Gerrinson R. de Andrade | Twitter: @GerriRodrian

 

Desânimo:



acabrunhamento,
esmorecimento,
pusilanimidade,
arrefecimento,
esvaecimento,
desesperança,
esgotamento,
desinteresse,
desconforto,
abatimento,
melancolia,
derrotismo,
prostração,
debilidade,
desalento,
languidez,
preguiça,
fraqueza,
modorra,
moleza,
tristeza,
letargia,
inércia,
apatia.

Qualquer palavra acima
bem descreve
o ânimo do torcedor rubro-negro
neste março em 2016.

O estupefato torcedor não merecia um mês assim.

Há algum tempo finge,
sorri com esforço,
espera o messias,
espera o milagre, aguarda o retorno do D. Sebastião,
espera o 13º cair na conta,
espera o carnaval chegar na avenida.

Mas nem o milagre, nem o messias, nem o carnaval.
Nem nada.

O torcedor vai se recusando a ver jogo: cada partida é uma paulada nos neurotransmissores,
o cérebro fica sem serotonina, sem dopamina, sem endorfina.

A depressão arrasa.

A cada minuto sem gol, sem jogada que preste,
mais cabisbaixo e arrasado fica o rubro-negro.

Sempre folião na vida, flamenguista sinônimo perfeito da alegria,
agora tá na vertigem, no cansaço da vida.

Nem se importa mais se o caso é de sabotagem, incompetência ou azar.
Já nem se move em qualquer direção.

Vai sonolento, tristonho.

Não lê pós-jogo, não dá margem ao masoquismo.
Não vê o replay, não se importa, não renova sua fé.

O torcedor, desorientado, míngua de fome.
Desnutrido de gol, convalesce.

40 milhões de torcedores se transformando em zumbis-sombras:
quem nasceu pra festa, não dança em velório.

Mas eis que o próximo jogo é sempre o jogo da redenção.
Mas eis que o próximo jogo é sempre o jogo da revolução.
Mas eis que o próximo jogo é sempre o primeiro jogo do resto de nossas vidas.

O moribundo torcedor vai de olhar desconfiado, desconfiando.
Vai pisando suave no terreno.
Vai lentamente percorrendo seu descaminho, vendo perto uma luz: é o remédio que chega.

É o Vasco, aquela velha nojenta e bigoduda, merecendo seu tapa na cara.

É o medicamento,
a beberagem,
o tratamento,
o preparado,
o conserto,
a mezinha.
a solução,
o recurso,
o xarope,
a poção,
a cura.

(E se o remédio não fizer efeito, se der engasgo e caganeira,

então será tempo de transformar toda a depressão em raiva

e tempo de mandar meia-dúzia pro olho da rua.

Toda tristeza tem seu fim).

Orra, é Mengo!

Comente pelo Twitter @MRN_CRF ou direto na fanpage do MRN no Facebook (clique aqui). Sua opinião faz toda diferença!


Gerrinson R. de Andrade escreve no Blog Orra, é Mengo, da Plataforma MRN Blogs. A opinião do autor não reflete necessariamente a opinião do Mundo Rubro Negro.

 

LEIA TAMBÉM DO ORRA, É MENGO!

A Mãe Dináh morreu.

80 milhões de torcedores

As soluções para os problemas do Fla

Flamengo, o titã Atlas da bagaça toda

As Leis de Wallace

 

 

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA A GENTE NO TWITTER

 

 

 


 

Seja Sócio-Torcedor! E clicando no banner abaixo você também vira mais um parceiro do MRN!

Sim! Metade do valor da primeira mensalidade do plano que você adquire depois de clicar no banner abaixo vai para a equipe MRN Informação.


Se você admira o nosso trabalho, nos ajude assim a manter o nosso projeto e ampliar a nossa missão!

 

Banner_300X300

Seja um #ApoiadorMRN! Ajude contribuindo com R$ 5, R$ 10 ou R$ 20 mensais e participe do nosso grupo exclusivo de WhatsApp e muito mais. Esta é a forma que nós temos de manter e planejar o nosso projeto como um todo. Se você possui um negócio ou serviço que precisa ser divulgado, temos planos de apoio a partir de R$ 50 mensais com publicidade no nosso site e redes sociais. Clique aqui e vire um #ApoiadorMRN: bit.ly/ApoiadorMRN
Participe da campanha especial de arrecadação para viabilizar a produção e edição de conteúdo no canal do MRN no YouTube. Doe qualquer quantia de forma rápida e segura!