resenha rubro negra

Já repararam que a relação do mercado do futebol com o Flamengo já mudou? Que voltamos a ser um bom lugar para jogar ou para ter seu jogador? Repararam que só esse ano dois jogadores brigaram com seus clubes para vir pro Flamengo?

Feitiçaria? Tecnologia? Ocultismo? Fakes egípcios? O que aconteceu exatamente?

Bem, parece que começamos a colher os frutos daquilo que foi plantado em 2013 com o início de uma nova era na gestão flamenguista. Não quero entrar na questão de méritos, mas é irresistível não pensar nas recompensas.

Tivemos 3 anos de sérias restrições no orçamento do futebol e sofremos com isso. Contratamos pacotão do interior paulista e disputamos a Libertadores com um elenco muito abaixo do que temos hoje.

Todos esses anos de AUSTERIDADE(™) nos trouxeram até um ponto onde agora temos capacidade de investimento. E conforme prometido, a cada ano o clube investe mais. E agora começou a investir melhor.


A contratação do Guerrero pode ter sido o pontapé inicial. Um alto salário que não atrasou uma só vez, uma baita demonstração de solidez financeira. Acha que é pouco? Isso é uma clara mensagem a todos, se contratamos é porque podemos pagar. O chilique da mídia 7×1 com as finanças do clube não é por acaso.

Some a isso o nosso CT, cujo módulo principal foi prometido para Outubro e as obras estão avançando. Temos o Centro de Excelência e Performance (CEP Fla) e o trabalho da Exos. Parece uma visão distante daquele Flamengo bagunçado da corja.

A realidade agora é que o clube virou um dos melhores lugares para se trabalhar no Brasil.

Parece que Diego aceitou baixar a pedida salarial, mesmo que ainda — caso realmente venha — ganhe um alto salário. Donatti brigou para estar aqui, Arão brigou para estar aqui. Damião aceitou um salário menor e escolheu vir pra cá, Mancuello escolheu vir pra cá.

É inegável que existe uma mudança na visão do mundo do futebol sobre o novo Flamengo. O clube se transformou e quem dormiu nesse período caiu da cama quando acordou, daí se explica o hilário desespero da mídia 7×1, cujo bairrismo a impediu de ver o que acontecia no time de maior torcida do Brasil.

É ótimo vivenciar isso, um momento que tanto esperamos e que em algumas vezes tememos que não chegaria. Sei que é cedo pra comemorar e tudo mais, mas que é muito bom ver as coisas acontecendo ninguém pode negar.

 

Rumo a Tóquio, SRN.

 

Crédito da imagem destacada: Facebook/Divulgação