Brasília tem mais de 800 mil rubro-negros e a influência das Torcidas Organizadas dentro e fora do estádio não poderia deixar de ser grande. Se no interior do estádio o grande problema era o entoar de cantos diferentes em um mesmo momento, numa espécie de cabo-de-guerra sonoro, onde quem perde é sempre é o espetáculo e o time dentro de campo, pois a força da arquibancada fica fragmentada. E fora do estádio, mesmo nos arredores ou bairros mais afastados, a violência entre os grupos é uma preocupação constante.

Uma reunião entre a Polícia Militar da capital e os líderes de torcida, entretanto, pode fazer ecoar o verdadeiro e arrebatador som da Maior Torcida do Mundo dentro do Estádio Nacional de Brasília neste domingo (10), no jogo entre Flamengo x Atlético-MG, às 11h. E ainda espantar qualquer tipo de batalha entre torcedores do mesmo time pela cidade.

Algumas das maiores e mais representativas TO’s, Raça Rubro-Negra, Torcida Jovem Fla, Urubuzada e Flamigos, selaram acordo de convivência esta semana e prometeram fazer do palco maior do Flamengo na temporada um caldeirão de cantos e hinos do Mais Querido do Brasil.

 

Embaixada FlaBrasília aproximou lideranças

Leonardo Buarque, da Embaixada FlaBrasília, falou ao MRN sobre o papel da Embaixada na aproximação das lideranças: “É um sonho antigo nosso ter as torcidas juntas. Criamos um grupo no Whatsapp com a intenção de aproximar os representantes das TO’s e hoje isso aconteceu. Ver que eles agora vão participar do jogo de uma maneira unida é uma satisfação enorme”.

Buarque ressaltou também que esse é o começo de muitas ações em conjunto: “Importante demais esse papel conciliador da FlaBrasília, estamos muito contentes com essa vitória. Brasília era notória na comunidade rubro-negr por ser um local de forte retaliação entre as nossas Torcidas Organizadas”.


“O mérito foi todo deles (dos líderes), eles trocaram ideia e se entenderam. Espero que daqui pra frente tudo ocorra”, finalizou Buarque.

Setor Misto

O acordo se torna mais representativo neste momento em que a política de vendas de ingressos do Flamengo inclui alta carga de ingressos para os visitantes. No jogo deste domingo, o Flamengo disponibizou um setor exclusivo para os torcedores de TO’s do Galo acima do previsto pelo regulamento da CBF (10% para visitantes) e cerca de mais vinte mil ingressos serão destinados ao chamado Setor Misto, podendo ser adquiridos por ambas as torcidas.

Atleticanos que moram em Brasília são estimados em pouco menos de 30 mil, contudo, a possibilidade de serem maioria no estádio faz com que a torcida de Minas Gerais se organize e viaje até a capital do país. Notícias dão conta de dezenas de caravanas de torcedores alvinegros com a promessa de invadirem os dois setores.

VP de Administração diz que Setor Misto nunca foi problema

Em sua conta no Twitter, o VP de Administração Rafael Strauch, declarou que no antigo Maracanã as Cadeiras Azuis, Geral e Arquibancada Branca eram setores mistos e que atualmente são os setores Oeste e Leste. A declaração não foi bem recebida pelos seus seguidores que o lembraram as diferenças específicas em mandar os jogos no Rio de Janeiro com essa configuração em contrapartida a anunciar setores mistos em mandos de campos em outras cidades, que geram demanda de público para o adversário.

O comentarista da ESPN Brasil, Mauro César Pereira, ferrenho crítico da política de ingressos do Flamengo, lembrou que as torcidas adversárias nunca foram recebidas tão cordialmente. Exemplificou com uma foto de Flamengo x Santos, final do Brasileiro de 1983, salientando o espaço destinado à torcida do Peixe à época.

 

Lembrando que:
No Old Maracanã as cadeiras azuis, geral e arq branca eram mistas.
Já no Novo Maracanã setores Oeste e Leste são mistos.

— Rafael Strauch (@RafaStrauch) July 8, 2016

Na imagem destacada no alto do post: Abel – Urubuzada, Gabriel – Urubuzada, Gabriel – Raça Rubro-Negra, Danielton – Raça Rubro-Negra, William – Raça Rubro-Negra, Uelber – Torcida Jovem Fla, Thiago – Flamigos, William – Flamigos. Foto: Divulgação.