Reprodução Wikipedia

Fonte: Reprodução Wikipedia

Cláudio Coutinho é um dos maiores nomes que já comandaram o time do Flamengo. Curiosamente, sua passagem pode até ser considerada curta (1976-1977 / 1978-1980), porém seu legado é espetacular:

 

Ano Jogos Vitórias Empates Derrotas Aproveitamento
1976-1977 77 50 18 9 72,73%
1978-1980 189 130 41 18 76,01%
Total 266 180 59 27 75,06%

Fonte: Flapedia

 

Conquistas com o Flamengo (Reprodução Flapedia):

Mas não pensem que tudo isso foi fácil. Coutinho foi preparador físico da Seleção Brasileira campeã em 1970. Suas ideias inovadoras não foram aceitas sem a habitual crítica dos avessos ao novo. Para nossa sorte, o alcance da cornetagem era limitado aos meios tradicionais de comunicação. Por isso, os conceitos oriundos do método de preparação física Cooper, trazidos para o Brasil por Cláudio, aliados ao que se tinha de mais avançado em termos táticos do futebol praticado na Europa, lhe conferem um protagonismo ímpar na história do Flamengo e do futebol praticado no Brasil.

É possível identificar alguma semelhança do que ocorreu na primeira metade da década de 70 com o período atual. O Flamengo fazia campanhas sem maiores ambições nas competições nacionais. Tal situação propiciou o surgimento da FAF – Frente Ampla pelo Flamengo – que entendia que a quinta colocação no Campeonato Brasileiro era inaceitável, além das críticas pertinentes a gestão administrativa e financeira.


Fonte: Reprodução Blog Fla Eterno

Fonte: Reprodução Blog Fla Eterno

Para os dias atuais, boa parte dos torcedores do Flamengo sonhava com um treinador capaz de revolucionar novamente o futebol rubro-negro. É inegável que um nome como Sampaoli faz quem gosta do esporte bem jogado balançar. Mas será que ter um treinador estrangeiro nesse momento seria apropriado? Os exemplos recentes no Brasil tem sugerido cautela. E olha que nem acho que o problema esteja nos profissionais técnicos, mas sim na ausência de paciência de torcedores, jornalistas e dirigentes amadores.

Fonte: Reprodução site Oficial do Flamengo

Fonte: Reprodução site Oficial do Flamengo

Nesse sentido é possível que Muricy Ramalho consiga ajudar no estabelecimento de uma estrutura que comporte um salto de qualidade ao futebol profissional do Flamengo. E, pelo que vi na primeira entrevista, o novo treinador se preocupará com a integração de toda a categoria de formação de atletas na base, o que foi uma marca no Clube até 1992.

Que bom que ele trouxe consigo uma proposta otimista que já visa resultados imediatos a partir de 2016. Até por que Muricy sabe que é improvável um técnico se sustentar com sequência de derrotas. Os campeonatos estão aí para comprovar. A primeira gestão Bandeira de Melo fracassou na tentativa de sedimentação de um trabalho de longo prazo no futebol. Nesse sentido, ponto para o Presidente reeleito, que acelerou o processo de contratação de Muricy, que já está trabalhando!

Fonte: reprodução site oficial do Flamengo

Muricy é o primeiro reforço anunciado pelo Presidente Bandeira de Melo Fonte: reprodução site oficial do Flamengo

Muricy é experiente e detém o carimbo de maior vencedor de campeonatos brasileiros da época dos pontos corridos. Já conquistou Libertadores… Ou seja, possui uma bagagem tão vistosa a ponto de dispensar convite para ser treinador da seleção brasileira. Não obstante todo o currículo, Muricy terá que contar com o término do Centro de Treinamento, como elemento estratégico para que paremos de contratar perebas, e passemos a aproveitar melhor os jogadores feitos em casa.

Muitos insistirão em dizer que o CT não é fundamental, mas basta observarmos o crescimento de produção de outros clubes da Série A, e a retomada de revelações de novos talentos neles. Nem citarei os nomes, pois não os tenho como referência plena, além de ser convencido de que, o Flamengo arrumado, organizado administrativa e financeiramente, se dará a chance de ultrapassar quaisquer agremiações no mundo. Pois, como disse o próprio Muricy, “O Flamengo é gigante!”.

A construção de um estádio próprio é totalmente desnecessária em minha opinião. A Gávea pode ser preparada para absorver jogos sem expressão, do Carioca, por exemplo; o estádio da Portuguesa na Ilha do Governador, ou o do Nova Iguaçu, e também o Engenhão, são perfeitos para confrontos médios; e o Maracanã continua sendo nossa casa para os grandes espetáculos, bastando um rearranjo nos aspectos contratuais, aonde que a situação atual da Odebrecht acaba nos favorecendo.

Informações dão conta que a Construtora possui uma dívida deveras elevada, o que pode impulsionar sua necessidade em trocar recebimentos futuros por valores imediatos. Negociar assim costuma ser vantajoso, e o Flamengo pode fazê-lo, em conjunto com o Fluminense e com eventuais patrocinadores ou empreendedores. O mercado financeiro também apresenta boas opções de captação em moldes de certificados de recebíveis.

 

Particularmente eu vejo o ano de 2016 como o da estruturação de uma base sólida para grandes conquistas a partir de 2017. Todavia, na minha formação de administrador de empresas, eu trabalho com cenários, e o que projeto para o ano que vem é bem semelhante ao que esperamos da situação político-econômica do País como um todo. Imagino um ano difícil, mas com boas notícias a partir do segundo semestre, o que, para nossa alegria, ainda existem coisas a serem disputadas.

O momento atual é para que sejamos objetivos. Para tanto, todos temos que remar na mesma direção, o que facilita, e muito, a coisa. Afinal, regata é uma das nossas principais especialidades!

Desejo boa sorte ao Muricy e, consequentemente, a todos os 40 milhões de integrantes da Magnética! Que Cláudio Pecego de Moraes Coutinho lhe seja uma das grandes fontes de inspiração…

Cláudio Coutinho, saudade eterna! https://www.youtube.com/watch?v=WKmv78IxLAU

Cordiais Saudações Rubro-Negras!

 


Ricardo Martins escreve no blog Mulambeiros, da plataforma MRN Blogs. Twitter: @Rick_Martins_BH