O Flamengo está de volta à Libertadores depois de três anos justamente quando a competição passa pela maior mudança na sua história – pela primeira vez, terá duração de mais de 10 meses, sendo disputada do fim de janeiro a novembro. Três dias antes do início da competição, com os jogos de ida da primeira fase, a Conmebol enfim divulgou o regulamento. O MRN destacou algumas novidades e algumas questões que permanecem no regulamento, mas passam a afetar o Flamengo apenas nesta edição:

CAPACIDADE DO ESTÁDIO
Como na última edição, a Conmebol estabelece um mínimo de 10 mil lugares no estádio para a fase de grupos, 20 mil para as oitavas e quartas de final, 30 mil para a semifinal e 40 mil para a final. Por isso, é fundamental para o Flamengo que as autoridades liberem a capacidade total do estádio da Ilha, que está sendo reformado para cerca de 20.500 lugares, caso queira jogar lá pelo menos até as quartas.

JOGAR FORA DO RIO
Caso queira mandar algum jogo fora do Rio, o Flamengo precisa avisar a Conmebol com até dez dias de antecedência e obter a concordância do adversário. Caso chegue à semifinal e não possa ter o Maracanã, o clube cogita mandar o jogo no Pacaembu.

OBSTÁCULO AOS NAMING RIGHTS
O Flamengo negocia com possíveis patrocinadores a venda dos naming rights do estádio Luso-Brasileiro. O regulamento da Libertadores, porém, proíbe a exposição de marcas que não sejam as do patrocinadores oficiais da Conmebol e da competição no estádio, ou inclusive de propaganda institucional – o que também pode afetar os planos do Flamengo de ter um outdoor para melhorar a acústica e ao mesmo tempo explorar propaganda no estádio da Ilha.

NUMERAÇÃO
Foi mantida a regra de numeração fixa de 1 a 30 na Libertadores. Com isso, Diego não poderá jogar com a camisa 35 que escolheu para a temporada. Na Sul-Americana passada ele jogou com a camisa 10, mas este ano espera-se que Ederson use o número também na Libertadores.


INSCRIÇÃO DE NOVOS JOGADORES
Os nomes de 30 jogadores em condições de jogo devem ser apresentados à Conmebol até 48 horas antes da estreia da equipe na competição – no caso, até o dia 6 de março. Há duas janelas para trocar até três jogadores por vez: antes das oitavas de final e antes da semifinal. Jogadores que sejam desinscritos antes das oitavas, no caso de uma suposta lesão, podem voltar a ser inscritos antes da semifinal. Apesar de a competição durar o ano inteiro, jogadores não poderão ser inscritos por duas equipes diferentes, como acontece no Brasileiro. Caso um goleiro tenha uma lesão grave comprovada, pode ser substituído na lista a qualquer momento, mas não pode voltar a ser inscrito uma vez recuperado.

DESEMPATE PELO RANKING
Caso duas equipes terminem a primeira fase empatadas em pontos, saldo de gols e número de gols marcados, o desempate se dará pelo ranking da Conmebol. Tanto San Lorenzo quanto Universidad Católica estão à frente do Flamengo no ranking. Já o terceiro adversario, que virá das fases preliminares, seja quem seja, estará atrás do Flamengo.


SUL-AMERICANA DE CONSOLAÇÃO

Os terceiros colocados de cada grupo se classificarão para a segunda fase da Sul-Americana. Suspensões pendentes por três cartões amarelas ou cartão vermelho serão transferidas de uma competição para a outra.

ÁRBITRO DE VÍDEO
“Fica aberta a possibilidade de aplicar a tecnologia VAR (Video Assistant Referee) em conformidade às disposições da Fifa”. Com esta formulação vaga, o regulamento abre a janela para que o uso de arbitragem de vídeo, que causou polêmica no último Mundial de Clubes, seja adotado ao longo do torneio.

O que você pensa sobre isso?


Vire Apoiador do MRN: entenda melhor clicando nesse nesse link: bit.ly/ApoiadorMRN

Outras formas de ajudar este projeto:
– Nosso site faz parte do plano de afiliados do Nação, o programa de sócio-torcedor do Flamengo. Se você clicar em bit.ly/STdoMRN e aderir ao programa, ou até mesmo renovar seu atual plano, o Mundo Rubro Negro ganha 50% da sua primeira mensalidade.