Select Page

Entre Walmarts e postos de gasolina (e minhas incertezas em um Flamengo x Vasco)

Entre Walmarts e postos de gasolina (e minhas incertezas em um Flamengo x Vasco)

Essa semana foi difícil. Estava em Carlsbad, New Mexico (who’s bad?) entre Guadalupe Mountains National Park e Carlsbad Caverns National Park, procurando um lugar para assistir Palestino x Flamengo. Perdi boa parte do primeiro tempo por motivos de… wi-fi de merda.

Desde a estréia do blog, recebi muitas mensagens no Twitter e no Instagram da galera perguntando como eu faço para não perder nenhum jogo. Primeiro: o Flamengo é uma prioridade. Se vai jogar, eu vou parar o que estou fazendo para vê-lo. Segundo: link pirata, irmão. Não existe outra opção para mim. Quem sabe em 30 anos, lá em 2047, quando os direitos  de exibição não forem da Globo, a FLA TV não tenha uma opção para você pagar para assistir aos jogos do Fla onde estiver. Meu sonho.

De volta a Carlsbad. Chegamos na cidade um dia antes do previsto e a idéia era dormir no Pilot, posto de gasolina que aceita pernoite para caminhoneiros. Não sou caminhoneiro mas o posto também permite que motorhomes passem a noite ali. Acontece que boa parte dos Pilots são gigantes, e este era minúsculo. Quando o posto é pequeno a gente parte pra outro lugar, pois não queremos tirar uma vaga de um caminhoneiro. Durmo muito em postos de gasolina pois são seguros. Caminhoneiros não são assassinos estupradores igual te ensinam no Brasil, e o wi-fi, pago, é sempre muito forte no estacionamento. Bom, fomos dormir no estacionamento do Walmart.

Pra quem mora em um motorhome e não quer gastar dinheiro pagando um campground toda noite, a solução é ser criativo e buscar lugares que aceitem pernoite de motorhomes. Walmart é a primeira opção por boa parte de quem tem esse estilo de vida. É interessante para quem viaja pois existem Walmarts espalhado pelo país inteiro; e é interessante para o Walmart porque ele sabe que em algum momento você vai lembrar que precisa comprar alguma coisa pra sua despensa, geladeira etc.

Chegamos no Walmart e fui direto lá pra dentro como sempre faço. Pra mim não existe ser discreto. Você está no supermercado com a frequência mais estranha do país carregando um macbook procurando o melhor ponto de wi-fi pra ver o jogo. Vai chamar a atenção e algum doido vai vir falar com você. Não achava o ponto certo do wi-fi de jeito nenhum e o link pirata travava a cada 30 segundo durante o primeiro tempo. Estava quase desistindo, voltando pro motorhome, quando, do lado de fora, achei um ponto que funcionava perfeitamente. Parei ali mesmo, sentei no chão, e vi o jogo inteiro. 5×2, primeiro tempo bizarro, segundo tempo que não vai me iludir, mas um importante passo rumo às oitavas da Sula. Fica aqui um pensamento: torço para que o Flamengo só pegue pedreira gringa na Sulamericana este ano. Não só vai, novamente, testar o time, como também irá fortalecer o grupo que quer vencer a Libertadores 2018.

MINHAS INCERTEZAS EM DIA DE FLAMENGO X VASCO

Escrevo poucas horas antes de Vasco x Flamengo em São Januário. Estou em Alamogordo, New Mexico. É a segunda vez que estamos aqui em dois anos. O mais legal de voltar a um lugar que você já foi, é encontrá-lo exatamente igual e entender todas as formas em que VOCÊ mudou durante esse período. Alamogordo abriga White Sands National Monument, um complexo de dunas brancas que mais parece outro planeta. Viemos fotografar para a We Are Alive e nossos clientes e fiz esse registro para o Flamengo.

Além de White Sands, existe um deserto em Alamogordo que é famoso. Em 1983 a Atari, com vergonha do seu fracassado game E.T., considerado pior game de todos os tempos – lançado com o aval de Steven Spielberg e tudo -, pegou os cartuchos encalhados na empresa e trouxe até o deserto sem muito alarde, os enterrando. A história virou mito, o mito virou lenda, e em 2014 uma equipe de documentaristas, junto com alguns geólogos, descobriram a localização dos cartuchos. Com a autorização da prefeitura de Alamogordo, começaram a cavar o deserto em busca dos cartuchos. Acharam 881 que foram leiloados, vendidos a 100 mil dólares. A história foi toda registrada no documentário “Atari: Game Over”. Tem no Netflix.

Agora estamos em Oliver Lee Memorial State Park. Ontem saímos de White Sands já de noite e resolvemos pagar 14 dólares para dormir aqui, em troca de eletricidade no motorhome. Faz 40 graus e nós e os cachorros precisamos do ar condicionado para dormir. Estou três horas atrasado em relação do Brasil, o jogo aqui é às 15h, e às 14h30 preciso correr para o Walmart para assistir a partida. Não sei se o wi-fi lá vai funcionar. Não sei se o link pirata vai ser tirado do ar pela Globo no meio da partida. Não sei se o Flamengo vai justificar sua supremacia perante ao adversário. A única certeza que tenho é que todo meu esforço para ver você jogar é pouco perto de todo o amor que sinto por você, Flamengo.

SRN!

Sou fotógrafo carioca morando em um motorhome com minha mulher e nossos cachorros, criando conteúdo pra We Are Alive e nossos clientes. Acima de tudo, rubro-negro! Inscreva-se no meu canal http://youtube.com/WeAreAlivenaestrada


O Mundo Rubro Negro precisa do seu apoio para não acabar, e melhorar ainda mais. Contribua mensalmente com nosso trabalho. Clique aqui: bit.ly/ApoiadorMRN


Este texto faz parte da plataforma de opinião MRN Blogs, portanto o conteúdo acima é de responsabilidade expressa de seu autor, assim como o uso de fontes e imagens de terceiros. Fale com o editor: [email protected].

About The Author

ANÚNCIO

APOIADORES

ANÚNCIO

Siga-nos no Twitter

NOTÍCIAS DO FLAMENGO