Capitão e melhor jogador do Flamengo na temporada, o zagueiro Juan concedeu entrevista no Ninho do Urubu na manhã desta sexta-feira. O camisa 4, que está com 37 anos, foi o encarregado da díficil missão de dar explicações sobre o momento do clube – são três eliminações no ano em menos de três meses. O Fla foi eliminado para Atlético-PR, Vasco da Gama e Fortaleza pela Primeira Liga, Campeonato Carioca e Copa do Brasil, respectivamente.

Ao ser perguntado sobre a exposição da zaga durante as partidas, Juan fez questão de comparar os dois últimos adversários e a forma que cada um jogou: “Jogamos com o Sport, um time de Série A, e conseguimos controlar isso muito bem. Por quê? Fizemos gol cedo e eles tiveram que sair para o jogo. Então as coisas foram mais tranquilas. Com o Fortaleza, no mata-mata, um time de Série C, que não tem mesmo peso do Flamengo, todo mundo sabe que vai ser de contra-ataque. Quando chegam em vantagem, isso fica mais exposto ainda”.

Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

Foto: Gilvan de Souza/Flamengo

Sobre o entrosamento com o novo companheiro – também formado na base do clube – Léo Duarte, o capitão destacou o imediatismo e elogiou o jogador: “Estamos tentando apressar as coisas. Eu e Léo não treinamos nenhuma vez juntos. Houve a oportunidade contra o Sport, depois descansamos e jogamos contra o Fortaleza. Procuro ajudar conversando. Procuramos acelerar as coisas, infelizmente futebol é assim. Para mim, ele fez duas boas partidas pela situação que encontrou e pela idade que tem”.

Em relação ao Grêmio (próximo adversário), Juan exaltou a dificuldade da partida e acredita que o time precisa ser eficiente para sair com o três pontos: “Jogo muito difícil, na casa deles. Eles têm um time de movimentação, com jogadores leves na frente. Não têm muita referência de posição. Nessa época tem frio no Sul, a torcida fica em cima na Arena. Com isso tudo, temos que saber lidar. Talvez não tenhamos muitas chances de gols e as poucas que podem acontecer, temos que aproveitar”.

Prata da casa e ídolo rubro-negro, Juan estreou pelo time profissional em 1996 e foi titular até ser vendido para o Bayer Leverkusen da Alemanha, em 2002, por R$ 7,5 milhões. Pelo Flamengo, o jogador de 37 anos fez memorável dupla de zaga com o paraguaio Gamarra e conquistou inúmeros títulos, entre eles Carioca, Copa Mercosul e Copa dos Campeões.