O ano é 1990. Dez anos após a geração mais vitoriosa do Flamengo encantar o mundo, a esperança de mais uma década de muitos títulos estava depositada nos pés dos jovens jogadores que venceram a Copa São Paulo de Juniores daquele ano. A esperança, porém, virou decepção. Por causa de uma conjunção de erros de planejamento dos dirigentes rubro-negros, numa época onde o amadorismo falava mais alto, os principais nomes do time, pouco a pouco, alçaram voo para outras praças.

Aquele time, de Júnior Baiano, Marcelinho Carioca, Paulo Nunes, Djalminha e cia., ficou conhecido na Gávea como a “geração perdida”. Como era esperado, os jogadores fizeram muito sucesso no futebol e conquistaram grandes títulos. Todavia, longe do Flamengo.

Agora, mesmo que em contexto diferente, já que naquela época os dirigentes se desfizeram dos atletas a “preço de banana”, a história volta a se repetir. Sem conquistar títulos importantes desde 2013, o Rubro-Negro vê mais uma grande geração partindo para fazer sucesso fora do clube.

Time campeão da Copinha de 1990

Nesta quarta-feira (10), após realizar exames médicos, o jovem Lucas Paquetá, um dos grandes destaques do Flamengo na temporada, acertou sua transferência para o Milan (ITA). Assim como aconteceu com Vinicius Junior, Felipe Vizeu e Jorge, o meia pode deixar o Rubro-Negro sem conquistar nenhum título expressivo – a última oportunidade está na conquista do Campeonato Brasileiro.

A equipe da Gávea, que ficou por anos sem revelar grandes safras de bons jogadores, voltou a fazer jus a famosa expressão “craque o Flamengo faz em casa”. Mas não usufrui da qualidade técnica destes jovens por muito tempo – principalmente por causa da desleal disputa contra os europeus e da necessidade de fazer fluxo de caixa. Como uma barriga de aluguel remunerada, o Rubro-Negro forma seus jogadores para o mercado da bola.

Seguindo o mesmo roteiro de seus companheiros que foram negociados, outros pratas da casa já estão no radar dos europeus e dificilmente não seguirão o mesmo destino. São os casos do zagueiro Léo Duarte, do meia Reinier, que ainda está na equipe sub-20 e do atacante Lincoln.

 


Foto destacada: Gilvan de Souza/ Divulgação

Apoie o MRN e ajude o nosso projeto a melhorar cada vez mais. Com R$ 10,00 por mês você participa dos nossos grupos de discussão no Whatsapp e Telegram. Seja assinante no Picpay: picpay.me/MRN_CRF ou apoiador no Apoia.se: apoia.se/mrn. Pensa em alguma outra forma de parceria? Entre em contato pelo 21 99419-6540.

Inscreva-se no canal no Youtube e acompanhe os programas MRN Live, o MRN Entrevista e muito mais! > bit.ly/canaltvmrn

Leia também

> Sete grandes nordestinos que marcaram época no Flamengo

> CBF divulga trio de arbitragem que comandará Flamengo x Fluminense

> Flamengo divulga parcial de vendas para a partida contra o Fluminense

> Presidente da Assembleia Geral do Fla não descarta eleição em fim-de-semana; data será anunciada este mês

> Os desafios de Dorival na semana de preparação para o Fla-Flu

> Flamengo x Fluminense: locais, datas e horários para compra e troca de ingressos

> O Flamengo nasceu do Fluminense? Saiba a resposta neste papo entre pai e filho

> Candidatura de Ricardo Lomba pode ser impugnada

> Flamengo/Marinha soma seus primeiros pontos no Carioca Feminino 2018

> Flamengo vence Corinthians e quebra dois incômodos tabus em São Paulo

> Afirmação de Rueda escancara erro de planejamento do Flamengo para 2018

> Flamengo e Gávea: Futebol Feminino segue invencível no estádio em 2018

> Autoajuda

> Que venha 2019

> “Remontadas” – A ressurreição dos moribundos