Compartilhar:
O auxiliar Marcelo Salles, o Fera, que encerrou hoje sua passagem como técnico interinop do Flamengo. Foto: Alexandre Vidal/Flamengo

O auxiliar técnico permanente do Flamengo, Marcelo Salles, conhecido como Fera, causou desconfiança na torcida ao ser nomeado treinador interino após a demissão do técnico Abel Braga. O currículo dele desde 2009, quando foi auxiliar de Andrade na campanha do hexacampeonato brasileiro, não impressionava: somente passagens apagadas por clubes pequenos do futebol carioca.

Contratado no início do ano por indicação do vice-presidente de Futebol, Marcos Braz, para ocupar o lugar que estava vago desde a promoção de Mauricio Barbieri a treinador, Fera, porém, não decepcionou na primeira oportunidade que teve de assumir como técnico interino.

Nas quatro partidas de Fera como técnico, o Flamengo não sofreu nenhum gol — um feito para a equipe, entre os grandes, que tinha menos partidas sem ser vazada na temporada e tinha sofrido gol em todos os jogos do campeonato sob o comando de Abel. Fera conseguiu também classificar o Flamengo para a próxima fase da Copa do Brasil e conduzir o time ao G4 para a parada da Copa América — com Abel, a equipe estava em sexto lugar. A vitória contra o CSA foi também a primeira do Flamengo como visitante neste campeonato em cinco jogos.

A diretoria não se pronunciou sobre o futuro de Fera com a chegada do técnico português Jorge Jesus, mas a expectativa é que ele reassuma sua função de auxiliar permanente. Os jogadores entram de férias de uma semana amanhã, e no retorno, no dia 20, já serão treinados por Jesus.

Leia também

Compartilhar: