No dia 28 de junho, o Flamengo entrou em contato com a CBF buscando saber se o efeito suspensivo conseguido pelo peruano Paolo Guerrero, para jogar a Copa do Mundo, também o liberava para atuar no futebol brasileiro. Entretanto, a entidade máxima do futebol no país não soube esclarecer a dúvida. A informação foi divulgada em primeira mão pela jornalista Gabriela Moreira, da Espn. 

Em um texto de oito parágrafos, assinado por Carlos Eugenio Lopes, diretor jurídico, a CBF disse que a decisão do TAS suspendeu Paolo Guerrero por 14 meses e que o efeito suspensivo tinha como principal objetivo liberá-lo para participar do mundial, mas que não era específico. Entretanto, ao final da resposta, a entidade afirma que não tem competência para opinar com certeza sobre o caso e orientou o Flamengo a procurar o tribunal suíço.

Confira o trecho final do texto, divulgado pela ESPN

Tais considerações são oferecidas com sentido de colaboração com esse clube, mas não deve ser esquecido que a CBF não tem competência funcional que lhe permita opinar vinculativamente na matéria de que se trata. Permitimo-nos dizer que possivelmente esse clube deveria colher a opinião, aí sim vinculativa, do Tribunal Federal da Suíça, prolator da decisão sob análise“, encerra.

Relembre o caso

Em outubro do ano passado, após a partida contra a Argentina, válida pelas eliminatórias da Copa, Guerrero testou positivo para benzoilecgonina, sustância que aparece no chá de coca. Em dezembro, Guerrero conseguiu a redução da pena junto à Fifa para seis meses – o que permitiu ao peruano voltar a vestir a camisa do Flamengo em maio deste ano e liberaria o jogador para disputar a Copa.

Entretanto, após fazer apenas duas partidas pelo Fla, uma decisão do TAS, em maio, ampliou a pena para 14 meses, forçando Guerrero a estar fora dos gramados até janeiro de 2019. O peruano ingressou com uma ação no Tribunal Federal Suíço para derrubar a decisão.No dia 31 de maio, o SFT divulgou uma medida cautelar suspendendo a decisão da Corte Arbitral do Esporte (CAS). Com esta decisão, o peruano pôde disputar a Copa do Mundo por sua seleção.

O contrato do atacante com o Flamengo vai até agosto e, embora os dirigente do Rubro-Negro já tenham manifestado o interesse de prorrogar o vínculo, ainda não há acordo.

Imagem destacada nos posts e nas redes sociais: Gilvan de Souza / Flamengo


Quer que esse trabalho continue? Então precisamos que você torne-se apoiador do site! Acesse apoia.se/mrn e saiba como é fácil contribuir a partir de 5 reais mensais.