Desde terça-feira (06/09) fora do Rio, o Flamengo volta à Cidade Maravilhosa com o objetivo alcançado. Na quarta, derrotou a Ponte Preta em Cariacica e neste sábado, de virada, superou o Vitória em Salvador. Com os resultados, o Rubro-Negro empatou em número de pontos (46)  e vitórias (14) com o Palmeiras, que ainda joga na rodada, diante do Grêmio, em Porto Alegre. Zé Ricardo concedeu entrevista no Barradão após o triunfo do Flamengo por 2 a 1 sobre o time baiano e falou sobre a sequência vitoriosa da equipe no campeonato.

O Flamengo conquistou a 4ª vitória seguida no Brasileirão. Apesar dos resultados positivos, Zé Ricardo não deixa se empolgar com o momento da equipe e evita fazer previsões.“Temos os pés no chão. Sabemos que ainda faltam muitos jogos, todos extremamente difíceis. Na partida de hoje, tivemos a dificuldade de começarmos atrás no placar, mas conseguimos nos manter concentrados e conseguimos a virada. Foi bem complicado devido a grande partida do goleiro do Vitória. Foi uma semana complicada para nós, mas conseguimos os seis pontos nos dois jogos e alcançamos nosso objetivo”.

A ausência de Everton entre os titulares causou estranheza em alguns torcedores que até chegaram a questionar via redes sociais a opção do treinador. Zé Ricardo explicou na coletiva o porquê da decisão de poupar o camisa 22 e iniciar a partida com Fernandinho, jogador que apresentava um melhor rendimento quando entrava no decorrer das partidas.

“Temos um elenco grande e com nível técnico bem semelhante. Fiz a opção por poupar o Éverton nesse jogo pois ele vinha de nove partidas consecutivas entre os onze iniciais. Ele é um jogador que cobre muitas partes do campo, sempre faz uma quilometragem muito alta. Saiu de campo bastante desgastado contra a Ponte Preta e os números indicaram que ele corria risco de lesão caso começasse jogando hoje. O Fernandinho tem entrado bem no decorrer dos jogos. Quando acertamos nossa saída de bola pelo lado direito, ele teve a oportunidade e marcou o gol de empate”.

O sucesso de Zé Ricardo à frente das categorias de Base e agora do time profissional do Flamengo não é por acaso. Zé se dedica ao que faz. Além do papo de boleiro, fundamental para todo treinador, o técnico do Mais Querido estuda os adversários que enfrenta. Com o Vitória não foi diferente. Mesmo o time baiano estando na zona de rebaixamento, Zé se preocupou com o que iria encarar.


“Vimos o jogo do Vitória contra o Atlético-MG, quando eles fizeram um bom primeiro tempo. Sabíamos que eles viriam marcando forte, com muita pressão e que nos causariam dificuldades na saída de bola. A surpresa foi que o Mancini botou um time mais leve em campo, com Serginho e Cárdenas juntos. No início essa pressão funcionou, faltou um pouco de apoio, aproximando Gabriel e Fernandinho do Diego. O Vitória está em uma situação complicada na tabela, tinha que partir pra cima. Entendemos que seria natural uma pressão no começo. Depois dos minutos iniciais, conseguimos mais a posse de bola quando Márcio e Arão acertaram o posicionamento no meio”.

Contra o Vitória, foi a terceira vez que o Flamengo conseguiu virar o placar e sair de campo vencedor sob o comando de Zé Ricardo. Os outros jogos foram contra a Ponte Preta, em Campinas, na estreia de Zé e, Figueirense pela Copa Sul-Americana em Cariacica. O treinador apontou o amadurecimento da equipe como uma das principais razões pelos resultados alcançados.

“Cada jogo tem uma história. A única característica em comum é que todos são confrontos difíceis. Sabíamos que seria uma partida muito complicada. Viemos conscientes de que se não nos doássemos ao máximo, não conseguiríamos sair daqui com os três pontos. Temos um grupo maduro, que sabe jogar sob pressão e, no momento certo, vai crescendo na competição, mostrando toda a força que tem”, finalizou o treinador.

Crédito imagem destacada: Gilvan de Souza / Flamengo