Um time se borrando de medo.



Inaceitável.

Inadmissível.

Incabível.

Inaceitável a postura. Terceira maior folha salarial do Brasil, e provavelmente do continente sul-americano. Contra uma equipe recém saída da segunda divisão do futebol brasileiro. Se futebol a gente sabe que é uma caixinha de surpresas, cujas surpresas acontecem em grande volume, ao menos um time com o quilate desse Flamengo atual precisa mostrar mais do que acovardamento diante das dificuldades. No último sábado, quatro dias antes desta noite de jogo eliminatório, o Atlético Goianiense sofrera derrota acachapante para o time… do Flamengo! Sim, em jogo válido pela segunda rodada do Brasileiro-2017, no próprio Serra Dourada, o time comandado pelo carioca Marcelo Cabo não viu a cor da bola diante do Flamengo de Zé Ricardo. Como o caríssimo time do Flamengo alterna uma atuação segura como a do fim-de-semana com a bisonha apresentação na quarta-feira? E frente ao mesmo adversário?

Inadmissível o Flamengo entrar em campo esfalfado. Falta testosterona aos jogadores do Flamengo? A pergunta nem é mais esta. O certo é perguntar por que falta testosterona ao time do Flamengo, DESDE 2014? Alguns torcedores nem se surpreendem mais. Chegamos ao ponto da indiferença. Mas não podemos nos acostumar com a indulgência, não é mesmo presidente? O Flamengo atual tem o DNA do vexame. Estamos com medo das quartas de final, seja qual for o adversário. Acreditamos menos ainda, baseados em raciocínio e lógica, numa conquista de Copa Sul-Americana (que como disse um amigo, virou prioridade após a queda na Libertadores).

Incabível manter as coisas como estão. Urge da diretoria atitudes firmes para mudar o quadro que se desenha para este ano: zero título. E o que é exatamente agir firmemente?

Tiro, porrada e bomba?

Não.

Bravatas ditas em microfones para agradar a torcida?

Muito menos.

É preciso humildade para reconhecer que alguns profissionais não foram bem escolhidos. Não precisa demitir por atacado. Mas é extremamente necessário começar antes que seja tarde demais. Tem muita gente acomodada no Flamengo. E eu lembro que passa pelo conceito de gestão profissional a análise de metas. Ou não?

As seguidas atuações medrosas dos jogadores passa SIM por um problema anímico sério. As expressões faciais dos nossos atletas mostram nervos em frangalhos — até Pará, sempre tão altivo, ontem fazia caretas sofridas.

O primeiro nome que deve ser demitido

Fernando Gonçalves está há várias temporadas demonstrando que é inapto para o cargo que ocupa. Ele pode ser tricolor, vascaíno, pode até torcer para o Sport Recife. Não estou nem aí, contanto que eu tenha, do meu sofá ou do meu lugar na arquibancada, a nítida impressão que seu trabalho, sua digital está impressa dentro de campo, que é o que interessa.

O Flamengo é um time cagão. Que se borra. Que envergonha o rubro-negro e nossa tradição. A maior torcida do mundo não merece torcer para um time de cagões. Um time que se peida todo para um Atlético-GO.

Só não perdemos a vaga para o genérico rubro-negro, jogando em casa (90% do público no Serra Dourada era composto por flamenguistas), porque o possante ataque formado por Luiz Fernando, Igor, Jorginho, Everaldo e Júnior Viçosa não estava em uma noite tão inspirada.

Não faltaram eliminações para Fernando Gonçalves mostrar o quanto sua metodologia científica de coach (???) é desimportante para o departamento fracassado de futebol em que atua. Haja oportunidade! Só na Copa do Brasil, vejamos:

– Em 2014 conseguimos a proeza de tomar de quatro do Atlético-MG depois de estar ganhando de 1 x 0 no Mineirão. Sabem quantos gols o Atlético precisava para se classificar? Isso mesmo, quatro gols. Os dois últimos foram marcados aos 36 e 39 minutos do segundo tempo. Ou seja, time tonteado, nas cordas. Semelhança com a eliminação recente na Libertadores? Evidente.

– Em 2015 fomos eliminados para um Vasco bem inferior ao nosso. O leitor se lembra, entramos morrendo de medo do cruzmaltino, que por sua vez entrou porrando. E o Flamengo, como um garoto que sofre bulliyng no recreio do colégio, apanhou calado.

– No mundo onde a ordem natural das coisas ainda é aquela em que o Flamengo impõe medo no adversário, seríamos eliminados de uma Copa do Brasil por um Fortaleza da terceira divisão nacional? O cheiro de suor medroso. Coube ao vira-lata, porém destemido, correr com o cão covarde da Copa do Brasil em 2016.

Por falar em mundo ideal, o certo mesmo, o certo de verdade, seria contar com jogadores que não precisem de palhaçada motivacional nenhuma, psicologia do esporte é o caramba. O cara consegue chegar ao Flamengo! Que porcaria de profissional da bola é esse que anda em campo vestido com o Sagrado Manto?

Bem…

Márcio Araújo tem alvará para ser um lixo em campo

Nada supera a desfaçatez de Márcio Araújo em campo. Márcio Araújo é um problema técnico e tático para o Flamengo. A situação é séria. Esse jogador adquiriu um status de titular eterno. Que Flamengo é esse que Márcio Araújo é titular quando temos Cuéllar, Ronaldo e Rômulo?

Volto-me para o uso do termo desfaçatez. Ontem foi ultrajante vê-lo em campo. Andando. Apontando. Não se movimenta para receber um passe… Falta companheirismo, no mínimo.

Ficarei por aqui, povo. Sobre Muralha falei no post anterior. Minha opinião é usar o Thiago já.

Arão, o time escalado por Zé Ricardo, Rafael Vaz… aguardo os comentários de vocês sobre outros personagens que merecem nossas respeitosas críticas. Para o bem da temporada.

 

O comentário do leitor (Atlético-GO 0 x 3 Flamengo)

Cláudio Cavalcanti

Diogo, excelente texto!

Conseguiu tocar em todos os pontos fracos que fingimos não ver porque não queríamos macular o ambiente de um time que jogava a Libertadores. Como torcedores, erramos ao cobrar pouco ou cobrar errado. Focamos demais no Marcio Araujo (que merece sair) e deixamos de ver outros jogadores que são ainda piores para nosso time e também mancham nossa história cada vez que são relacionados para jogos.

Mas agora nosso sonho foi embora e precisamos ser a força motora das mudanças necessárias e que, a julgar pelas manifestações públicas de EBM e RC, não serão realizadas. Pois, então, façamos com que eles não possam se opor a essas mudanças.

Há muitos jogadores que não merecem estar no Flamengo, que o Gabriel seja o primeiro dessa nova leva, mas que seja seguido pelo já citado Márcio Araújo, pelo Muralha e pelo inacreditável Leandro Damião.

Nada, além de uma compensação ao Sr. Nelio Lucas, que trouxe a Carabao ao Flamengo e que também preside a Doyen, justifica a escalação desse traste e a barração do Felipe Vizeu. Ganhamos um patrocínio excelente e agora vamos servir de vitrine para a Doyen compensar a cagada que fizeram ao comprar o Damião. Enquanto isso, o campeão da Copinha 2016 que melhor aproveitou as oportunidades que teve no time principal e seguidamente negligenciado. Ora, quantas chances não demos a Cirinos e Gabriéis da vida? Por que cargas d`água não podemos fazer isso com o muleque nosso? Alguém que com certeza já chorou pelo Flamengo, como muitos de nós fizemos na fática quarta-feira passada?

E vejam só a coincidëncia, o Cirino está em um negócio atrelado a exatamente quem? A Doyen… Baita coincidência não? Com certeza uma coincidência que vai nos custar uma bela fatia da venda do Vinicius Júnior.

Para encerrar, elogio novamente o texto ao comparar o Gabriel à Refinaria de Pasadena. Acrescento aos motivos citados por você uma outra comparação. Como sabemos, a compra de Pasadena foi realizada por motivos alheios à atividade da Petrobrás. Pois assim acredito que ocorre com a manutenção de Gabriel em nosso elenco e time titular. Como noticiado quando de sua contratação em 2013, um grupo de empresários adquiriu seus direitos junto ao Bahia. Pois tenho inequívoca convicção de que esses empresários exercem alguma influência, no mínimo, imoral sobre o Flamengo, impondo a escalação desse projeto de jogador.

Pois é isso. Espero que esta coluna contribua ativamente para a mudança necessária que deve haver no departamento de futebol do Flamengo. O meu apoio irrestrito, que reconheço ser insignificante, vocês terão.

 

Participe da próxima coluna

Você é mais um torcedor atormentado? Claro que sempre alguns outros pontos ficarão de fora do post. E é aí que eu conto com você também. O que você mais te incomodou no jogo entre Flamengo e Atlético-GO, mesmo com os três pontos na conta? Escreva no campo de comentários abaixo. Vou escolher a melhor resenha, que será publicada no próximo post!

SRN

 
Diogo Almeida é um boleiro que aprendeu a falar difícil. Escreve no Cultura RN quando consegue colocar as ideias no lugar. Siga-o no Twitter: @DidaZico.
Deixe seu comentário!


Este texto faz parte da plataforma de opinião MRN Blogs, portanto o conteúdo acima é de responsabilidade expressa de seu autor, assim como o uso de fontes e imagens de terceiros. O Mundo Rubro Negro respeita todas as opiniões contrárias. Nossa ideia é sempre promover o fórum sadio de ideias. Email: [email protected].

Vire Apoiador do MRN: entenda melhor clicando nesse nesse link: bit.ly/ApoiadorMRN


Outras formas de ajudar este projeto:
– Nosso site faz parte do plano de afiliados do Nação, o programa de sócio-torcedor do Flamengo. Se você clicar em bit.ly/STdoMRN e aderir ao programa, ou até mesmo renovar seu atual plano, o Mundo Rubro Negro ganha 50% da sua primeira mensalidade.

Seja um #ApoiadorMRN! Ajude contribuindo com R$ 5, R$ 10 ou R$ 20 mensais e participe do nosso grupo exclusivo de WhatsApp e muito mais. Esta é a forma que nós temos de manter e planejar o nosso projeto como um todo. Se você possui um negócio ou serviço que precisa ser divulgado, temos planos de apoio a partir de R$ 50 mensais com publicidade no nosso site e redes sociais. Clique aqui e vire um #ApoiadorMRN: bit.ly/ApoiadorMRN
Participe da campanha especial de arrecadação para viabilizar a produção e edição de conteúdo no canal do MRN no YouTube. Doe qualquer quantia de forma rápida e segura!