Quero ser grande – a maioridade que não veio aos 18

Quero ser grande – a maioridade que não veio aos 18

Sou um grande fã de Tom Hanks. Quem me conhece sabe que ele me chamou a atenção desde a comédia “A Última Festa de Solteiro”, uma comédia despretensiosa que, para a década de 80, possui um humor ousado, com cenas que fazem alusão a sexualidade e as drogas, apesar do filme ser recomendado para a idade acima de 12 anos.



Mas acredito que a primeira grande filmagem de Tom tenha sido no “Quero Ser Grande”, onde há uma cena antológica em que Hanks e Robert Loggia tocam “Heart and Soul” com os pés em um grande teclado.  Não quero tirar o prazer de quem ainda não assistiu essa produção, ou aqueles que desejam o deleite de revê-la. Mas a sinopse relata um menino que é barrado no parque em função de sua baixa estatura. Ele encontra uma máquina que o transforma em um adulto de 30 anos.

Mas o que “Quero ser Grande” tem a ver com o Mengão? Afinal ele já nasceu com enorme envergadura. Ocorre que ao chegarmos na 18ª rodada do Brasileirão, todos nós esperávamos que o Flamengo assumisse o seu gigantismo e ocupasse a liderança da competição. Porém Zé Ricardo, embora possua méritos por organizar a equipe de maneira bem mais competitiva que seus antecessores, ainda teima em reservar cotas para perebas no time titular.

Essa relutância em escalar os melhores jogadores nos custou dois, e por muito pouco, três pontos contra o Santos. Manter Márcio Araújo na equipe e insistir com o inócuo Fernandinho é uma ofensa a quem gosta do futebol bem jogado. Nesse pacote eu poderia incluir Chiquinho, mas não vou fazê-lo por uma questão de justiça. Primeiro por que ele foi escalado circunstancialmente, segundo por que Chiquinho tem uma vantagem, não se omite, sempre se apresentando para o jogo e se aplicando muito na marcação.

Observem que não estou defendendo a titularidade de Chiquinho. Inclusive, em minha opinião, o Flamengo poderia ter obtido melhor solução para a lateral esquerda no mercado, todavia reconheço que para a posição dele atualmente não temos tantas opções como para as vagas dos outros dois perebas. Ou seja, Zé Ricardo quer ser grande, mas não se esforça para sê-lo e salvo se obtiver alguma conquista significativa a frente do Flamengo nesta temporada, sua permanência será incerta em 2017.

Para os que amam Márcio Araújo eu faço uma pergunta objetiva: Cuellar é pior que ele? Responda com sinceridade.  E mais, Fernandinho justificou sua contratação? Fernandinho fez pelo menos uma partida convincente, de modo a receber tantas oportunidades? Nosso treinador demonstra conhecer os adversários, mas será que ele sabe mais do grupo, do que somos capazes de ver em campo?

Concluo com algumas considerações. Há pessoas que nascem com o dom de jogar bola. Muitas delas conseguem chegar a um clube e aprendem a jogar futebol. Porém, muito me impressiona como chegam a categoria profissional atletas que não sabem jogar nem bola, nem futebol e ainda ganham mais de R$50.000,00 mensais.

O Zé Ricardo tem uma sorte e um azar. Sorte que meu sobrenome é “Paciência”. Azar que meu nome seja “Sem”. E é isso. Não mando em absolutamente nada no futebol profissional do Flamengo, mas eu não suporto mais ver jogador ruim ser escalado, quando há melhores no banco de reservas. Na minha idade eu cheguei a conclusão de que as pessoas devem procurar a sabedoria conforme aumente a idade. Caso contrário estarão fadadas a serem sempre pequenas.

20160804132631_128

Foto: Site Oficial do Flamengo

O jogo:

Santos 0x0 Flamengo

Inegavelmente a partida começou com um Flamengo levando muita dificuldade a saída de bola do adversário. E Zé Ricardo posicionou Marcelo Cirino para jogar nas costas do lateral Caju do Santos, que era envolvido com as subidas de Pará, e também com as chegadas de Willian Arão. A impressão que se tinha era a de que o gol do Flamengo estava amadurecido, mas tivemos a fatalidade de Cirino ter que sair por lesão muscular.

Ao optar por colocar Fernandinho na vaga de Marcelo Cirino, certamente o treinador do Flamengo não imaginava que o jogador fosse errar todas as jogadas que tentou. A questão é muito clara, Fernandinho conseguiu irritar boa parte da Magnética, e agradar muito o time adversário. Fernandinho provavelmente foi o melhor zagueiro do Santos. E enfatizo a pequenez de seu futebol expressa em seu nome “inho”. Ninguém escala um improdutivo desses e fica impune.

Outro que me irritou profundamente foi Márcio Araújo. O cara se esconde do jogo, provavelmente por ter desenvolvido algum senso autocrítico. Ela provavelmente já descobriu que “alguém lá em cima” gosta muito dele, pois ser titular no Atlético Mineiro, Palmeiras e Flamengo com esse futebol medíocre que ele tem, só pode ser obra do Todo Poderoso. O problema é que teremos que pedir para São Judas Tadeu falar com os deuses do futebol que fica difícil conquistar títulos importantes com jogador ruim.

Enfatizo que o problema não é pessoal, tampouco passional. E mais, nem sempre escalar os melhores será garantia de vitória. A questão é objetiva. O treinador tem que colocar o que tem de melhor em campo. Eu e boa parte da Magnética acreditamos que Zé Ricardo está abdicando de fazê-lo. Se alguém souber dos motivos, que fale agora ou se cale para sempre.

O time melhorou com as entradas de Mancuello e Adryan. Confesso que Adryan me surpreendeu, pois tive a impressão de que ele estaria acima do peso, mas talvez em meu imaginário ele ainda fosse aquele menino da base. E Adryan colocou Mancu e Guerrero na cara do gol. Em pouco tempo de partida Adryan fez muito mais que Fernandinho. Não é possível que nosso treinador não chegue a esta constatação.

O placar de 0x0 foi injusto em relação ao que foi o jogo. Que fosse 1×1. E se tivesse que existir um vencedor, este seria o Flamengo. Mas o tanto que eu tento ser humilde e o Mengão não deixa, eu quero ver um time doutrinador em campo. Aí que não está deixando é o Zé Ricardo, que tanto defendi a efetivação…

Tendências: Santos – Assumiu a liderança da competição, mas não demonstra robustez que gere confiança para mantê-la.  Flamengo – Decepcionou a Torcida, porém nada está perdido. Uma vitória na última rodada do turno, em função da instabilidade dos demais, pode significar a tão sonhada entrada e permanência no G4.

Outros jogos da 18ª rodada:

Vitória 3×1 Coritiba – Grande resultado para o Vitória que como ressaltei em comentários anteriores, acaba compensado a limitação técnica com muita vontade. O Coxa, por sua vez, se colocou em situação delicada no campeonato. Tendências: Vitória – Meio de tabela; Coritiba – Lutar muito para não cair.

Sport 1×1 América/MG – Parece que o time de Pernambuco teve que ter uma mão da arbitragem para empatar com o lanterna do campeonato.  Tendências: Sport – Meio de tabela; América – UTI.

Atlético/PR 2×0 Corinthians – Eu já era fã do Walter. Agora que ele ensacou os Gambás, até uma vaga no Mengão eu defendo para ele. Tendências: Atlético/PR – Oscila na competição, mas bem próximo ao G4; Corinthians – Cristóvão não é Tite. A queda de rendimento é previsível.

Ponte Preta 2×0 Botafogo – Deu a lógica. Opa! Que lógica? Dois times sem vergonha. Tendências: Ponte Preta – Bater só em cachorro morto; Botafogo – Cachorro morto.

São Paulo 1×2 Atlético/MG – A equipe paulista também tem uns perebas que dificultam a boa prática do futebol. O placar foi justo, pelo que o Galo jogou no primeiro tempo. Na segunda etapa os atacantes tricolores consagraram o goleiro Vitor. Tendências: Meio de tabela para os bâmbis. Atlético/MG – Tem consistência para assumir a liderança, além de contar com muita sorte, pois até os perebas estão se destacando.

Grêmio 0x0 Santa Cruz – A equipe gaúcha era franca favorita, mas os pernambucanos seguraram o empate. Tendências: Grêmio – Se continuar vacilando, os tricolores do Sul sairão do G4; Santa Cruz – Assumiu que luta para não cair.

Cruzeiro 4×2 Internacional – Clássico dos desesperados. Mano Menezes puxou Falcão para baixo.  Tendências: Se bobear trocarão de lugar na tabela em breve. Os gaúchos estão em queda livre. Já os celestes podem sair do Z4 já na próxima rodada, dependendo de combinação de resultados.

Chapecoense 1×1 Palmeiras– Nem vi, só que o Porco tá vacilando. A Chape vai somando ponto. Tendências: Chapecoense – O de sempre. Palmeiras – Cuca terá que tirar coelho de cartola para Manter seu time na ponta.

Fluminense x Figueirense – Primeira vitória do Fluminense no Tapetão deste ano. Os tricolores conseguiram adiar em um mês o compromisso contra os catarinenses, sob a legação de que não teria policiamento para garantir segurança para jogar no Rio agora, em função do efetivo estar totalmente disponível para as Olimpíadas.

 

Cordiais Saudações Rubro-Negras!

Seja um #ApoiadorMRN! Ajude contribuindo com R$ 5, R$ 10 ou R$ 20 mensais e participe do nosso grupo exclusivo de WhatsApp e muito mais. Esta é a forma que nós temos de manter e planejar o nosso projeto como um todo. Se você possui um negócio ou serviço que precisa ser divulgado, temos planos de apoio a partir de R$ 50 mensais com publicidade no nosso site e redes sociais. Clique aqui e vire um #ApoiadorMRN: bit.ly/ApoiadorMRN
Participe da campanha especial de arrecadação para viabilizar a produção e edição de conteúdo no canal do MRN no YouTube. Doe qualquer quantia de forma rápida e segura!

About The Author

Administrador de Empresas, Flamenguista puro sangue, Consultor de Benefícios especializado em Previdência Privada e apaixonado pela vida!