30 de julho de 2017. A 17ª rodada do Campeonato Brasileiro daquele ano teve, entre os seus 10 jogos, um dos maiores clássicos do futebol brasileiro: Corinthians x Flamengo. Confronto entre os campeões estaduais da temporada, aspirantes ao título do principal torneio nacional, que marcou o retorno de um atleta ao futebol de seu país e a sua estreia com a camisa do Flamengo: iniciava ali, a jornada de Diego Alves no Flamengo.

Voltemos agora ao dia 17 de julho de 2017. Foi quando o Mais Querido anunciou oficialmente a contratação do arqueiro de 32 anos, com passagens por Atlético-MG, Almeria e Valencia. Após 10 anos jogando na Espanha, Diego retornava ao seu país, para um novo desafio: jogar no time com a maior torcida do mundo.

Na Espanha, ficou conhecido pelas suas defesas em cobranças de pênaltis. Na sua década na Europa, pegou 25 das 52 penalidades máximas cobrados pelos adversários, entre eles, Cristiano Ronaldo (3 vezes), Messi, Griezzman, Diego Costa, entre outros.

Média de 0,81 gol sofrido por partida. Não sofreu gol em 51,02% das partidas. Créditos nas estatísticas: Adriano Skrzypa/MRN

Voltamos ao Flamengo. Mais precisamente, na Arena Corinthians. Uma estreia segura, embora com um tempo curto de adaptação (menos de duas semanas). Não conseguiu evitar o gol de Jô, mas fez uma defesa importante no fim do jogo, garantindo o empate como visitante. Foi a primeira vez que o Flamengo pontuou no estádio, visto que que foi derrotado nos três jogos anteriores na Arena Corinthians.

Mesmo assim, seu início foi questionado por vários rubro-negros. Nos primeiros quatro jogos, um empate e três derrotas, além de 8 gols sofridos. A temporada foi seguindo, as boas atuações foram aparecendo (Diego não sofreu gols em 10 jogos em 2017), defendeu seu primeiro pênalti com o Manto Sagrado (contra a Ponte Preta) e assim seguiu até o dia 23 de novembro.

Diego pegou seu primeiro pênalti pelo Flamengo contra a Ponte Preta. Foto: Eduardo Carmim/Folhapress

Flamengo x Junior Barranquilla. Maracanã. Jogo de ida das semifinais da Copa Sul Americana 2017. Aos 15 minutos, Diego Alves divide com González, sente uma lesão e é substituído por Alex Muralha. O exame realizado instantes depois aponta uma fratura na clavícula direita. Sua temporada acabava ali, com 24 partidas, 25 gols sofridos e um pênalti defendido em 4 disputados. 

Quase três meses depois, mais precisamente no dia 21 de fevereiro de 2018, Diego Alves voltava a vestir o Manto Sagrado, em partida válida pelo Campeonato Carioca, na goleada diante o Madureira, por 4 a 0. Com reservas e Alves utilizado para adquirir ritmo de jogo visando a Libertadores, o Flamengo sofreu o revés por 4 a 0 no Fla-Flu, antes do empate com o River Plate em 2×2. Pouco depois, voltou a pegar pênalti – contra a Portuguesa, pelo estadual.

Em 6 cobranças, Diego defendeu duas, representando 33,33% de aproveitamento.

Atualmente Diego está em sua melhor fase pelo Rubro-Negro, sem dúvidas. Nesta temporada, disputou 25 jogos oficiais, sofreu 15 gols (média de 0,6 por partida) em 10 jogos, e não foi vazado em 15 confrontos.

Sofreu apenas dois gols nos seus últimos quatorze jogos, mostrando atuações seguras e defesas fundamentais nos triunfos do Mengão. Não sofreu gol nas últimas 3 partidas da Libertadores e nos dois duelos contra a Ponte Preta, pela Copa do Brasil. Parece que finalmente a Nação olha para o gol com a segurança de ter um goleiro do tamanho de suas  ambições, algo que não acontecia desde que Bruno defendia a meta Rubro-Negra.

Créditos imagem destacada: Gilvan de Souza/Flamengo

Quer ser apoiador do Mundo Rubro Negro? CLIQUE AQUI