, após o término com a vitória do tricolor pela placar mínimo, os jogadores do Fluminense tiveram que esperar no meio campo os ânimos da torcida local se acalmarem, pois esses arremessavam pedras no gramado tentando acertar os vitoriosos. Na volta, nos últimos instantes da partida, que era vencida por 2 x 1 pelos mandantes, os jogadores reservas do Cerro partiram para agressão, causando um confusão generalizada.

San Jose 1 x 1 Corinthians – Fase de grupos da Copa Libertadores da América de 2013

O primeiro jogo das equipes na competição daquele ano entrou para a história como uma das maiores tragédias já ocorridas em partidas da Libertadores. O menino de 14 anos, Kevin Espada, morreu após ter sido atingido por um morteiro jogado por torcedores do time paulista em direção à torcida local. Após o caso, a Conmebol passou a proibir a entrada de qualquer material pirotécnico nos estádios, além de torcedores sob efeito de drogas. Foram presos 12 integrantes das torcidas organizadas do Corinthians, mas que foram soltos em menos de dois meses, após um deles, menor de idade, assumir a autoria do disparo. A punição dada pela instituição máxima do futebol na América do Sul foi o time paulista e a Confederação Boliviana de Futebol apagarem R$ 142 mil à família do jovem.

Olimpia 2 x 0 Atlético MG – Final da Copa Libertadores da América de 2013

Um comboio de três ônibus de torcedores brasileiros foi interceptado por paraguaios, que agrediram violentamente um fã do Galo, resultando em fratura exposta da vítima. A polícia só chegou depois e escoltou os torcedores da equipe mineira pelo resto do caminho. Três pessoas foram presas. Nenhuma punição foi imposta ao time paraguaio.

Boca Junior 0 x 0 River Plate – Oitavas-de-final da Copa Libertadores da América de 2015

Um torcedor do Boca Juniors jogou uma bomba de gás de pimenta no túnel de acesso ao gramado enquanto jogadores do River Plate passavam por ele em direção ao vestiário, no intervalo do jogo. Como esperado, a ação afetou diretamente o estado físico e mental dos atletas visitantes na Bombonera. O jogo foi suspenso e a Conmebol decidiu eliminar os boquistas, além de ter que jogar por quatro partidas como mandante e outras quatro como visitante sem presença de sua torcida e uma multa de U$ 200 mil. No início de 2016 a entidade diminuiu pela metade a punição das disputas sem torcida alegando “anistia pelo seu centenário da Conmebol”.

São Paulo 0 x 2 Atletico Nacional – Semifinal da Copa Libertadores da América de 2016

A eliminação fez com que integrantes de torcidas organizadas partissem para cima de outros torcedores do próprio time paulista, incluindo mulheres, crianças e idosos, segundo relatos em redes sociais. A polícia usou gás de pimenta para dispersar a confusão, mas acabou aumentando-a mais ainda. Muitas pessoas inocentes tiveram que correr ou aguardar dentro do estádio do Morumbi para não serem pegas no meio de uma praça de guerra nos arredores do local do jogo. Ninguém foi punido.

Peñarol 2 x 3 Palmeiras – Fase de grupos da Copa Libertadores da América de 2017

O resultado adverso e a consequente eliminação fez os jogadores do time uruguaio partirem para a agressão a jogadores do clube brasileiro, principalmente ao volante Felipe Melo, que ao chegar ao Palestra Itália afirmara que se preciso daria tapa na cara de uruguaio. O brasileiro revidou e a confusão generalizada foi instalada. Ainda em campo, a delegação brasileira foi impedida de chegar aos vestiários por um certo período em que os portões de acesso ficaram fechados. O goleiro Fernando Prass e o atacante William foram covardemente agredidos. Nas arquibancadas, a segurança particular contratada pelo clube mandante não foi suficiente para
conter seus torcedores, os quais agrediram os entusiastas do Palmeiras. O volante foi suspenso por seis jogos e o Palmeiras a realizar três partidas como visitante sem torcida, além de uma multa de U$ 80 mil. Logo após, a sentença dada ao jogador foi revista e ele foi liberado para jogar as oitavas-de-final da competição.

Santos 0 x 1 Barcelona da Guayaquil – Quartas-de-final da Copa Libertadores da América de 2017

A eliminação em casa fez os torcedores santistas perderem a cabeça. Ainda dentro do estádio objetos começaram a ser arremessados em diversos locais e até mesmo alguns tentaram invadir a sala de imprensa. O caos começou de vez quando, fora do estádio, policiais foram atingidos por objetos e revidaram as agressões. Ninguém foi punido.

 

Imagem em destaque: Matilde Compodonico/AP

Compartilhar: