Base

Não deu para o time Sub-20 do Mengão. Na tarde deste sábado (06/08) os Garotos do Ninho foram derrotados pelo Botafogo por 1 a 0 no Luso Brasileiro, resultado que levou a decisão do Estadual para os pênaltis já que a equipe rubro-negra vencera a primeira partida por 2 a 1, em Nova Iguaçu. Nas penalidades o Alvinegro levou a melhor por 5 a 4 já nas cobranças alternadas e faturou o Campeonato Carioca Sub-20 2016.

O bicampeonato carioca não veio mas a Nação Rubro-Negra tem muito do que se orgulhar. Os juniores fizeram uma campanha de recuperação extraordinária na competição e chegaram a conquistar a Taça Rio. Por que campanha de superação? Vamos explicar.

Destaques da conquista do Tri da Copinha, o goleiro Thiago, o zagueiro Léo Duarte, o volante Ronaldo e o atacante Felipe Vizeu foram integrados ao elenco profissional. Fato que deixou a torcida muito feliz pois essa é a principal função da Base, revelar jogadores. Se por um lado o time profissional foi beneficiado, pois o elenco ficou bem mais encorpado, o técnico Zé Ricardo recebeu a missão de remontar o time Sub-20 já que os quatro jogadores eram os pilares da equipe.

Jogadores como Gabriel Ramos, Fabrício, André Baumer e Igor Candiota chegaram e atletas do juvenil subiram. Como em toda reconstrução, o início foi complicado. Lucas Paquetá também foi para o time profissional após um bom início no Estadual. O Flamengo fez uma Taça Guanabara bem irregular e conseguiu ficar entre os quatro primeiros colocados apenas na última rodada quando derrotou o Tigres do Brasil num confronto direto pela semifinal.

Com a vaga conquistada, coube ao Flamengo enfrentar o invicto Botafogo, melhor time da fase classificatória. Uma derrota na Gávea e um empate no Caio Martins impediram que o Rubro-Negro chegasse à decisão do primeiro turno.

Lucas Silva Sub-20

Lucas Silva foi o artilheiro do Flamengo no Carioca com 16 gols. Foto: Gilvan de Souza

O time não abaixou a cabeça, mostrou mais uma vez que poderia se superar e assim o fez conquistando sete vitórias nos dez primeiros jogos da Taça Rio sendo dois clássicos (Vasco e Flu). A sequência positiva fez o Flamengo entrar no G4 e até liderar o segundo turno no Estadual.

O bom trabalho de Zé Ricardo lhe rendeu uma chance no time profissional. O treinador assumiu interinamente a equipe no Brasileirão após a confirmação da saída de Muricy Ramalho por conta de problemas de saúde. Gilmar Popoca que treinava o juvenil passou a comandar os juniores.

Concomitantemente com a disputa da Taça Rio, o Flamengo iniciou a campanha em busca do título inédito de campeão brasileiro. O Mais Querido, porém, não conseguiu repetir a boa campanha de 2015 quando ficou a um triunfo da final. A eliminação desta vez aconteceu na primeira fase sem ter conquistado uma vitória sequer.

Com os olhos novamente voltados para o certame estadual o Flamengo se dedicou à conquista da Taça Rio. Excetuando-se o duelo contra o Friburguense o time treinado por Gilmar Popoca pontuou em todos os jogos e inclusive venceu a revanche contra o Botafogo no Caio Martins. A vitória rendeu ao Mengão a conquista do Torneio Super Clássicos.

O Flamengo enfrentou o Vasco nas semifinais e selou a classificação para a final com um empate por 1 a 1 no estádio Nivaldo Pereira e uma vitória por 3 a 1 na Gávea. Com dois jogos impecáveis tendo Matheus Sávio e Lucas Silva como destaques, o Mengão derrotou o Botafogo por 3 a 1 em ambos os jogos e faturou pelo segundo ano seguido a Taça Rio.

Não houve muito tempo para comemoração. Três dias após a final as equipes já voltaram a campo desta vez para decidirem o campeonato. O Flamengo largou na frente com uma vitória por 2 a 1. No jogo de volta derrota por 1 a 0 no tempo normal. O time jogou com um a menos o segundo tempo inteiro já que Michael fora expulso na primeira etapa. Ainda assim o Flamengo levou perigo mesmo tendo que jogar contra 12. Nas penalidades o goleiro João Lopes fez duas defesas mas já nas cobranças alternadas o experiente Trindade desperdiçou para o Fla.

O sentimento de frustração e decepção são normais nesse momento. Mas é preciso entender que a vida não é só feita de conquistas. A derrota é dolorida mas pode funcionar como oportunidade de aprendizado. O Sub-20 se mostrou um grupo forte quando em diversos momentos da competição teve que se superar. É preciso erguer a cabeça e mais uma vez dar a volta por cima.

Os próximos desafios do Sub-20 são o Torneio Otávio Pinto Guimarães, a Copa do Brasil e a Copa Ipiranga.

Crédito imagem destacada: Gilvan de Souza 


A opinião do autor não reflete necessariamente a opinião do Mundo Rubro Negro.

O Mundo Rubro Negro precisa do seu apoio. Contribua mensalmente com nosso trabalho. Clique aqui: bit.ly/ApoiadorMRN