Compartilhar:

Derrota salgada para o time rubro-negro e sofrida para a torcida do Mais Querido. Eram reais as chances de vitória no Independência.

Jean Carlos Santos, do blog Análise do Jogo

Quinta rodada do Brasileirão, hora de ganhar mais 3 pontos e confirmar a boa fase do time. Antes, um Atlético Mineiro em seus domínios.

O jogo começa pegado, algumas faltas duras logo de início, porém, com o passar do tempo o Flamengo, mesmo jogando fora de casa, fez o que vem fazendo a temporada inteira: teve maior posse de bola e buscou o gol. Infelizmente nossos defeitos também vêm se repetindo, como os erros no último passe. Faltam, portanto, reais chances de gol.

Em uma dessas possíveis chances que poderiam ter sido criadas, um escanteio curto foi cobrado para em seguida um lateral longo ser feito. Não acredito que alguém possa ver lógica em tal atitude.

O time atleticano aceitou ser dominado e ficava apenas esperando uma chance para armar um contra-ataque. O seu gol veio não em jogada de contra-ataque mas sim em uma falha na saída de bola. Pergunto se Diego Alves assistiu ao jogo do Manchester City pela tarde e tenha se inspirado neles para sair de forma arriscada daquele jeito. Bom, não funcionou, e o erro na sua saída de bola derivou para um erro de Rodrigo e um golaço de Cazares.

Para nossa sorte Bruno Henrique é especialista em fazer gol de empate depois que os times mineiros abrem o placar contra o Flamengo. Com o 1 a 1 o time mineiro ficou mais solto em campo. E com mais espaços o Flamengo conseguiu criar boas chances. Até que no final do primeiro tempo, em um forte carrinho sofrido por Renê, Elias leva cartão vermelho direto (após uma interminável conversa do árbitro com seus amigos do VAR). A torcida rubro-negra se empolgou com a possibilidade de jogar todo o segundo tempo com um a mais. A vitória parecia uma questão de tempo.

bruno henrique flamengo atletico
Bruno Henrique foi feliz em jogada individual. Foto: Alexandre Vidal / Flamengo.

Ledo engano. O segundo tempo começou com outra bobeada da defesa, dessa vez de Léo Duarte. É incrível como nossa defesa segue levando muitos gols e algo urgente precisa ser feito para corrigir isso, principalmente visando nossa campanha em mata-mata de Libertadores. Com o revés no placar Após o segundo gol entra o dedo de Abel na partida, tirou Leo Duarte de campo, recuou Cuellar e encheu o time de atacantes. A esmo fomos para o ataque, até que criamos algumas chances de gols, merecíamos o empate, mas nem sempre o futebol é justo.

O Atlético, mesmo com um a menos, mostrou bastante raça dentro de campo para segurar o ataque rubro-negro e também contou com a sorte. Gabigol e Arrascaeta estavam em mais uma noite pouco inspirada. E os atacantes que entraram, Lincoln, Berrío e Vitinho, apenas tentavam chegar a meta adversária sem nenhuma tática preestabelecida.

rene flamengo atletico
Renê mais uma vez não foi feliz nos cruzamentos. Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

E o jogo foi se arrastando até terminar em uma derrota salgada para o time rubro-negro e sofrida para a torcida do Mais Querido. Eram reais as chances de vitória no Independência.

Saudações Rubro-Negras


Leia também

Compartilhar: