Foto: UOL Esportes

 

E o Flamengo começa o campeonato na montanha russa. Ganhou três pontos. Perdeu três pontos. Dessa forma chegaremos aos 45 pontos na 30ª rodada, o que não é bom, mas também não é trágico.

Nessa competição, parece que ninguém é de ninguém. As rodadas apresentaram resultados  diferentes  para quase todos os times. Apenas Figueirense e América reproduziram os pontos da primeira rodada. Para o simpático Coelho pior, pois já colou na lanterna sem pontuar, apontando uma tendência de irregularidade no desempenho das equipes mineiras.

Fazendo um esforço para antever as tendências, uma breve análise dos jogos pode nos comprovar o nivelamento das principais equipes:

Grêmio 1×0 Flamengo – Começamos com algumas boas notícias. Não fomos goleados  conforme as previsões dos corneteiros do apocalipse, Paulo Vitor foi um responsável direto por isso, e alguns jogadores foram bem, como Léo Duarte e Juan, Cuellar e Alan Patrick e o Ederson entrou muito bem fazendo boas jogadas pelo lado esquerdo do ataque do Fla.

Por outro lado, algumas situações continuam preocupantes. O retorno de Márcio Araújo, embora dentro de um esquema favorável a um segundo volante, parece ser feito para provocar a parte significativa da Torcida que não suporta mais vê-lo na Gávea. Jorge muito mal. Rodinei é bom no apoio, mas uma avenida na marcação. Everton decepcionante, e Guerrero nos dá mostras de reiterada  irritação e alguma insatisfação.

O time fez uma partida razoável no primeiro tempo, chegando a ser melhor que o adversário em boa parte do jogo. No segundo tempo o Grêmio voltou bem melhor e só Jayme de Almeida não via que o gol tricolor estava amadurecido. E o gol veio em um velho conhecido lance para nós rubro-negros, de cobrança de escanteio. Muitos querem crucificar nossa zaga, em particular Léo Duarte, mas eu prefiro enaltecer a qualidade do jogador gremista, que fez uma excelente partida e um golaço de cabeça.

Vetor zero

Imagem: Divulgação

Tendências: Flamengo – Há um conjunto de contingências que podem atrapalhar o time, a indefinição da situação do treinador, a ausência do Maracanã, a crise política que se avizinha no Clube e a falta um elenco equilibrado. Há necessidade em se pontuar bem nesse início, para que não fiquemos mais um ano alheios a disputa de algo mais digno que não ser rebaixado. Grêmio – deverá fazer aquela campanha suficiente para ficar no G5 lutando pelo G4. O que me envergonha é que o treinador deles, mesmo sem ter muita experiência, organiza seu time melhor que o badalado Muricy.

Ponte Preta 2×1 Palmeiras – A derrota do Porco me surpreendeu. Vi boa parte do jogo, e considero o placar injusto, pois a Ponte Preta merecia ter ganhado de mais. Isso liga o sinal de alerta, pois uma equipe como a da Macaca pode tirar pontos de grandes equipes. Já o Palmeiras me lembrou o futebol da era pré Cuca, muito confuso Tendências: Não mudo minha opinião, Palmeiras briga por título e G4; a Ponte ainda é uma incógnita.

Fluminense 2×2 Santa Cruz – Vi boa parte do segundo tempo desse jogo. A arbitragem conseguiu errar em três gols, mas o mais grave, a meu ver, foi o pênalti inexistente marcado em Grafite. Por fim, o resultado pode ser encarado como justo. Tendências: Mantenho as projeções da primeira rodada – Fluminense briga pelo título; Santa Cruz será carne de pescoço para todos, pelo menos no primeiro turno.

Cruzeiro 2×2 Figueirense – Não consigo assistir a jogos do Cruzeiro. Entendo perfeitamente sua torcida, o time dá sono. Foi a estreia do técnico português Paulo Bento. Deu sorte de não perder. Vai ter muito trabalho. O atacante He Man do Figueira tirou onda, ao fazer dois gols.  Tendências: equipes não disputam título; Cruzeiro é uma total incógnita; Figueira pode repetir as últimas temporadas brigando para não cair.

Santos 2×1 Coritiba – O tal do Kleber por pouco comandou uma vitória semelhante a que teve pra cima da gente lá em Brasília. Mas como não houve vencedor nos 90 minutos de tempo regulamentar, o árbitro levou a partida para a “morte súbita”, até o Peixe fazer o gol da virada. Os “coxinhas” estão reclamado até agora…  Tendências:  Santos ficar pelo meio da tabela e Coritiba reproduzir campanha dos últimos anos.

Atlético/PR 1×1 Atlético/MG – Essa partida eu vi na íntegra. Gostei por que foi um jogo bem disputado. O time mineiro é melhor, mas a equipe paranaense foi bem aplicada, com alguns jogadores se superando. O fã do André Lima deve ter ficado em êxtase com o gol de seu ídolo. A arbitragem foi mal, a ponto de irritar não só a torcida local, mas também o treinador Paulo Autuori do Atlético/PR. O juiz não teve critério, ao marcar um pênalti para o Galo em um toque de mão, mas ignorar lance análogo na área adversária. Tendências: Galo G5 e título; Furacão briga para não cair.

Vitória 3×2 Corinthians – Para mim, a zebra da rodada. Mas tem algo de podre nos gambás. Continuo sem saber como joga o time Bahiano, mas vou descobrir. Tendências: Corinthians – A crise corintiana aumentar, pois o problema de baixo rendimento não é de hoje; Vitória tornou-se uma incógnita.

São Paulo 1×2 Internacional – Esperava mais do tricolor paulista, mas o Inter tem um jogador que eu queria no Flamengo, Vitinho. Ele e o Sasha acabaram com os bambis.  Tendências: São Paulo acordar após sair da Libertadores; Internacional, mais uma ano de quase…

Chapecoense 3×1 América Mineiro – O time catarinense virou para cima do Coelho. Acredito que tenha ocorrido algo que eu já tinha percebido no Campeonato Mineiro, o América aparenta problemas em sua preparação física, pois a equipe costuma definhar diante dos adversários, nos 15 minutos finais.   Tendências: Chapecoense – cumprir a meta de ficar na primeira divisão; América – o meio de tabela que eu projetava já começa a dar indícios de impossibilidade.

Sport 1×1 Botafogo – Jogo duro de ver, tanto que eu não vi. Só fui saber do resultado escutando o programa Quatro em Campo da Rádio CBN, onde tive a impressão que o Foguinho foi até melhor. Se isso for verdade, a nossa vitória contra os pernambucanos na primeira rodada pouco nos serve de base. Tendências: Os dois times baterem 22 penalidades máximas na decisão da segundona no ano que vem…

Pra completar, eu quero destacar que fiquei assustado com a quantidade de estádios vazios na rodada. Nem me recorso de ver um jogo no Sul contra o Grêmio com tão pouca gente. Isso pode ser um indicativo, além do econômico, que as pessoas estão pouco motivadas com o que podem apresentar seus times do coração.

A diferença técnica entre as equipes está tão pequena, que a presença do torcedor pode ser um diferencial para se obter melhor sorte na temporada. Em função disso, não me agrada o distanciamento e a falta de confiança da Magnética para com esse elenco do Flamengo. Já abraçamos times bem piores no passado. A falta de paciência não pode ser a nossa tônica.

Precisamos cobrar resultados a diretoria e devemos apoiar o time em campo. Ficar sonhando com Adriano, Bruno e até mesmo Sampaoli poderá nos levar a um nível de frustração muito grande. E olha que sou fã do Didico e sonho com Sampaoli treinando o Flamengo. Mas a nossa realidade atual é esse elenco que aí está.

Se eu pudesse escalar o Flamengo atualmente seria assim: Paulo Vitor ou Muralha, Léo Duarte e Juan. Rodinei, Cuellar, Ronaldo e Jorge. Alan Patrick, Arão ou Mancuello, Ederson e Guerrero.

Que São Judas nos auxilie na montagem do time titular.

 

Cordiais saudações!