Por Daiana Azevedo – convidada



Em uma palestra realizada na última terça-feira do mês de março (28), no departamento do curso de Administração que é conhecido como Escola de Negócios da PUC-Rio (IAG), Eduardo Bandeira de Mello falou sobre a Governança no Futebol: Tendências e Novos Padrões.

Para uma platéia flanática que lotou o auditório do IAG e mais duas salas do departamento, Eduardo falou das boas práticas administrativas que o Clube de Regatas do Flamengo vem adotando desde o início da sua gestão (iniciada em 2013). Fazendo com que o clube se tornasse pioneiro e referência em administração profissional de clube de futebol no Brasil.

Bandeira apresenta palestra. Foto: PUC-Rio/IAG

Segundo Bandeira, o cenário do futebol mudou muito desde os anos sessenta para cá. Hoje, o futebol é um negócio complexo e de difícil administração. Um clube não mais depende apenas de bilheteria como antigamente. Voltar a ter credibilidade no mercado foi fundamental para conseguir parcerias e patrocínios de diferentes setores do mercado.
Porém, iniciar esse processo de profissionalização de um grande clube não foi fácil. Como o “carro chefe” de uma instituição deste porte é o futebol, direcionar poucos recursos financeiros a essa modalidade seria certamente o fim da sua gestão. Mas a nação, que é o maior patrimônio do clube, entendeu e apoiou.

Ainda segundo Bandeira, as mudanças não foram só financeiras. O clube adotou uma estrutura profissional, com profissionais qualificados que são perfeitamente remunerados pelos serviços prestados ao clube. Também, o Flamengo passou a usar uma série de práticas como os princípios da Governança; adotou os princípios de gestão e transparência que exigem as regulamentações e reguladores do mercado da bola como PROFUT, Pacto pelo Esporte, Licenciamento de Clubes e Prêmio de gestão AMBEV.

Já no seu segundo mandato, Bandeira expõe os benefícios da gestão profissional adota. O clube hoje já possui um Centro de Treinamento de primeiro mundo, faz planejamentos e investe de maneira consciente, possui uma equipe de futebol qualificada e competitiva, continua investindo em estrutura para outras modalidades, possuiu poder de barganha junto ao mercado, voltou a investir na base, possui maior autonomia financeira para investir em um estádio próprio e, conseqüentemente, vem sendo premiado pela boa administração.

Auditório lotado. Foto: PUC-Rio/IAG

No meu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), apresentado em Junho de 2016, fiz uma análise da gestão Bandeira baseado em uma teoria do Max Weber. Esse trabalho analisou, através de uma teoria administrativa (Teoria da Burocracia), como estava à gestão Bandeira no que diz respeito à profissionalização de sua estrutura administrativa e as práticas adotadas pela mesma.

O principal objetivo desse estudo foi identificar as transformações administrativas na nova gestão do Clube de Regatas do Flamengo, com ênfase no processo de racionalização implantado. Além disso, identificar as principais características da burocracia; investigar as práticas administrativas antes da gestão de Eduardo Bandeira de Mello; analisar a abrangência dessas práticas administrativas – se são usadas em todos os setores do clube estudado; investigar as práticas administrativas na gestão do Bandeira e propor análises no processo de modernização das práticas administrativas.

Para analisar essas questões levantadas, foram feitas entrevistas com quatro pessoas ligadas diretamente ao clube e que fizeram/fazem parte desse processo de modernização do clube. As perguntas foram elaboradas com base nas características da Teoria da Burocracia.

Em relação à primeira característica da Teoria da Burocracia, o clube já possuía normas e regulamentos que são agrupadas em um estatuto do clube. Porém, esse estatuto não era adequado. Essa adequação veio a partir da gestão de Eduardo Bandeira que, desde o estudo realizado, se adequou as exigências de gestão.

Leia matéria sobre minha monografia publicada aqui mesmo no MRN

A segunda característica se refere à departamentalização do clube. Segundo os entrevistados, a gestão era amadora antes da chegada de Bandeira. Após a chegada dele, foi implementado um modelo de gestão empresarial, norteando diretores responsáveis pelos mais diversos setores do CRF.

Com base nas respostas dos entrevistados, no que diz respeito à evidência de hierarquia, com a nova gestão houve melhora significativa em relação a essa característica. Assim como a departamentalização, a cadeia de comando ficou mais nítida.

Por fim, o processo de contratação e plano de carreira, segundo o estudo, era o ponto a ser melhorado, apesar das mudanças feitas estava aquém do ideal. Desde a realização do estudo para cá, esse ponto foi melhorado. Principalmente em relação aos atletas da base que pouco eram aproveitados e rapidamente eram vendidos sem ter uma carreira de atleta profissional no clube.

Comparando o estudo que foi apresentado em Junho de 2016 e a palestra do presidente, podemos concluir que o clube estava no caminho certo e que hoje esse processo de profissionalização/modernização está concluído. Porém, mesmo com a “casa arrumada”, o trabalho não acabou. Agora, o objetivo é atingir nível de excelência, otimização de performance, inteligência de mercado e voltar a investir na base do futebol; buscar fonte permanente de recursos, auto-suficiência e foco na formação de atletas dos esportes olímpicos e, também, melhorias para os sócios/atletas, arena poliesportiva, estádio de futebol e auto-suficiência para o clube da Gávea.

Saiba mais

Para saber mais sobre Max Weber: Wikipedia, Etcetera – O Blog Humanista.

Conheça melhor a Teoria da Burocracia: Wikipedia, Estudo Administração.

PDF com a palestra apresentada pelo presidente Eduardo Bandeira de Mello, na PUC

Monografia – Daiana de Oliveira Azevedo – Mudanças Administrativas na Gestão do Clube de Regatas do Flamengo: uma análise à luz da Teoria da Burocracia
Daiana Azevedo formou-se em Administração pela PUC-Rio e em sua monografia traçou paralelos entre o pensamento de Max Weber, jurista e economista alemão, considerado o pai da Sociologia, e o atual modelo de gestão do Clube de Regatas do Flamengo. Para saber mais, leia matéria publicada no MRN: bit.ly/1XpbyMr. Siga-a no Twitter: @DaianaAzevedo9
 


Este texto faz parte da plataforma de opinião MRN Blogs, portanto o conteúdo acima é de responsabilidade expressa de seu autor, assim como o uso de fontes e imagens de terceiros. O Mundo Rubro Negro respeita todas as opiniões contrárias. Nossa ideia é sempre promover o fórum sadio de ideias. Email: [email protected].

Vire Apoiador do MRN: entenda melhor clicando nesse nesse link: bit.ly/ApoiadorMRN


Outra forma de ajudar este projeto:
– Nosso site faz parte do plano de afiliados do Nação, o programa de sócio-torcedor do Flamengo. Se você clicar em bit.ly/STdoMRN e aderir ao programa, ou até mesmo renovar seu atual plano, o Mundo Rubro Negro ganha 50% da sua primeira mensalidade.

Seja um #ApoiadorMRN! Ajude contribuindo com R$ 5, R$ 10 ou R$ 20 mensais e participe do nosso grupo exclusivo de WhatsApp e muito mais. Esta é a forma que nós temos de manter e planejar o nosso projeto como um todo. Se você possui um negócio ou serviço que precisa ser divulgado, temos planos de apoio a partir de R$ 50 mensais com publicidade no nosso site e redes sociais. Clique aqui e vire um #ApoiadorMRN: bit.ly/ApoiadorMRN
Participe da campanha especial de arrecadação para viabilizar a produção e edição de conteúdo no canal do MRN no YouTube. Doe qualquer quantia de forma rápida e segura!