Soneto da Libertadores

Noites como a que ontem vivi
São as que nos alimentam a alma
Intensa mistura de sentimentos extremos
Acabam com o pouco que tenho de calma

Da pilastra 41 é gol do Flamengo
Em minutos vejo um chileno empatar
De costas pro campo, busco esperança
Como se só lá no alto pudesse encontrar

Assim que me viro, vira o nosso centroavante
Alegria desmedida, infinita apenas enquanto dura
Veio a vitória, mas ainda não veio a classificação

Depois de um mar de contas, lembro por um instante
Não existiria o dia claro, se não fosse a noite escura
Glórias precedidas de lutas, assim foi forjada a Nação


 
Felipe Foureaux escreve todas as quintas-feiras. Siga-o no Twitter: @FoureauxFla


Este texto faz parte da plataforma de opinião MRN Blogs, portanto o conteúdo acima é de responsabilidade expressa de seu autor, assim como o uso de fontes e imagens de terceiros. O Mundo Rubro Negro respeita todas as opiniões contrárias. Nossa ideia é sempre promover o fórum sadio de ideias. Email: [email protected].

Vire Apoiador do MRN: entenda melhor clicando nesse nesse link: bit.ly/ApoiadorMRN

Outra forma de ajudar este projeto:
– Nosso site faz parte do plano de afiliados do Nação, o programa de sócio-torcedor do Flamengo. Se você clicar em bit.ly/STdoMRN e aderir ao programa, ou até mesmo renovar seu atual plano, o Mundo Rubro Negro ganha 50% da sua primeira mensalidade.