@JasonCRF



urubusiness

Fala, flamengada.

Sou Jason Coutinho Brazil, novo colunista do Mundo Rubro-Negro. Prazer =)

Carioca, 22 anos, estudo Publicidade e Propaganda e além do Flamengo,  sou apaixonado por Marketing Esportivo. Essa será a temática do Urubusiness. Vamos lá!

Em um mercado onde as empresas estão cada vez mais receosas em expor suas marcas no futebol brasileiro, conseguir fontes de receitas alternativas é algo que os clubes buscam para conseguir aumentar seu budget para contratações, pagamento de salários, pagamento de dívidas, investimento em estrutura, entre outros.

O Flamengo anda sofrendo muito financeiramente, pois, corretamente, está priorizando o pagamento das dívidas para transformar o clube saudável financeiramente e tudo o que tanto se fala e sabemos.

Uma oportunidade de uma nova e promissora fonte de receitas, uma nova forma de se relacionar com seus torcedores é a criação de um festival de músicas do Flamengo, que denominarei aqui como Festival Rubro-Negro. Esse é um projeto meu em parceria com o colunista do MRN Luiz Filho.

O Festival teria como objetivo inicial reverter toda a renda para a finalização do Centro de Treinamento George Helal, o Ninho do Urubu. – Finalmente né? rs-

Além de destinar, em um primeiro momento, a receita do Festival para a conclusão do CT, este seria pioneiro em um novo tipo de atividade e relacionamento de um clube de futebol para com sua torcida, gerando uma nova e promissora fonte de renda. Nesse caso depois da finalização do CT, o dinheiro seria investido de acordo com as necessidades do clube.

A ideia inicial da realização do Festival era no dia do Torcedor Flamenguista, 28 de outubro, porém será em uma quarta-feira, então a proposta é que o evento seja realizado nos dias 31/10 e 01/11, em um sábado e domingo. Por ser em um final de semana subsequente ao dia, poderá ser uma comemoração do próprio dia do Torcedor Flamenguista.

Dois dias de evento onde diversas atrações musicais fariam a festa da Nação, contaria com a presença de ídolos e jogadores que estejam suspensos, machucados ou não escalados, e no domingo, uma pausa nos shows para a transmissão da partida contra o Grêmio, que será fora de casa.

É bem possível que você esteja se perguntando como o Flamengo pagaria um evento desta magnitude, sendo ele bem planejado, o investimento pode ser perto de zero.

E te digo como:

– Acordos de permuta com Prefeitura para o aluguel do espaço e fornecedores de equipamentos de som, iluminação, montagem do palco.

– Venda da exclusividade de comercialização de bebidas para empresas interessadas. (Penso na Brahma, já que é parceira no Movimento Por um Futebol Melhor, bebidas não alcoólicas, a Viton 44 e refrigerantes da Ambev, Red Bul vendendo Energéticos).

– Venda da exclusividade de comercialização de lanches para uma empresa interessada (Penso no Mc Donald’s, pela parceria com o clube na construção da Arena Mc Fla)

– Venda da exclusividade de espumantes e destilados para a área VIP e camarotes para empresas interessadas

– Venda dos direitos de Transmissão para uma emissora interessada (Penso no Multishow, já que eles costumam transmitir diversos shows e Globo, indiretamente passando High Lights do evento)

– Venda do Naming Right do Festival

– Empresas interessadas em patrocinar o evento (Companhias aéreas, redes de hotéis, aplicativos de táxi, entre outras).

O evento seria realizado na cidade do Rock, na Barra da Tijuca – RJ, local com capacidade para 100 mil pessoas, sendo dois dias, 200 mil pessoas. Porém ele poderia ser realizado em outras praças, como Brasília-DF, Belém-PA e João Pessoa-PB. A realização do Festival nas demais cidades poderia ser feita logo na primeira edição ou nas seguintes, caso o primeiro seja levado como um teste. As cidades foram pensadas estrategicamente para facilitar as viagens de torcedores de estados vizinhos.

Definir ou especular a precificação dos ingressos não cabe a mim, mas penso em 3 tipos de ingressos: Pista comum, Pista VIP e Camarotes.

Por mais que tenha aquele famoso jargão “amigos, amigos, negócios à parte”, dar a preferência para artistas Rubro-Negros pode ser que ajude em uma negociação pelo cachê dos mesmos, além de gerar uma boa aceitação por parte dos rubro-negros, mas uma investida em um grande nome internacional seja uma boa ideia, já que seria um bom chamariz.

Nossos parceiros também teriam uma participação fundamental no evento. A ativação no futebol brasileiro é pouco utilizada e esta seria uma importante oportunidade:

– Stand da Caixa seja com facilidades na abertura de contas (isenções em tarifas, taxas menores. Gostaria até da criação de uma conta corrente específica para flamenguistas, mas isso é assunto para outro post).

– A Jeep poderia expor seus carros nos acessos da área VIP e Camarotes com modelos mais exclusivos e na área comum com seus modelos mais “modestos” (Penso em uma linha de carros exclusivos, mas também é assunto para outro post).

– A Adidas com stands-lojas.

– A Viton 44, além de vender seus produtos no Festival, poderia montar um stand com produtos personalizados.

– A Herbalife com um stand cadastrando torcedores e fazendo seus shakes para apreciação dos curiosos.

– Lojas móveis ou estrutura de contêineres da Espaço Rubro-Negro.

Além do objetivo de gerar receitas para a finalização do CT, o relacionamento com o maior ativo do clube, a Nação, também é um dos objetivos, para isso, algumas ações poderiam ser feitas para nossos Sócio-torcedores:

– Sorteio de 10 STs que compraram ingressos na pista comum para assistirem o Festival no camarote do Flamengo com jogadores, ídolos e dirigentes.

– Sorteio de 2 Sócio-torcedores para subirem no palco por apresentação.

– Sorteio de 20 Sócio-torcedores para visitarem os artistas/bandas no camarim/pós-show.

– Sócio-torcedor que levasse 5 ou mais amigos não ST teria garantido a presença no Match Day em um jogo.

– Sorteio de 1 carro Jeep para Sócio-torcedor do Plano +Amor.

– Sorteio de 2 Sócio-torcedores mais um acompanhante para cada para viajarem com a delegação do Flamengo  em um jogo fora de casa, com direito à passagem, hospedagem no hotel da delegação, translado e direito de assistir o jogo no camarote com Zico (ou Adílio, ou Nunes, etc)

Na entrada do Festival, teria um posto de cadastramento do Programa Nação Rubro-Negra, onde quem se associasse, teria um desconto na adesão semestral para uma espécie de teste, em caso de renovação, o desconto não continuaria.

Não posso precisar quanto o Flamengo arrecadaria com um evento desse porte, mas acredito que tenha uma alta capacidade de receitas, que seria multiplicada com o Festival nas demais praças citadas. Como muito se fala de fontes alternativas de receitas, está aí uma opção.

Gostaria de agradecer ao Luiz Filho pela grande parceria nesse projeto!

Saudações Rubro-Negras.

Jason Brazil


 

@MRN_CRF

 

Seja um #ApoiadorMRN! Ajude contribuindo com R$ 5, R$ 10 ou R$ 20 mensais e participe do nosso grupo exclusivo de WhatsApp e muito mais. Esta é a forma que nós temos de manter e planejar o nosso projeto como um todo. Se você possui um negócio ou serviço que precisa ser divulgado, temos planos de apoio a partir de R$ 50 mensais com publicidade no nosso site e redes sociais. Clique aqui e vire um #ApoiadorMRN: bit.ly/ApoiadorMRN
Participe da campanha especial de arrecadação para viabilizar a produção e edição de conteúdo no canal do MRN no YouTube. Doe qualquer quantia de forma rápida e segura!