Compartilhar:

Raphael Costa, da equipe MRN Informação

A torcida prometeu um espetáculo durante a semana. E cumpriu! Transformou a Jeunesse Arena no palco perfeito para a consagração do melhor time do League of Legends brasileiro nos últimos anos.

Após três finais, o Flamengo eSports finalmente solta o primeiro grito de campeão de sua curta história. O jogo foi contra seu algoz da final do primeiro split, a tradicional equipe INTZ. Graças a essa vitória, o time comandado por Von será o representante do Brasil no Mundial de League of Legends no mês de outubro.

A série melhor-de-cinco, que terminou 3 a 2 pro Flamengo, já entra para a história do eSport brasileiro como uma das melhores já disputadas, tanto pelo nível parelho das duas gigantes do cenário, quanto pelo verdadeiro caldeirão que a Nação fez para empurrar os Urubus para a vitória.

Como foram as partidas

A torcida que lotava a arena começou a tarde apreensiva. A INTZ venceu a primeira partida de maneira dominante. Destaque para a atuação de seu caçador Shini, com seu signature pick Gragas.

O abatimento tomou conta dos rostos de jogadores e comissão técnica do Flamengo. O fantasma de dois vice-campeonatos consecutivos apareceu.

No início da segunda partida, o roteiro se repetiu com o domínio dos Intrépidos, como são chamados os jogadores da INTZ. O time se posicionava melhor e conseguia dominar o mapa.

Até que, em uma luta relâmpago, Goku puxou o time pra cima dos adversários e conseguiu três eliminações, o bônus do Barão e o espaço pra acuar a INTZ, fazer mais um Barão e empatar a série.

A terceira partida começou com o Flamengo querendo ditando o ritmo. No entanto, duas decisões erradas no covil do Dragão e na rota do topo deram sete abates para o adversário e colocou os donos da casa na parede. Em caso de nova derrota na série, o time amargaria mais um vice. Dois a um na série para a INTZ e pressão para cima do Flamengo eSports.

Os Intrépidos só não contavam com a entrada do sexto jogador: a torcida do Flamengo. A torcida sentiu que o time precisava. E gritou desde os picks e bans.

A estratégia dos Urubus na quarta partida foi novamente a de ditar o ritmo do jogo com uma luta muito cedo na partida. Rendeu deu dois abates para a Irelia do Robô, e, com a vantagem adquirida, ele abateu seu adversário de rota abrindo uma frente imensa.

A partida se encaminhava a favor dos rubro-negros, mas a INTZ conseguiu armar uma execução de Barão na surdina que poderia virar a partida. Poderia… foi quando a Nação Rubro-Negra gritou a plenos pulmões pra alertar o time, que percebeu a movimentação e foi contestar o bônus.

E foi no barão que a partida terminou. De novo o Flamengo conquistou o bônus. Ema bela iniciação de Luci em seguida, abateu boa parte do time adversário e foi rumo ao Nexus inimigo, empatando a série e levando tudo pra ultima partida.

A decisão

O suporte coreano, muito criticado por sua atuação na final do primeiro Split justamente por ter sentido a pressão de jogar em um palco com a presença da torcida, deu a tônica do que seria o fim da série.

Após fazer a jogada vencedora no jogo anterior, Luci gritou muito e chamou a torcida pra dentro do Rift, fato que seria determinante para o quinto jogo.

O Flamengo começou conquistando o first blood e foi jogando utilizando a paciência em cima da INTZ. O rival parecia ter se abatido graças ao lance no Barão, e não conseguia encontrar respostas em jogo pra pressão absurda que a torcida colocou.

O Flamengo conquistou de pouco em pouco o mapa. Até que, em mais uma iniciação relâmpago, conseguiu três abates, abrindo espaço pra execução de mais um Barão. Com o bônus em mãos, foi mais fácil empurrar o adversário.

De maneira avassaladora o Flamengo foi destruindo torre após torre para chegar ao Nexus. O Flamengo agora é o campeão do 2º Split do CBLOL, o título brasileiro da modalidade.

Comemoração

Após a partida, brTT estava muito emocionado. Mais uma vez lembrou de seu avô, principal incentivador na carreira do LoL e rubro-negro.
“É complicado até falar o quanto é importante essa vitória para mim. Representa muito. Primeiro pelo meu avô. Sempre assistíamos aos jogos do Flamengo juntos. Ele era muito flamenguista”, disse o ídolo do LoL brasileiro.

Flamengo eSports é campeão brasileiro de League of Legends.
Flamengo eSports, campeão brasileiro, comemora o titulo fazendo referencia ao artilheiro Gabigol

O atirador ainda mostrou irreverência ao citar a brincadeira do cheirinho que tomou as redes sociais também nas derrotas do Flamengo eSports: “Com certeza acabou a palhaçada do cheirinho”.

Também falou do possível fim da equipe em caso de derrota, entretanto, preferiu destacar sua trajetória pessoal: “Mais do que acabar o projeto do Flamengo, eu estava preocupado com o brTT, com minha reação à final. Tenho 28 anos e sou um dos mais velhos do cenário. Felizmente, me reencontrei no caminho”.

Já Robô, outro destaque da série, apontou a visita ao Maracanã e a torcida do Flamengo como um dos fatores para a conquista do título: “Com certeza deu muito ânimo ter visto o Flamengo no Maracanã. Quando chegamos, a Urubarons estava fazendo uma festa sensacional. Foram o nosso sexto jogador, nos apoiando nas derrotas e empurrando nas vitórias”.

O Flamengo eSports agora aguarda a definição das vagas restantes para o Mundial da modalidade, que começa no dia 02 de outubro.

Não deixe de ler também

O MRN depende do apoio de leitores como você para continuar fazendo uma cobertura criativa, propositiva e ética do Clube de Regatas do Flamengo. ➡ Junte-se a nós

Compartilhar: