Bruno Vasconcellos | Twitter @BruNoCellos_CRF

logo-mrn-informaçãoO MRN traz hoje, a história de Wesley Kovic. Um jovem apaixonado pelo Flamengo e que não mede esforços para estar perto do seu grande amor. Paulista de Taboão da Serra, Kovic diz já ter nascido flamenguista.

“Eu nasci Flamengo. Meu pai sempre teve tudo do Flamengo aqui em casa, mas nunca me pediu para ser Flamengo como ele, ou me forçou a ser. Simplesmente comecei a acompanhar os jogos. Ele chegava do trabalho muito tarde e eu ficava acordado esperando-o chegar e contar tudo que aconteceu, todas as novidades do Flamengo. Digo isso, porque minha irmã é mais velha do que eu, e resolveu torcer para o Corinthians.”

Wesley é conhecido por seus amigos por sempre estar presente nos jogos do Flamengo em São Paulo. Engana-se, porém, quem pensa que o jovem de 20 anos restringe-se,  apenas, a acompanhar os jogos do Mengão na Terra da Garoa. Kovic perdeu as contas de quantas vezes veio à Cidade Maravilhosa. Não importa o momento. Seja na briga contra o rebaixamento, ou na disputa por títulos. Kovic faz-se valer da frase “Onde estiver estarei.”

Wesley uniforme 2 com amigos no Maraca

Wesley (camisa 2) com amigos no Maraca.

 

Sempre indagado sobre o porquê de sua torcida para o Flamengo. Wesley tem a resposta na ponta da língua:

“O que mais escuto em SP é: – Que time você torce? – Flamengo. – E aqui em São Paulo? – Sou só Flamengo, fim. Não tem essa de torcer para um time diferente em cada estado.”

“Hoje em dia, meus amigos acompanham os jogos do Flamengo para torcer contra. Incrível como eu faço as pessoas odiarem o Flamengo. Nossa grandeza incomoda demais!”

Apesar de ser Sócio-Torcedor desde 2013, Wesley enfrenta problemas para conseguir ingressos nos jogos do Fla.

“A compra para ingressos, com o Flamengo sendo visitante, nunca foi tranquila aqui. Desde a época de estádios “normais” essa venda sempre foi acirrada. E nem com o famoso padrão FIFA, as novas arenas nos facilitaram”.

No domingo (09/08), Wesley foi para Campinas assistir Ponte Preta x Flamengo. O paulista conseguiu ingresso poucas horas antes da partida e nos contou como foi a experiência:

“Tentei comprar ingresso no site (Ingresso Fácil) onde são conveniados com a Ponte Preta, só que deu erro. Liguei para empresa e informaram que havia ingressos no Ibirapuera. Então fui ao local indicado, e quando cheguei ao local a venda estava esgotada. Arrisquei e fui para Campinas.

No Morumbi, muito bem acompanhado...

Em jogo no Morumbi, muito bem acompanhado…

O caminho Tietê-Campinas foi tranquilo, não havia trânsito e chegamos em 1 hora. A recepção foi extraordinária. A Torcida Organizada TJP é aliada da RRN, a qual fui de caravana.

Ao chegar nos arredores do estádio dava para ver uma bandeira imensa rubro-negra naquele mar branco e preto (risos). Tinha churrasco e muita cerveja. Fomos bem recebido por eles. As bilheterias funcionaram bem, já não haviam mais ingressos para a torcida visitante, então o movimento era maior nos arredores, com os cambistas. Acabei pegando com a torcida organizada.”

Menos de 24 horas após a peleja em Campinas, Wesley já tinha um novo desafio. Garantir presença no último jogo do Fla no 1º turno.

“Segunda-feira (10/08), entrei em contato com o Allianz Parque. Fui nformado que os ingressos para a torcida do Flamengo seriam disponibilizados apenas no dia do jogo, à partir das 8 horas. Porém, horas depois, saiu num site de esportes que o Palmeiras fez uma parceria com o Flamengo e propôs a venda de 500, dos 1500 disponíveis para a torcida visitante no Rio de Janeiro.

Mas aí eu pergunto: E o torcedor do Flamengo que paga sua mensalidade de ST ? Fica de mãos atadas sem nem ter o que fazer?

O próprio site do Allianz Parque divulgou que os ingressos estavam esgotados. Porém, no site futebolcard.com eu tirei um print da tela, onde dizia que seria comercializado (torcida do Fla) no dia do jogo. Enfim, ninguém tem a notícia divulgada de forma clara. Nossas ligações não são gravadas e não são entregues números de protocolos!”

O corajoso Wesley Kovic mais uma vez foi acompanhar o Mengo sem ter a certeza de que entraria no estádio.

“Cheguei no Allianz por volta de 7h20. A venda começou 9 horas no Setor D, destinado para a torcida visitante. Logo em frente tem uma casa (sede) de uma organizada do Palmeiras. Tinha uns três caras lá na frente e começaram a cantar “Mulambo me diz como se sente”, a torcida começou a vaiar, mas os próprios palmeirenses os tiraram de lá.

IMG_20150816_204508

Entrada de visitantes do Allianz. Kovic, com todas as dificuldades, conseguiu seu ingresso.

Abriram o portão, começamos a formar fila. Houve um tumulto, correria, a polícia apareceu e contornou a situação. Entrei e foi tranquilo. O estádio é top. Sensacional. Padrão FIFA.”

IMG_20150816_204524

Ederson foi o único jogador do Fla a saudar a torcida no Allianz.

Kovic deixou sua análise sobre a partida. Palmeiras 4×2 Flamengo.

“O Flamengo no primeiro tempo, tocou, tocou. Teve dois pênaltis escrotos, mas não gosto de ficar lamentando erros de arbitragem. Escanteio e gol dos caras de cabeça. A zaga de novo batendo cabeça. Falam que treinam a semana inteira, mas não vejo evolução. Ficaram tocando, tocando, como de costume, mas não produziam muito. Teve uma boa chance com o Guerrero, de cabeça, que o Fernando Prass salvou em cima da linha – ótima defesa.”

“Particularmente, o Guerrero está muito apagado. A imprensa paulista endeusa muito os caras daqui. Então todo mundo cria essa expectativa. Ele é a referência, então a gente espera sempre gol dele. Quando ele passa em branco, fica até chato. No segundo tempo o Flamengo veio com outra postura, As mudanças do Cristóvão surtiram efeito, coisa que não vinha acontecendo. Empatamos, viramos, mas numa infelicidade aconteceu aquilo… Eu gostei do jogo.”


 

Quem quiser continuar acompanhando as histórias do Wesley é só segui-lo no Twitter: @WesCRF

Quem quiser continuar acompanhando as histórias do Wesley é só segui-lo no Twitter: @WesCRF

 

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA A GENTE NO TWITTER