Por Thauan Rocha | Twitter @Thauan_R e @flaimparcial

 

Para muitos torcedores a Copa do Brasil é a única chance de ver seu time do coração de perto, no estádio. Muitas vezes um amor por um clube é decidido em um só jogo que, de alguma forma, marca a memória do torcedor. Não é que o resultado do jogo tenha que ser obrigatoriamente uma vitória (sempre é bom rs), basta que o time jogue bem ou que se dedique.

Minha família é basicamente de flamenguistas, mas minha irmã resolveu ser diferente e começou a gostar do Vasco. Como eu e meu ex-padrasto somos apaixonados pelo Flamengo, sempre tentamos trazê-la para o lado correto, mas de nada adiantou. Vendo que não adiantaria, deixamos isso de lado e ficamos alimentando a rivalidade saudável. Eu e minha irmã íamos ao bar em frente de casa para ver os jogos juntos, mesmo que o Fla não estivesse envolvido. Enfim, ela foi deixando essa paixão crescer.

Com essa paixão crescendo e a Copa do Brasil se aproximando foi a oportunidade perfeita para ver seu time pela primeira vez no estádio. Mesmo sendo de tarde, ela foi direto da escola para o estádio com a minha mãe, que deixou o trabalho de lado para acompanhar a filha. E então fui surpreendido quando ela chega em casa com certa raiva. No momento ainda tinha alguma alegria por ver o time de perto, mas um sentimento ruim crescendo.

O motivo da raiva? O time que jogou era basicamente de reservas. Sobre isso eu até argumentei que poderia ser estratégia do time que priorizava algo mais importante para aquele momento, pois o jogo de ida tinha sido 5×1 para o time carioca. Não adiantou, pois esse era mais um detalhe. O real motivo foi a falta de vontade dos jogadores que pouco produziram. Ela ficou perto da marca de escanteio e várias vezes gritava pelos jogadores, assim como muitos outros, e não havia resposta, parecia que eles não se importavam com aquelas pessoas que fizeram algum sacrifício só pra ficar num estádio ruim porque seu time estava jogando lá. O jogo era às 15hs, horário de trabalho.

O tempo foi passando e qualquer sentimento pelo Vasco foi sumindo. No dia 14/05/2008, o Vasco começava a perder uma torcedora por sua displicência em campo. Hoje ela não torce para ninguém, apesar das minhas tentativas de torná-la rubro-negra (e não desistirei).

Eu também já consegui ver o Flamengo no estádio quando jogou contra o Murici no dia 16/02/2011, mas eu não sai decepcionado, longe disso. Naquela noite o Flamengo venceu por 3×0, nem lembro como foi a atuação do time, só sei que sai de lá feliz com um sorriso de orelha a orelha. Meu time venceu e eu cantei muito junto com a torcida que estava extremamente feliz, além de ter minha família (incluindo vários que vieram do interior) do lado comemorando junto.

O que essas histórias tem a ver com o jogo de ontem em Sergipe? É bem simples, esses três jogos foram oportunidades únicas e marcantes para vários torcedores.

Foi lindo ver a recepção que a torcida fez no aeroporto. Lotado e com a torcida em festa, quase que o Muricy não conseguiu passar pela galera, agora imaginem os outros jogadores.

Em muitas competições há o medo de torcedores rivais atrapalharem o sono dos jogadores ao descobrirem o hotel, pois podem ir lá soltar rojões ou fazer barulho, mas dessa vez foi nossa própria torcida que se juntou na frente do hotel. Músicas e mais músicas exaltando o Flamengo. Chegaram a jogar uma camisa do Mengão, o que gerou um cabo de guerra entre torcedores.

Nada disso bastava, a torcida ainda lotou o estádio local, mesmo com o ingresso mais barato a R$100,00 se comprassem pelo menos dois. A torcida do Confiança ficou espremida em um setor do estádio, não havia espaço pra ela. A festa estava toda pronta e agora só se esperava o desfile do homenageado. Pena que não foi um desfile, foi um show de horrores.

Você torcedor do Rio de Janeiro, você que tem o Fla no quintal da sua casa, não sabe o quão importante é um jogo desse para a torcida. Assim como foi pra mim e pra minha irmã ver na nossa cidade, esse foi para outros torcedores jovens. Os mais velhos dificilmente vão mudar de time, mas para os mais novos episódios como esse são essenciais. Eles podem decidir para quem torcer (ou não torcer).

Imaginem como fica uma criança que vê os adultos próximos fazendo aquela festa inacreditável para ver um time ridículo que não se dedicou um só minuto. Claro que a arbitragem não ajudou e nem os jogadores do Confiança foram muito honestos, mas a culpa desse resultado é do Fla, que desperdiçou diversas chances de matar o jogo ainda no primeiro tempo.

Não pensem que os únicos prejuízos foram os mais de R$600mil que deixamos de ganhar ou de ter que fazer mais um jogo deficitário, a maior perda é a possível evasão de torcedores. O Flamengo precisa entender que em jogos como esse o mínimo que precisa ser mostrado é o respeito ao Off-Rio.

 

SRN!

Comente pelo Twitter @MRN_CRF ou direto na fanpage do MRN no Facebook. Sua opinião faz toda diferença!


Thauan Rocha escreve no Flamenguista Imparcial, da Plataforma MRN Blogs. A opinião do autor não reflete necessariamente a opinião do Mundo Rubro Negro.