Hoje o texto é longo, propositivo e que contém opinião minha e de Edmílson Varejão, Mestre em Economia pela FGV, Secretário do Conselho Deliberativo do Flamengo, que além disso é um dos coordenadores da Chapa Azul. Tive acesso a documentos sobre o futuro do futebol do Flamengo, documentos estes que Varejão ajudou a formular para a campanha, para o Flamengo, a instituição. Nada do que direi será novidade para os associados que assistiram a apresentação da Chapa nos últimos dias, já que estes documentos são a base da apresentação. Pretendemos demonstrar de forma um pouco mais aprofundada como ficará o futebol do Flamengo em 2016. Digo aqui, que não será possível dissociar o texto das eleições, faltando uma semana. Não há como. Porém, como boa parte das ações, está sendo executada ou será executada em 2016.



Se ao longo do último triênio a gestão batalhou para colocar a casa em ordem, foi para criar condições para que nos próximos anos recuperemos a condição de maior clube de futebol do Brasil. No mínimo. Os ajustes financeiros promovidos pela gestão ao longo dos últimos anos, possibilitaram a disposição de recursos para investimentos no próximo triênio. O futebol será prioridade. Dentro e fora de campo. Esse projeto, com aspectos já em andamento, tem cinco pilares fundamentais:

 

  1. Centro de Treinamento: Em 2016 será finalizado o módulo profissional com os recursos economizados do PROFUT. A estrutura provisória atual será utilizada pelas divisões de base;
  2. Divisões de Base: Com 11 dos 28 jogadores do plantel, a base já apresenta avanços visíveis. Uma meta plausível é ter aproximadamente 50% da equipe (elenco) formada por pratas da casa, e com maior qualidade, como o exemplo do lateral Jorge, convocado para a seleção olímpica.

 

As próximas gerações são mais promissoras, no sub-15, por exemplo, atingiu recentemente a marca de 80 jogos de invencibilidade, culminando na convocação de seis jogadores para a seleção brasileira da categoria. O lema “Craque o Flamengo Faz em Casa” será muito valorizado.

 

  1. Qualidade profissional: Contar com os melhores profissionais é fundamental para atingirmos os melhores resultados. Devido a maior disponibilidade de recursos será possível reforçar o elenco, e o mesmo acontecerá com a comissão técnica, que ainda contará com programas contínuos de treinamento e capacitação.
  2. Raça e determinação: valores fundamentais para a nossa torcida e para a instituição. O compromisso com a vitória é premissa fundamental para vestir o Manto Sagrado. Quem não se enquadrar estará fora dos planos.
  3. Maximização da performance: O Flamengo está atento ao diferencial competitivo que os avanços recentes que a tecnologia aliada à preparação tem proporcionado aos clubes e seleções que se utilizam dessas ferramentas. Com a finalização do Centro de Treinamento e o aumento da nossa capacidade de investimento, avançaremos para ser um clube brasileiro com as melhores condições de desenvolvimento profissional dos seus atletas. Existem dois projetos estruturantes já em andamento:
    1. Inteligência e Mercado: Projeto iniciado em 2013, visa monitorar bases de dados de jogos e jogadores para: (a) embasar a comissão técnica das melhores informações acerca da nossa equipe e das rivais, e (b) identificar as melhores opções de mercado para as posições carentes no elenco, visando aumentar a taxa de acerto nas contratações;
    2. Excelência em Performance: Projeto iniciado em 2014, visa maximizar a performance dos nossos atletas através de treinamentos individualizados focados em (a) psicologia, (b) nutrição, (c) treinamento físico e (d) recuperação física e de lesões. Para acelerar esse projeto, ainda em estado embrionário, o clube está em vias de contratar a EXOS, empresa líder mundial em treinamento de atletas de alta performance, e parceira da Seleção Alemã de futebol desde 2005, UFC, equipes da NFL, NBA, entre outras grandes marcas.

 

Além de se pensar em estrutura, será preciso enxergar como funcionaremos, para a garantia da fixação do conhecimento, para que ele permaneça e em como poderemos expandir esse conhecimento, moldá-lo. Para a imaginada mudança de paradigma é preciso investimento. Em profissionais de melhor qualidade, muito treinamento e controle das ações da pasta; processos e gestão. Governança.

Uma das promessas de três anos atrás era a profissionalização da gestão, logicamente a do futebol inclusa. Para isso foi necessário mudar profundamente a estrutura organizacional do clube. Mudanças desse tipo demandam um processo de aprendizagem por parte das instituições e, até por isso, podem causar certa desconfiança enquanto não se estabelecem. Apresentamos a seguir da forma mais transparente possível, a versão reduzida do modelo de governança e comando proposto, e em execução, no Flamengo:

 

índiceA linha tracejada representa a divisão entre as duas instâncias complementares de gestão: na parte superior estão os dirigentes eleitos, liderados pelo presidente e os vice-presidentes. Eles têm como atribuição definir a estratégia e metas de gestão e supervisionar a execução. Na parte inferior da linha está a instância profissional composta pelos profissionais contratados e que tem dedicação exclusiva ao clube. Sua atribuição é executar a estratégia definida e prestar contas. As setas representam as linhas de comando e temos quatro atores principais na tomada de decisão: O Comitê de Futebol (ou Conselho Gestor), Vice de Futebol, CEO e o Diretor de Futebol. Independentemente das pessoas que ocupam essas posições cada uma tem suas atribuições.

 

Comitê de Futebol

  • Mitigar riscos associados às esferas financeira, jurídica e de imagem do clube;
  • Aprovar e acompanhar o orçamento e planejamento e metas do departamento;
  • Elaborar/acompanhar planos de ação para contornar o não atingimento de metas ou em cenários de crise;
  • Cobrar a constante evolução da gestão e incentivar a elaboração de normas e procedimentos.

 

Vice-Presidente de Futebol

  • Desdobrar as decisões do Conselho e do Comitê para o Departamento de Futebol;
  • Acompanhar execução do planejamento;
  • Acompanhar rotina do futebol junto ao diretor executivo e outros membros do departamento.

 

CEO

  • Ser o elo entre demais diretorias e futebol. Ex: marketing, financeiro e etc;
  • Elaboração e acompanhamento do orçamento anual, metas e demais medidas de desempenho;
  • Deve garantir a elaboração e execução da filosofia de gestão do futebol alinhada com a filosofia de gestão do clube como um todo.

 

Diretor Executivo de Futebol

  • Executar a gestão cotidiana do departamento em linha com o planejamento e metas estabelecidos;
  • Prestar contas ao CEO e ao VP de Futebol;
  • Se comunicar com imprensa, outros departamentos, VP Futebol e Comitê Gestor.
  • Elaborar orçamento do futebol.

 

Abaixo do Diretor Executivo de Futebol temos outros cargos que merecem destaque, sendo um deles o de Gerente de Futebol Profissional, que se encontra vago e será prioridade no próximo triênio. Este tem como atribuição trabalhar ao lado do treinador e oferecer as condições necessárias para o bom funcionamento do departamento de futebol profissional, incluindo parte disciplinar. Vale destacar que esse modelo organizacional visa ser compatível com a profissionalização da gestão do clube e a participação dos dirigentes, na defesa dos interesses e das tradições do Flamengo.

Acreditamos que esse modelo pode e deve ser aprimorado ao longo do tempo, continuamente, sendo o mais indicado para um clube do porte do Flamengo nos dias atuais. Além do mais, este modelo é estabelecido em outras áreas do clube, além do futebol, Fla-Gávea e nos vitoriosos Esportes Olímpicos, por exemplo.

O futuro do futebol do Flamengo está nas CATEGORIAS DE BASE e alguns resultados já aparecem, como a adequação do clube e sua certificação como clube formador, recebido em junho de 2015. Tal certificação segue uma série de critérios rigorosos que levam em conta aspectos técnicos e estruturais. Agora os atletas da base estão blindados ante a contratação de outros clubes já a partir dos 14 anos, por conta desse mecanismo de formação, advindo da certificação. Finalizaremos o módulo da Base do CT ainda nesse triênio, com a ajuda de patrocinadores, recursos incentivados e investimento próprio, em seu tempo.

Até lá teremos a possibilidade de incorporar a estrutura provisória utilizada pelo departamento profissional a partir da finalização do Módulo Profissional previsto para 2016. Foram estruturados os departamentos de psicologia, fisiologia, médico, serviço social, fisiologia, pedagogia e nutrição. Tudo para oferecer todo o suporte que é necessário para a formação plena de um atleta. Simplificarei o que será (já é) executado em tópicos:

 

Captação e manutenção de talentos

  • Contamos com equipe de Inteligência e Mercado que analisa dados e seis observadores técnicos. Pretendemos avançar ainda mais nessa área, ampliando-a se necessário;
  • Benefícios financeiros de auxílio-transporte e refeição acompanhada por nutricionista para garantir a permanência dos atletas de baixa renda;
  • Maior infraestrutura de alojamento (capacidade de 60 jovens) e de cuidados para receber atletas de fora do Rio. Depois da construção do CT da base, a capacidade para receber estes jovens será ampliada.

 

Filosofia de jogo

  • Estruturamos metodologia definida e unificada em todas as categorias;
  • Parte técnica: mapeamos os fundamentos que devem ser ensinados em cada categoria, com avaliação individualizada;
  • Parte tática: busca-se adaptá-los aos diversos esquemas táticos praticados e prepará-los para desempenhar mais de uma posição em campo;
  • Parte física e mental: Contratação de consultoria da EXOS, empresa líder mundial em treinamento de atletas de alta performance;
  • A formação do atleta só será completa se este também se formar como cidadão. Pensando nisso destacamos os setores:
    • Pedagógico: visa acompanhar o desenvolvimento dos jovens, incluindo a gestão escolar e de cursos extracurriculares de línguas e permanecendo próximo de pais e responsáveis;
    • Psicológico: visa fortalecer a autoconsciência do atleta, identificar características comportamentais e evitar eventuais problemas extracampo.
  • A comissão técnica também é parte fundamental. Estes passarão por processo constante de capacitação e serão bonificados por metas de aproveitamento de jogadores e convocações.

 

Transição entre categorias e base/profissional

  • A primeira transição planejada é a entre o futsal e o campo. Pensando nisso, integramos o Futsal ao departamento de futebol. Nas transições intercategorias, há reuniões semanais entre os coordenadores de cada categoria para avaliação dos atletas;
  • A transição mais importante é para o profissional. Traçamos planejamento para cada jogador, envolvendo treinos no profissional e retorno para a base;
  • Os jogadores atingem a maturidade profissional até os 23 anos. Para o próximo triênio planejamos criar um time sub-23. Primeiro teste será o Campeonato Carioca;
  • A base já apresenta avanços visíveis. Ao longo do ano de 2015 tivemos 17 jogadores convocados para as seleções de base: 10 no sub-15, 5 no sub-17 e 2 no sub-20. Destaque para o lateral Jorge, convocado paras as seleções sub-20 e olímpica;
  • Com o trabalho que já está em curso, somado aos aprimoramentos futuros, não temos dúvida que cumpriremos nossa meta de 50% da equipe formada por pratas da casa com cada vez mais qualidade técnica e identificação com as tradições do Flamengo.

 

Na minha última coluna expliquei mais ou menos o que seria a vinda do Sistema EXOS para o futebol do Flamengo. A primeira parte do projeto CRF/EXOS – diagnóstico – já foi finalizado. Revelou-se que temos um longo caminho a ser percorrido, mas com totais condições de êxito ainda no primeiro ano. Além do treinamento em si, a empresa proporciona capacitação aos profissionais da comissão técnica e consultoria em layout das instalações do CT e na compra de equipamentos.

O sistema possui metodologia de trabalho baseada em treinamentos individualizados com foco em quatro pilares: mentalidade (mindset), nutrição, treino físico (movement) e recuperação física e de lesões. Nossa melhor avaliação foi no pilar de mentalidade, fruto do trabalho da equipe liderada pelo Fernando Gonçalves. Nossa pior nota foi em nutrição, que demanda maior acompanhamento da hidratação e de todas as refeições dos jogadores. Identificou-se também necessidade de avaliação individual contínua baseada em avaliações funcionais e necessidade de equipamentos especializados. As primeiras atividades do plano de ação do projeto são:

 

  • Avaliação física: aprimorar os testes de movimentos, recuperação, força e resistência. Estes testes devem fornecer informações completas de cada atleta para assim programar seu treinamento. Reavaliação regular para monitoramento;
  • Treinamento e recuperação:
    • Aquisição de equipamentos especializados de última geração;
    • Estabelecimentos de protocolos padronizados para programa de redução de contusões, comunicação entre as áreas e planejamento de treinos individualizados baseados em avaliações funcionais;
  • Mentalidade: Melhorar a comunicação com elenco através de envio de mensagens de texto, comunicação nas viagens e mensagens estratégicas nos locais de treinamento.
  • Nutrição:
    • Educação nutricional para os jogadores (e famílias);
    • Monitorar diariamente a hidratação;
    • Incluir jantar e alimentação pós-treino, cortar doces e refrigerantes e melhorar alimentação nas viagens.
  • Gestão:
    • Capacitação contínua da comissão técnica em todos os itens listados acima;
    • Avançar na definição de metodologias padronizados;
    • Consolidação das informações em plataforma unificada de gestão dos dados;
    • Unificação de registros de informação das áreas de psicologia, fisiologia, médico, serviço social, fisiologia, pedagogia e nutrição. Comunicação constante;
    • Reuniões regulares entre as áreas para melhorar a comunicação interna.

 

O contrato entre Flamengo e EXOS inclui a implantação completa das recomendações e da metodologia com a participação de pessoal especializado da empresa in loco. Para isso, o Flamengo terá dois profissionais sênior da empresa trabalhando no nosso CT, além de consultoria remota. Para que o jogador desempenhe o máximo do seu potencial técnico é preciso que se ofereça a ele as melhores condições de infraestrutura e de treinamento. O objetivo é ter o que há de mais moderno para o desenvolvimento profissional dos seus atletas.

Depois do trabalho de consultoria, o Flamengo deve unificar o trabalho e os registros de informação das áreas de psicologia, fisiologia, médico, serviço social, fisiologia, pedagogia, nutrição e preparação física, que hoje não se comunicam. É preciso dotar o clube de profissionais que melhorem seu desempenho em campo, facilitando sua vida fora do campo. Precisamos trabalhar demais para que o Flamengo volte a ser gigantesco em campo.

Finalizando, particularmente, eu, Luiz Filho, gostaria que o clube fizesse uma parceria com a Universidade do futebol, para se criar um modelo Flamengo, baseado em nossa cultura + Exos + UdoF, focado na formação de funcionários e treinadores com a Universidade do futebol. Criaria também uma espécie de secretaria permanente que cuide dos atletas recém-chegados. Escola para filhos, aula de línguas para estrangeiros e família, assistência para quem vem de fora do estado, também. Extensível a base. Isso facilitaria a criação de uma cultura própria, catalisaria os processos de aprendizagem, numa mudança completa de cultura, o que se pretende e deseja para o Flamengo.

Precisamos montar um “banco de ideias”, buscar intercâmbio em Portugal (que tem ótimos cursos e universidades com programas voltados para o mundo do futebol), criar conteúdo, conhecimento, pesquisa. Para mim, os atletas devem saber sobre a história da “empresa”, do clube, como acontece normalmente em grandes empresas. Deveria ser obrigatória uma aula de introdução, como se fosse uma preparação e conscientização da “utilização de EPI”. Nossa cultura deve estar entranhada nas paredes do clube, do CT, na pele e na mente dos atletas, treinadores, profissionais que trabalham no Flamengo. Como ocorre nas maiores empresas do mundo. Só que voltando-se para o resultado esportivo, objetivo concreto do Clube de Regatas do Flamengo. Vitórias e títulos.


 

Parabenizo ao Edmílson Varejão  pelo trabalho executado, pelo esforço e agradeço pela conversa e pelas informações. Obrigadaço!

 

 

Flamengo+Hic+et+Ubique


Luiz Filho escreve no blog Overlapping, da plataforma MRN Blogs. Twitter: @lavfilho
Seja um #ApoiadorMRN! Ajude contribuindo com R$ 5, R$ 10 ou R$ 20 mensais e participe do nosso grupo exclusivo de WhatsApp e muito mais. Esta é a forma que nós temos de manter e planejar o nosso projeto como um todo. Se você possui um negócio ou serviço que precisa ser divulgado, temos planos de apoio a partir de R$ 50 mensais com publicidade no nosso site e redes sociais. Clique aqui e vire um #ApoiadorMRN: bit.ly/ApoiadorMRN
Participe da campanha especial de arrecadação para viabilizar a produção e edição de conteúdo no canal do MRN no YouTube. Doe qualquer quantia de forma rápida e segura!