Compartilhar:

Não tratem como profano aquilo que nós, os torcedores, tratamos como sacro. Futebol não é apenas um esporte e o Flamengo nunca foi apenas um time.

O Flamengo é este fenômeno inexplicável que invade sua TV aberta em uma quinta-feira à noite, te mantém acordado até o dia seguinte e depois de dezoito anos chega à final de um torneio continental com o Juan jogando como se o ano fosse 1999.

Justamente quando o insucesso e o improvável resolvem caminhar lado a lado, surge novamente o Flamengo desconstruindo seus sofismas, desfazendo suas teorias rasas e provando aos especialistas que a especialidade da casa é confundir todos aqueles que insistem em gerar prognósticos ao maior contrariador de possibilidades do universo.

César, Paquetá e Vizeu surpreendem a vocês, nós não. Estamos sempre acreditando que Reinaldos e Lês são eternos e quando menos esperam, o Flamengo que cria crises como ninguém, também cria craques em seu próprio quintal.

Habitam em nós todos os sonhos do mundo, a fé que remove montanhas está sempre guardada em nosso bolso como se fosse do tamanho de um grão de mostarda. Se a racionalidade sucumbiu a crença no improvável, faça o caminho de volta e não desperdice a melhor coisa do mundo: viva o Flamengo que surge para nós em diversos momentos como remédio para a alma, disfarce para nossas tristezas e as vezes a única possibilidade de alegria aos mais sofridos.

A alegria de ser Flamengo nos permite sonhar com o impossível e sempre desejar alcançar o inatingível. A história não comporta definições para amor tão irracional. Seja na alegria, seja na tristeza, o Flamengo sempre faz valer a pena.

Aconselho a você, que seja Flamengo também.

 

Fábio Justino escreveu para o site oficial do Flamengo, O Globo (Online), para o extinto Magia Rubro Negra e agora rascunha aqui no Mundo Rubro Negro. Siga-o no Twitter: @fabiojusttino

 
Imagem destacada no post e redes sociais: Gilvan de Souza / Flamengo

Compartilhar: