Compartilhar:

 
Cada brasileiro, vivo ou morto já foi Flamengo por um instante, por um dia.” (Nelson Rodrigues)

 
Agosto passou rápido, né? Mesmo com 5 (CINCO) semanas e as mais variadas e folclóricas histórias sobre o demorado oitavo mês do ano, tudo foi razoavelmente rápido e menos dolorido do que em outros períodos do ano Rubro-Negro. Que tal algumas observações sobre o Mengão nesses 31 dias tão agitados e de mudanças bruscas? Vamos lá!

Comecemos pelo começo, rs.

São dois de agosto e o Fla enfrenta o Santos (de novo!), dessa vez no Pacaembu. Após duas partidas entre os dois times pela Copa do Brasil. (Esquece o Vaz, tá? Foi em julho. Já passou!) O confronto era válido pela décima oitava rodada do fraco Brasileirão que o Mengo faz. Jogo movimentado, terceiro uniforme lindão, muitos gols, mas a derrota frustrante após flerte com uma brilhante vitória em São Paulo deu uma entristecida. Roteiro repetido? Já disse! Esquece, já passou.

Tá lendo em silêncio? Mentaliza a voz do Cid Moreira e segue.

Domingo, 6 de agosto de 2017. Está no ar uma derrota vergonhosa do Flamengo com a Ilha do Urubu lotada. Pode seguir lendo na sua voz, ou não. Perdemos  em casa para o Vitória que começava a ganhar fôlego, mas ainda estava na zona de rebaixamento e, naturalmente, teria que sair do Rio sem ponto algum a mais na tabela. O então técnico Zé Ricardo, vivendo seu pior momento desde a fatídica eliminação na Libertadores, ousava na escalação. Com um 4-1-4-1 que o blogueiro em questão tanto sonha em ver, mas que precisaria de bastante treino pra ser eficiente, o Fla entrou em campo após um longo tempo sem Márcio Araújo (prometo que não falo mais dele) e, não por isso, sofreu muito no meio campo. O revés custou ao técnico seu cargo e ao elenco junto à diretoria a cobrança da torcida por uma resposta rápida em campo.
 

Quem fez o primeiro como profissional já em competição internacional, Vini?

 
Na quarta, Jayme comandou o time contra o Palestino que veio ao Rio passear. Aquele 5 a 0 que ninguém acha nada demais. Todos estão ansiosos para a chegada do novo técnico. Já conhecido por todos, mas ainda não anunciado oficialmente. Fla classificado com um placar agregado de 10 a 2 contra o carrasco da mesma competição ano passado. Segue o baile!

Vamos a Minas Gerais? Rueda chegou, isso mesmo, o novo técnico do Flamengo é Reinaldo Rueda que acabara de chegar ao Rio de janeiro e já seguia pra BH onde acompanharia mais um vexame em campo. Com show de Luan (Micale tirou ele da masmorra na cidade do Galo pra causar sofrimento a Miguel Trauco), o Atlético venceu por 2 a 0. Ele já assinou? Tomara que não desista e resolva ir embora, rs.

Anuncia aí, cara! Todo mundo já sabe quem é.
 

 
Não há tempo! Vira a chave rapidão aí que tem o primeiro clássico da semifinal da Copa do Brasil contra o Botafogo. Corre gente! O Rueda precisa de um visto de trabalho. Será que dá tempo? Fica bom logo, Guerrero! O setorista chato tá dizendo que não dá tempo Do visto ficar pronto pra ele trabalhar no jogo. E o Guerrero tá melhor? Não, não tá. Rueda liberado. Guerrero não. Concentra-se que o tempo não para. Nem em agosto. Já estamos no dia dezesseis do “mês de cachorro louco”. Respira fundo… 0 a 0.

 

Quer saber? Palmas pra você!


 

Brilha, Vinícius! BRILHA! “Todo mundo espera alguma coisa de um sábado a noite…” Estamos na Ilha. Vazia. Alguns animados pelo empate promissor no Engenhão, outros descrentes de alguma mudança no panorama do Brasileirão, muitos mais preferindo não ir prestigiar um time com a molecada na missão de resolver a parada lá na frente e com nosso técnico estreando em casa. Paquetá de 9? Será que isso dá certo? Deu muito certo. Ao lado de Vinícius Jr, o Mengão venceu por 2 a 0 e a esperança se renova, mas a chave, que tá ficando desgastada, tem que ser virada de novo.

 

Berrío entorta marcador


 

O Maraca já tá cheio pra ver Berrío mostrar a quem se acha rápido que, além de correr, tem jogo de cintura e mandou um dibre daqueles antes de “dar voltando” pro Homão da Porra, dizer a ele “Se consagra, mi hijo” e vê-lo marcar pra garantir nossa vaga na #FinalDeTimeGrande.  Festa da nação em cima de um rival estadual que se acha grande, pra variar.

– Vai com calma, agosto. Que pressa é essa?
– Tá animado aí, Matuto? Me aguarde.
– Sai fora. Acabou a brincadeira!
– Rs

Ilha do Urubu. Rodada 22, Atlético Paranaense, 16:00. Vitória por 2 a 0 e a gente já começa a se iludir de novo. “Sei não, mas acho que dá.” Não precisa muito pra tudo mudar de rumo na cabeça do rubro-negro.
 

Fala aí quem é o Homi Lindo. Tá ouvindo, Rodi?

 
Tudo ia bem até voltar ao calendário a tal de Primeira Liga (aquela!) pra confusão mental dominar nossa cabeça. Volta aí no diálogo. Tá vendo esse riso de canto de boca de agosto? Parte da confiança virou preocupação. Final é final!

Não parece tão rápido assim quando a gente vê o tanto de coisa que aconteceu. Mas algo é certo. O bicho pegou e ainda deixou um monte de coisa pra se resolver mais a frente.  A vida não para, queridos! Futebol é vida! Imagina pra nós Rubro-Negros?

O resto é setembro, outubro, novembro e dezembro…
 

Saudações Rubro-Negras!

 

Urubu Matuto
 
Raony Furtado é mais um cearense apaixonado pelo Mengão. Além de ser rubro-negro matuto, é professor de educação física e treinador (e massagista, psicólogo, preparador físico etc.) do gigante Marechal FC, do município de Mauriti. Siga-o no Twitter: @UrubuMatuto

 


Este texto faz parte da plataforma de opinião MRN Blogs, portanto o conteúdo acima é de responsabilidade expressa de seu autor, assim como o uso de fontes e imagens de terceiros. O Mundo Rubro Negro respeita todas as opiniões contrárias. Nossa ideia é sempre promover o fórum sadio de ideias. Email: [email protected].

Vire Apoiador do MRN: entenda melhor clicando nesse nesse link: bit.ly/ApoiadorMRN

Outra forma de ajudar este projeto:
– Nosso site faz parte do plano de afiliados do Nação, o programa de sócio-torcedor do Flamengo. Se você clicar em bit.ly/STdoMRN e aderir ao programa, ou até mesmo renovar seu atual plano, o Mundo Rubro Negro ganha 50% da sua primeira mensalidade.

Compartilhar: