Classificações na Libertadores e Copa do Brasil e parte de cima da tabela no Brasileiro. Os próximos 33 dias são cruciais para as pretensões do Flamengo em 2018

 
2018 começou com muita desconfiança após uma temporada anterior muito conturbada, que por sua vez, teve os mesmos ingredientes das últimas temporadas do Flamengo: vexames, falta de títulos de expressão, troca de treinadores e, sobretudo, um péssimo futebol apresentado dentro de campo.

E todas as previsões negativas parecem que estão se confirmando. E com requintes de crueldade. A aposta em Carpegiani não vingou. Seu time foi eliminado, em um dos Cariocas de mais baixo nível da história, por um Botafogo com folha salarial três vezes menor. A primeira fase da Libertadores parece ter virado um muro alto demais para o Flamengo transpor. O Campeonato Brasileiro é uma maratona que exige muito preparo e performance de longo prazo, ou seja, não é para o nosso bico. E a Copa do Brasil exige nervos de aço e poder de fogo, algo que definitivamente não temos. Se não bastassem as fragilidades do time, ainda há a política da Gávea permeando todas as decisões em pleno ano eleitoral.

Em meio a isso a realidade dos próximos 33 dias acena com 10 jogos, o que equivale a entrar em campo a cada três dias e oito horas. Neste sábado (21/04) a torcida já comprou mais de 40 mil ingressos para a segunda rodada do Campeonato Brasileiro, no Maracanã. O jogo contra o América-MG ficará marcado como o de despedida de Julio Cesar do futebol, mas que também vale três pontos. O Flamengo estreou mal na competição, trazendo de Salvador apenas um empate contra o fraco Vitória, prejudicado pela arbitragem, mas que esteve à frente do placar por duas vezes.

Após o jogo contra o Coelho, o início de uma jornada de mais de 20 mil quilômetros, em um itinerário que começa com a longa viagem para Bogotá, na Colômbia. O jogo diante do Independiente Santa Fé é crucial para as pretensões rubro-negras. Uma derrota pode significar uma situação bastante delicada na luta pela classificação. É preciso pontuar de qualquer maneira.

Da Libertadores para o Brasileiro. O mandante é o Ceará, na capital Fortaleza. O retorno para o Rio já acontece às vésperas do certame de ida das oitavas da Copa do Brasil contra a Ponte Preta. O retorno de Campinas acumulará mais de 14 mil quilômetros no programa de milhagem do time. O sobe e desce dos voos e o entra e sai das concentrações dos hotéis dará pouco tempo para Barbieri (ou qualquer outro técnico) aprimorar o entrosamento ou até mesmo testar algumas novas ideias para resolver alguns dos problemas que o time apresenta.

Se o Flamengo trouxer na bagagem bons resultados certamente ganha uma semana de afagos, e a paz necessária para a preparação visando os próximos dois jogos, que serão realizados no Rio de Janeiro. Sem o desgaste das viagens, os atletas têm a oportunidade de dar início a uma retomada na confiança da torcida. Para que isso ocorra basta que derrotem o Internacional pela quarta rodada do Brasileiro e se classifiquem para as quartas da Copa do Brasil.

Percorrendo este cenário positivo, com boa possibilidade de seguir na Libertadores, na parte de cima da tabela do Brasileiro e classificado para na Copa do Brasil, a viagem para Santa Catarina de forma alguma parecerá um fardo. Certamente a Nação fará grande festa no Aeroporto Municipal Serafin Enoss Bertaso, para enfrentar o time da cidade. Perder pontos na quinta rodada do Brasileiro não será lamentada pela torcida se diante dos equatorianos do Emelec o Mais Querido fizer sua parte, no último jogo em casa na fase de grupos da Libertadores e o primeiro com portões abertos (e ingressos caríssimos) para a Nação.

Provavelmente o drama da Libertadores permanecerá até o jogo contra o River Plate. Antes da última viagem dessa nossa esperançosa jornada. Antes porém, o clássico diante do Vasco. O retrospecto diante do arquirrival não tem sido lá dos melhores nos últimos anos. Uma vitória em cima do time do ex-comandante Zé Ricardo multiplica o ânimo vermelho e preto. E provavelmente deixa o time em uma posição muito boa na tabela de classificação dos BR2018.

Diante do River a provação final desse grande percurso. Até aqui procuramos direcionar essa história para um final feliz. Outros enredos são mais do que apenas possíveis. Infelizmente eles são bastante prováveis. Ser derrotado pelo Santa Fé no dia 25/04. Não passar pela Ponte Preta na Copa do Brasil. Não vencer o Emelec em pleno Maracanã lotado dia. Namorar com a zona de rebaixamento do Brasileiro.

Após o apito final no Monumental de Nuñez, os jogadores, comissão técnica, dirigentes, repórteres e torcida, poderão ter uma das mais espinhentas situações dos mais de 120 anos de Clube de Regatas do Flamengo: fora da Libertadores, eliminado na Copa do Brasil e irrecuperavelmente mal no Brasileiro. É um pesadelo que pode ser vivido por mais de 40 milhões. Os sinais que o time vem nos mostrando até aqui são desanimadores, é verdade, mas só mesmo o tempo, a distância e o destino sabem com precisão o que está reservado para estes próximos 10 jogos.

 

Créditos das imagens destacada no post e redes sociais: Gilvan de Souza / Flamengo

 
Quer ser apoiador do Mundo Rubro Negro? CLIQUE AQUI

LEIA TAMBÉM

> Com R$ 2,4Mi já garantidos nas oitavas, Flamengo “campeão” da Copa do Brasil vale R$ 62Mi
> Imbróglio no STJD faz Fla ainda não ter certeza de quem enfrentará na Copa do Brasil
> Flamengo enfrenta Ponte Preta na Copa do Brasil
> Há 34 anos, Fla massacrava o Santos no Morumbi pela Libertadores
> Reforços falam sobre suas expectativas para o 2018 do Flamengo/Marinha
> Flamengo 1 x 1 Santa Fé. Levanta-defunto às ordens
> Atuações de Flamengo X Santa Fé
> Diego afirma que insatisfação com empate é geral e que o Flamengo irá se classificar
> Eles, os que trazem o amor
> O Flamengo tipográfico no caderno escolar de Fabio Lopez