Compartilhar:

A quarta temporada da parceria envolvendo o Clube de Regatas do Flamengo e a Marinha do Brasil resultou em mais um título conquistado de maneira invicta e uma eliminação dolorida nas semifinais. O Futebol Feminino Rubro-Negro manteve a média de conquistar ao menos um título por temporada: foram nove competições disputadas e cinco títulos alcançados (um em 2015, dois em 2016, um em 2017 e um em 2018).

Com apenas dois torneios nesta temporada, o Flamengo/Marinha sagrou-se tetracampeão estadual – de forma invicta e sem sofrer gols – , e foi eliminado nas semifinais do Campeonato Brasileiro A1, diante do Corinthians.

Estatísticas – Flamengo/Marinha em 2018

26 Jogos – 18 Vitórias (2 por W.O) – 3 Empates – 5 Derrotas – 77 Gols Marcados – 23 Gols Sofridos

73,07% de aproveitamento

Jogos

O Tenente Ricardo Abrantes, técnico da equipe, utilizou 34 atletas ao longo da temporada (10 a mais do que em relação à 2017). A lateral Fernanda Palermo foi a atleta que mais disputou partidas pela equipe, com 23 jogos disputados. A zagueira Day e a atacante Larissa aparecem logo em seguida, com 21 jogos cada.

Gols e Cartões

Com média de quase três gols por partida (77 tentos em 26 jogos), o Flamengo/Marinha deu show no setor ofensivo em 2018. A atacante Dany Helena, uma das contratações da equipe para a temporada, sagrou-se a artilheira da equipe na temporada, com 19 gols. Além disso, Dany foi convocada para a Seleção Feminina Principal, após belíssima participação no Brasileirão, sendo a artilheira com 15 gols. Flávia acabou na vice-liderança, com 12 gols (um a mais do que em 2017). A atacante Larissa completa o Top 3, tendo balançado as redes nove vezes em 2018.

Bia Menezes e Day foram as atletas que mais receberam cartões amarelos – três cada- na temporada. No total, foram 22 cartões amarelos e 2 vermelhos distribuídos (entre 14 atletas da equipe). Assistências não foram computadas, devido à falta de material para análise da mesma.

Comparação em relação aos anos anteriores

Aproveitamento ligeiramente superior em relação ao ano passado. Vale destacar a mesma quantia de empates e derrotas, desde 2016. Assim como em 2017, conquistamos o Carioca, e acabamos não chegando à final do Campeonato Brasileiro. Houve uma redução no número de cartões amarelos, mas ocorreram as duas primeiras expulsões na história da equipe.

Adriano Skrzypa é professor de Educação Física e apaixonado por números no futebol. Siga-o no Twitter: @FlamengoNumeros


Este texto faz parte da plataforma de opinião MRN Blogs, portanto o conteúdo acima é de responsabilidade expressa de seu autor, assim como o uso de fontes e imagens de terceiros. O Mundo Rubro Negro respeita todas as opiniões contrárias. Nossa ideia é sempre promover o fórum sadio de ideias. Email: [email protected].
Compartilhar: