A Nação se faz presente desde que o Flamengo nasceu e ao longo do tempo as diversas gerações vão tendo visões diferentes do seu time dos sonhos. Vários craques já passaram pelo nosso Mengão e encantaram pessoas das mais diferentes idades. Para ver um pouco dessa diferença, resolvemos convidar alguns rubro-negros de diversas épocas para montar o melhor XI só com jogadores que viu jogar. Confiram os times montados:

Fabrício Oliveira (apoiador do MRN) – Twitter @fabriciofo

XI desde 91: Júlio César; Léo Moura, Gamarra, Juan, Athirson; Júnior, Nélio, Petkovic, Sávio; Adriano e Romário.

Meu time começa no início dos anos 90, no carioca de 91 vencido sobre o Fluminense na final por 4 a 2. Já peguei Júnior jogando no meio, Gamarra e Juan fizeram a maior dupla de zaga dos últimos 25 anos, Nélio era muito rubro-negro e jogava bem nas decisões, tinha espírito de final. Athirson no seu melhor não daria chance pro Marrentinho. Pet é o Pet. Sávio, Romário e Adriano é um baita ataque até na seleção de todos os tempos. Não cheguei a ver Renato Gaúcho no seu melhor pelo Mengão, assim como Bebeto.

Alex Reis (apoiador do MRN) – Twitter @alexsjreis


XI desde 87: Bruno; Jorginho, Juan, Gamarra, Leonardo; Andrade, Júnior, Zico; Renato Gaúcho, Adriano e Romário.

Sou de 74, meu primeiro jogo no Maracanã foi a final do brasileiro de 83, mas não tenho muita lembrança desse jogo. Comecei a entender mais em 86, com isso a geração de 87 foi a que mais me marcou. Além deles, incluí o Júnior no meio pelo título de 92. O Bruno, a meu ver, foi o melhor goleiro do Flamengo nos últimos anos. Definir o time foi difícil, mas os títulos pesaram.

Maurício (apoiador do MRN) – Twitter @flapravaler

XI desde 78: Raul; Leandro, Aldair, Mozer e Júnior; Andrade, Adílio, Petkovic e Zico; Romário e Adriano.

Meu Flamengo ideal tem sete campeões do mundo. Os que desbancaram os outros quatro o fizeram por serem excepcionais na técnica, no simbolismo ou nos dois. Mas esqueça as divergências, imagine Zico e Pet abastecendo Romário e Adriano e seja feliz.

Arthur Butter (apoiador do MRN) – Twitter @abnunnes

XI desde 86: Bruno; Léo Moura, Leandro, Aldair e Leonardo; Andrade, Júnior e Zico; Renato Gaúcho, Romário e Sávio.

Bruno foi o goleiro mais decisivo, para uma geração, que o Flamengo já teve – protagonista de um tri e fechou tudo em 2009. Vi o Leandro jogar mais no final da carreira, por isso coloquei o Léo Moura que foi o lateral direito que mais vi jogar. Como não podia deixá-lo de fora, Leandro ficaria na zaga. Aldair é foda também. Completando a cozinha o jovem Leonardo de 1987. Meu meio é veterano, Andrade em fim de linha, Júnior pós 1991 e Zico pós joelho estourado e copa de 1986. Nada apaga o que Renato fez em 1987, é o autor do primeiro gol que tenho recordação nítida. Romário foi foda e a vinda dele como melhor do mundo foi histórica. Sávio nos conduziu de cabeça erguida no início da travessia do deserto após a geração de ouro.

Gustavo Duarte (blogueiro do MRN) – Twitter @gunevesduarte

XI desde 92: Bruno; Léo Moura, Gamarra, Juan e Athirson; Junior, Petkovic e Ronaldinho; Sávio, Adriano e Romário.

Lista estritamente falando de futebol, preferi deixar de fora o extracampo.

Peralta (blogueiro do MRN) – Twitter @crflamenguismo

XI desde 92: Júlio César; Léo Moura, Juan, Gamarra e Athirson; Mancuso, Júnior, Petkovic e Sávio; Adriano e Gaúcho.

Peço perdão pelo Leonardo Moura na lista, não é minha culpa. E pra quem perguntar pelo Senador, é que resolvi excluir jogadores que causaram dívidas acima de 2 dezenas de milhões de reais ao clube e que possuem estátua em locais insalubres. #paz

Luiz Filho (blogueiro do MRN) – Twitter @lavfilho

XI desde 92: Júlio Cesar; Léo Moura, Gamarra, Juan e Athirson; Júnior, Zinho e Pet; Sávio, Romário e Adriano.

Seria um time com certa dificuldade para funcionar, mas um bom treinador ajeitaria, equilibraria. Jogaria num 442 com Sávio e Pet no meio-campo, com defesa alta e vocação ofensiva, municiando o ataque com Adriano e Romário. Velocidade e bola redonda desde a saída com os zagueiros Juan e Gamarra, os laterais Athirson e Léo Moura e até o goleiro Júlio César, que sabe sair com os pés. Por falar em bola redonda, Júnior e Zinho dispensam comentários e títulos. Flamengo é agressivo e ofensivo!

Luiz Filipe (blogueiro do MRN) – Twitter @luizfilipecm

XI desde 93: ⁠⁠⁠Júlio César; Léo Moura, Juan, Gamarra e Athirson; Beto Cachaça, Nélio, Sávio e Petkovic; Adriano e Romário.

Os primeiros 9 jogadores escolhi rapidamente. Na defesa, Júlio César, Juan, Gamarra, Léo Moura e Athirson, pra mim, são claramente os melhores que vi. Um ataque com Adriano e Romário seria a melhor dupla que eu teria visto em campo. Também era claro pra mim. O Pet é o melhor meia que eu já vi jogando no Flamengo. O Sávio foi o meu primeiro ídolo no Mengão, que estava lá antes do Romário chegar. Faltavam ainda dois meias. Como meu time não precisa entrar em campo, e não tem que marcar, coloquei o Nélio, que era o 10 do meu time de botão. Ainda faltava um. Lembrei do Beto “Cachaça”, que jogava muita bola mas acabou sendo folclórico e não teve o destaque que merecia. Com essa dificuldade no final, notei que não tivemos grandes meias nos últimos tempos – o que é triste pra quem tem o Zico como maior ídolo. Volantes então, poucos de grande destaque. Esse foi o melhor XI que consegui montar.

Gustavo Roman (blogueiro do MRN) – Twitter @guroman

XI desde 81: ⁠⁠⁠Raul; Jorginho, Leandro, Mozer e Júnior; Andrade,  Adílio e Zico; Renato Gaúcho, Bebeto e Romário.

Esse seria um time extremamente ofensivo, postado num 4-3-3. Teria um goleiro experiente, dois laterais apoiadores, um zagueiro extremamente técnico e um mais alto, bom na bola alta. O meio teria um volante por causa dos laterais ofensivos, porém seria um com bom passe e chegada a frente. Um jogador polivalente, muito técnico, que tanto pode dar um pé atrás como aparecer no ataque. E um Deus da bola.  No ataque, um ponta individualista, um centroavante técnico e de boa movimentação e um dos maiores finalizadores de todos os tempos.

Ana Cecília – Twitter @Cissa_Morena

XI desde 76: ⁠⁠⁠Raul; Júnior, Gamarra, Rondinelli e Leandro; Zico, Petkovic e Adílio; Romário, Adriano e Renato Gaúcho.

Sou da boa safra de 66, por isso tive a felicidade de ver logo de cara a copa de 70, além da melhor seleção de todas: a de 82. Já o Mengão, ah o Mengão! Este acompanho aficionada desde 76, portanto vi a geração mais vitoriosa, a outra safra maravilhosa com Djalminha etc, mas vi também jogadores que fariam de MA um verdadeiro Zidane. Escolhi meu time a partir do que vi jogar e que achei de melhor.

Graziella – Twitter @rubrone_gra

XI desde 85: Julio César; Leandro, Juan, Ronaldo Angelim e Leonardo; Júnior, Petkovic e Zico; Renato Gaúcho, Adriano e Romário.

Comecei a acompanhar o Fla de 85 pra 86, portanto não curti o timaço campeão do mundo, embora aí tenha alguns remanescentes que tive a honra de acompanhar em 87 e 92. Esse time que montei tem título, mística rubro-negra, simbolismo e muita bola.

Hernane Brocador (Fake da FlaTT) – Twitter @HernaneCRF

XI desde 2000: Bruno; Léo Moura, Juan, Ronaldo Angelim e Juan Marrentinho; Renato Abreu, Petkovic e Ronaldinho Gaúcho; Edilson, Adriano e Hernane Brocador.

Tenho 22 anos e não vi a época mais gloriosa do Flamengo, comecei a acompanhar mesmo em 2000/2001. Então usei o seguinte critério: o que jogou e o que ganhou pelo CRF. Minha maior dúvida foi no gol, pensei no Júlio César, mas pelos títulos escolhi o Bruno e deixei de lado o extracampo. Sim, Renato Abreu sim! É o artilheiro do Flamengo nesse século. A galera mais nova vai achar estranho e a mais velha também, mas ele está no meu time. Alguém pode questionar o R10, mas não consigo deixar de fora um cara 2x melhor do mundo. A passagem não foi tão brilhante, mas pelos lampejos já merece lugar nesse time. O ataque foi fácil escolher pelos critérios que usei. Edilson foi importantíssimo no Carioca (naquela época estadual valia muito) e na Copa dos Campeões em 2001. Adriano e Brocador dispensam comentários, protagonistas em conquistas nacionais.

E você, como formaria o seu XI ideal? Deixe aí nos comentários.