Compartilhar:

Neste sábado, em matéria assinada pelo jornalista Wilson Pimentel, do site Eu Rio!, foi divulgado que o Maracanã pode ficar fechado por até seis meses para novas reformas, visando receber jogos da Copa América, em 2019.  Entretanto, segundo o próprio consórcio que administra o estádio (Odebrecht), em checagem feita pelo jornalista Mauro Cezar Pereira, da ESPN, esse tempo de interdição não procede.

O Mundo Rubro Negro também apurou a notícia e confirmou a não procedência.

Ao Mauro Cezar, a Odebrecht informou que o calendário para atender às exigências da Copa América ainda está sendo conversado, mas garantiu que o Flamengo não ficará sem o Maracanã por um semestre. Embora não negue que o estádio possa ficar fechado perto da competição da Conmebol, já que o gramado precisa ser preparado para receber os jogos.

Leia também: Corrida contra o tempo: saiba até quando o Fla pode inscrever reforços nas competições em que está

Em 2018, o Flamengo assinou um acordo com a concessionária para mandar seus jogos no Maracanã. O contrato vai até 31 de dezembro de 2020 e prevê no mínimo 25 jogos por temporada. Na semana passada, em virtude do novo acordo assinado, Rubro-Negro rescindiu o contrato com a Associação Atlética Portuguesa para uso do estádio Luso-Brasileiro, na Ilha do Governador.


Imagem destacada nos posts e nas redes sociais: Gilvan de Souza / Flamengo

Quer que esse trabalho continue? Então precisamos que você torne-se apoiador do site! Acesse apoia.se/mrn e saiba como é fácil contribuir a partir de 5 reais mensais.

LEIA TAMBÉM

> Janela do meio do ano: relembre as contratações da gestão Bandeira de Mello
> Cruzeiro faz acordo com o Flamengo por dívida de Mancuello
> Com data de apresentação marcada, Vinicius Junior viaja para Madrid
> Consultada pelo Fla, CBF diz que não tem competência para opinar sobre a situação de Guerrero
> Decepções, revelações e acertos do primeiro semestre
>Por confusão no Palmeiras x Flamengo, Cuéllar e Dourado terão que cumprir apenas a suspensão automática
> FAQ Uribe: relacionamento com a torcida, comparação com Guerrero e perna preferida

Compartilhar: