Fala galera!

Aqui é o Gustavo Duarte, escrevo pro FlaTrip aqui no Mundo Rubro Negro, mas peço licença ao amigo Diogo Almeida para entrar no blog Cultura RN e falar um pouco de uma brincadeira que comecei no final de 2015 e a coisa foi tomando uma proporção interessante ao longo do tempo: a planilha de especulações. Bom, antes de tudo, acho legal começar com um histórico.

Todo rubro-negro calejado sabe como funciona: a temporada vai chegando ao fim (às vezes nem isso, em setembro/outubro já começa), os campeonatos vão se decidindo e o maior terror da imprensa 7×1 começa a reaparecer: a falta de assunto. Você já deve ter visto matérias como “esposa do jogador Fulano vai pra praia de biquíni” ou “Sicrano faz churrasco com a família”, completamente desinteressantes e com objetivo único de cumprir a cota de matérias do setorista preguiçoso. Mas é dessa falta de temas relevantes que surge a grande pauta da época: as especulações.

É normal que o Flamengo, clube que atrai mais mídia (e por isso ganha mais que os outros, justo né?) no Brasil desde sempre, seja protagonista desse tipo de matéria. E agora, com o time brigando na ponta dos campeonatos, o que teoricamente será tendência nos próximos anos, isso vai se acentuar. Algumas matérias até fazem sentido se você ligar os pontos, mas outras chegam a dar vergonha alheia de quem escreveu, tipo o Flamengo estar negociando o time X pelo craque Beltrano que, entretanto, só está no time X pois está emprestado pelo time Y. Acho que o time Y deveria ser informado da negociação, né?

O torcedor, apaixonado e desarmado de qualquer senso crítico racional quando o assunto é Flamengo, acaba surfando em cada onda que vem, não importa se é uma marola de um sub-20 emprestado pra um time pequeno de São Paulo, ou um tsunami de um camisa 10 do Barcelona vindo trocado pelo Marcelo Cirino. Também não posso criticá-lo: ele é torcedor e sua função primordial é torcer. E, dentro desse torcer, está a cornetar. Com ou sem razão, torcedor corneta e temos que aceitar isso.

Outra coisa que contribui para o tiroteio de nomes é a forma silenciosa e cautelosa que a atual diretoria tem tratado toda e qualquer contratação, minimizando muito os vazamentos. Sentem falta de uma certa raposa felpuda? Até o blog do ex-presidente anda meio paradão…

Então, ano passado, num misto de ociosidade e incômodo com esse modus operandi da imprensa (aí incluo grandes portais, alguns sites rubro-negros e contas de Twitter metidas a especuladores, todos caça-cliques/curtidas) resolvi criar a hoje famigerada lista de especulações. Foi um sucesso. O Flamengo vinha de um Brasileiro irregular, pós-eleições e sem técnico: um terreno perfeito pra se cultivar especulações sem fundamento. Fundamentos, aliás, que tentei descobrir tentando relacionar os nomes com seus empresários, times, veículos que publicaram as matérias, veículos que desmentiram as matérias… Modéstia a parte, dava um bom TCC de curso de jornalismo, apesar de um engenheiro estar escrevendo pra vocês agora.

Foram, pasmem, MAIS DE CEM NOMES em apenas uma janela de transferências, pra todas as posições. Na época, o Mundo Rubro Negro compilou alguns nomes nessa matéria.

Os critérios para avaliação das especulações foram os seguintes: configura-se a barrigada quando a matéria informa algo e alguma fonte oficial do clube ou outro jornalista considerado de confiança claramente nega. Site: “Goleiro está negociando com o Flamengo!”. VP do Flamengo: “Não tá, não!”. Plau! Barrigada. Canal de TV: “Flamengo vai atrás de atacante alemão”. Jornalista do mesmíssimo canal que sabidamente tem boas fontes no clube: “Não existe isso”. Sim, olha ela de novo, a barrigada. Claro que não garante 100% de acerto, mas é um critério.

Também tentei relacionar cada nome ao veículo que postou primeiro a notícia (o famigerado furo), baseado nas datas que o Google informa. Evidente que tenho vida social e um emprego pelo qual prezo, então esse trabalho foi feito meio nas coxas, pode e devem ter muitos erros. Os vários sites Ctrl+C/Ctrl+V também não facilitaram a tarefa. Bom, fica o alerta.

Pra 2016/2017, o volume de nomes até aqui foi incrivelmente menor, mas há motivos pra isso. A boa campanha do time indicou que grande parte do elenco seria mantido, inclusive o técnico (ano passado foram quase dez nomes só pro dono da prancheta). Somam-se a isso as entrevistas com dirigentes no fim de 2016, sempre dando a entender que as contratações seriam em menor número e pontuais. A tragédia da Chapecoense também consumiu grande tempo nas redações, fazendo que qualquer outro assunto futebolístico perdesse importância.

Nesse ano, já com a planilha de 2015/2016 como base de comparação, já deu pra concluir algumas coisas:

  • A barrigada não é privilégio de poucos: todo mundo faz. Seja um grande portal ou uma arroba qualquer. O importante é você clicar na matéria dele. Há sempre quem erre menos e na boa índole, mas fica claro quem chuta de sacanagem. É fácil identificar os bons setoristas, quem acompanha as redes sociais sabe quem são;
  • Falta originalidade. Ah, vocês sabem: Eduardo Vargas, Diego Tardelli, Robinho, Diego Souza, Elias, Anderson Martins, Thiago Neves, Felipe Melo… Relaxem, esses nomes estavam nas duas planilhas e estarão na do ano que vem;
  • Existem nomes que surgiram na planilha no início de 2016 e acabaram chegando no meio do ano, casos de Donatti, Rever e Damião. Sinal que o jornalista deve ter acertado mesmo: o clube pode ter realmente tentado os jogadores, mas só conseguiu ou achou melhor deixar pro meio do ano;
  • Fontes internacionais, por mais que a gente não conheça, podem ser de confiança. O furo da vinda do Miguel Trauco foi do site El Bocón, do Peru. Não dá pra levar um site com esse nome a sério, né? Pois é, acertaram;
  • Suspeite de textos do tipo “o jornalista Juan Carlo Cabassita, da rádio El Chapeleta de Montevidéu, informou que…”, por que (PASMEM) tem site que inventa jornalista e portal pra se isentar do chute. É ridículo, mas tem.
  • Além disso tem os sacanas da Internet que inventam pra zoar os jornalistas. O GloboEsporte.com hoje mesmo deu um migué depois de ser enganado.
  • Pra 2016/2017, nenhum técnico foi especulado. Foram 2 goleiros, 3 zagueiros, apenas um lateral direito, 8 esquerdos, 8 volantes, 11 meias e 24 atacantes, totalizando 57 nomes;
  • Dos 57 nomes, considerei confirmados 7: Dener Assunção, Marinho, Rômulo, Podolski e Dominguez, além de Trauco e Conca, estes já anunciados. E as barrigadas até aqui são 8: Felipe Melo, Michel Bastos, Farfán, Neilton, Diego Tardelli, Marcos Guilherme, Mayada e Calleri. Mas com certeza teve bem mais…

O intuito aqui não é expor jornalistas e portais (até por que os bons não tem nada a temer), mas provocar uma reflexão. Longe de mim privar você de reclamar ou comemorar a especulação, isso é de cada um e eu não tenho nada a ver com isso. Mas entendo que um pouquinho de bom senso e análise crítica do que lemos por aí faz um bem danado, tanto pra avaliar especulação quanto pra qualquer coisa. O excesso de especulações sem pé nem cabeça só interessa pra mesma parcela da imprensa que diz que o Diego não vai ver os filhos, que não sabe de onde vem nosso dinheiro ou que nossa diretoria tem práticas nazistas de precificação de ingressos. E cá pra nós: esses caras já encheram o saco.

Bom, segue o levantamento atualizado em 04/01/2017. Boa leitura!

[table id=43 /]

E aí, curtiram? Esqueci de alguém? Comenta aí!
Saudações Rubro-Negras!

Gustavo Duarte
Twitter: @gunevesduarte

Deixe seu comentário!


Este texto faz parte da plataforma de opinião MRN Blogs, portanto o conteúdo acima é de responsabilidade expressa de seu autor, assim como o uso de fontes e imagens de terceiros. O Mundo Rubro Negro respeita todas as opiniões contrárias. Nossa ideia é sempre promover o fórum sadio de ideias. Email: [email protected].

Vire Apoiador do MRN: entenda melhor clicando nesse nesse link: bit.ly/ApoiadorMRN

Outras formas de ajudar este projeto:
– Nosso site faz parte do plano de afiliados do Nação, o programa de sócio-torcedor do Flamengo. Se você clicar em bit.ly/STdoMRN e aderir ao programa, ou até mesmo renovar seu atual plano, o Mundo Rubro Negro ganha 50% da sua primeira mensalidade.