Por Patrícia Castelan

barriga verdeApresentado ontem na Gávea, José Paolo Guerrero Gonzales chegou muito bem assessorado e dizendo verdades que doem nos ouvidos de todos os “antis” e “haters” espalhados pelo país. Meia dúzia. De fato. Especialmente da imprensa.

Nosso novo atacante foi à coletiva para marcar gols de letra com frases como: “Flamengo é maior que o Bayern de Munique”; “Flamengo tem a maior torcida do mundo”; sendo este um dado reconhecido até pela velha inimiga do Flamengo e seja como for, autoridade máxima do futebol mundial: FIFA.

Paolo não será de fato o 1º peruano que o Flamengo terá em sua história. Nos anos 2000, o rubro-negro carioca emprestou, por intermédio de Carpegiani, o expoente meia do Sporting Cristal, Jorge Soto. Curiosamente, Jorge ficou cerca de três meses no Flamengo. Preterido pelo técnico interino Carlos Cesar, que também não quis cumprir com o acordo de cedê-lo à Seleção Peruana,o meia/lateral não chegou a fazer nenhum jogo e retornou ao Sporting Cristal.

Sem títuloEm entrevista recente ao site Globo Esporte, Jorge dissse que o Flamengo e os rubro-negros podem esperam muita luta e entrega de Guerrero.

Com uma carreira bem sucedida por onde passou, Guerrero teve seu início no Alianza  Lima e ainda jovem foi para o Bayern de Munique, onde fez 70 jogos e 49 gols entre as temporadas de 2002 e 2006. Deveria ser o segundo peruano a atuar pelo Flamengo mas como ser segundo é com o nosso “amigo” de São Januário, esta noite, será o primeiro.


Após excelente Copa América, Paolo ou “El Depredador”, não fez apenas gols importantíssimos pela sua Seleção, mas também pensou o jogo, criou, oportunizou gols aos seus companheiros de equipe. Chega ao rubro-negro carioca representando um divisor de águas. Como certeza para alguns, como eu, esperança para outros.

Não é só Guerrero. Armero, que ainda está impedido de jogar, também fez bela Copa América como Colômbia. Cáceres, contestado justamente antes de sua ida à Seleção do Paraguai, também fez excelente competição. São bons termômetros para acreditar que o Flamengo completo e renovado dará certo.

Nenhum motivo no presente justifica minha confiança de que tudo dará certo mas, é só olhar um pouquinho atrás, como na Copa do Brasil de 2013, para achar fatos que dão lastro à certeza de que o jogo dessa noite contra o Inter, será um divisor de águas e que o Fla pode e deve chegar entre os quatro primeiros do Brasileiro ao final do ano. Teremos 27 jogos para isso. É tempo e pontos de sobra. É hora de confiar. Afinal, o rubro-negro jamais desanima porque sabe do que seu, e unicamente o seu Clube é capaz.

 
 

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA A GENTE NO TWITTER