Compartilhar:

Por George Castro. Twitter: @George_CRF

Parando para pensar, 35 anos sem chegar numa semi final de libertadores é vergonha sim, mas a minha vergonha é ver como o Flamengo foi mal gerido nesse período.

Financeiramente e esportivamente. E a maior prova disso é o momento que estamos vivendo. Só de pensar que o clube teve uma dívida que chegou perto de ser bilionária e conseguiu mudar de patamar em apenas sete anos, é pra deixar qualquer um com raiva.

É claro que os tempos são outros. Hoje temos receitas e práticas de gestão que não existiam 35 anos atrás. Mas isso não justifica a gestão esportiva pobre em títulos nesse período.

A primeira vitória da chapa azul, no já longínquo ano de 2012, significou um novo horizonte na gestão do mais querido. A dívida que antes parecia impagável, foi equacionada e paga.

Finalmente agora, com dinheiro em caixa era esperado que o sucesso esportivo viesse. Entretanto, a gestão EBM pecou muito em suas escolhas na pasta do futebol. 

Post mais recente do autor no Resenha: A garotada 100% na Rubens League

Com a casa arrumada e com dinheiro em caixa, uma nova gestão se iniciou em 2019. E agora sim nós estamos vendo o Flamengo com um elenco forte, do tipo que o dinheiro pode formar. 

O que faltou de agressividade no mercado de jogadores nos anos anteriores sobrou em 2019. Tiramos a dupla de ataque de um rival nacional, fizemos a maior contratação interna da história do futebol brasileiro e ainda trouxemos da Europa jogadores que ainda estão em alto nível. Todos chegaram com vontade de vencer, com fome de títulos, jogadores que se identificaram com a Nação e entenderam a nossa grandeza.

Tivemos que esperar 35 anos para ver isso

Não quero aqui fazer propaganda pra atual diretoria, pois discordo de muitas coisas que eles fazem. Acontece que Landim foi certeiro na escolha do Marcos Braz como VP. E também por não interferir no trabalho dele.

Seja como for, posso dizer que em toda a minha vida de flamenguista eu nunca vi uma leva de reforços tão boa quanto a de 2019. Todos deram retorno. E todos os que chegaram foram aumentando o patamar do time. Inclusive o Mister, o portuga mais pilhado que eu já vi na vida.

Foto: Alexandre Vidal / Flamengo

O erro chamado Abel Braga quase nos custou uma temporada. Até pra corrigir esse erro a diretoria foi bem. Muito bem.

O português Jorge Jesus chegou como se já fosse de casa. Ele sempre foi flamenguista e nem sabia, teve que vir ao novo mundo para descobrir.

Seja como for, descobriu algo maior, algo que nos move, e esse algo é a paixão pelo Flamengo. Dá pra ver que o Mister tá apaixonado pelo Flamengo. Já era JJ, você nunca mais será o mesmo. Uma vez Flamengo, Flamengo até morrer. 

Por fim, que essa mudança seja pra sempre e contínua. Bem como nossas glórias sejam eternas e que venham 35 anos de títulos empilhados.

O futuro é nosso!!! SRN.

Não deixe de ler também

O MRN depende do apoio de leitores como você para continuar fazendo uma cobertura criativa, propositiva e ética do Clube de Regatas do Flamengo. ➡ Junte-se a nós

Compartilhar: