Buteco do Flamengo e Mundo Rubro Negro apresentam

 

Fla - BandeiraO rapaz está ansioso pela festa, espera por ela tem tempo, e o motivo é que lá espera encontrar e, se tudo der certo, conquistar, a moça dos seus sonhos, a “moça linda”.

O dia não foi fácil, o animo do rapaz não está como ele queria, mas existe uma moça a ser conquistada.

Chega o momento, chega a festa. Assim que entra nosso rapaz olha a moça linda, e seus olhos brilham, estão do tamanho de uma bola de sinuca. O rapaz se vira bem na noite, é confiante, talvez até demais.

Pede uma cerveja, fica no balcão vendo os pretendentes, na mente dele meros coadjuvantes, tentando conquistar a moça linda.

Um pernambucano chega na moça, com trejeitos que lembram o rapaz dele mesmo, caso ele fosse um merda, e é rejeitado de pronto. O rapaz ri, alto. Diz a lenda que o pernambucano contou aos amigos que pegou a moça, mas isso fica pra depois…

Um outro “cara” tenta a sorte. Bem vestido, educado, mas afeminado.A moça linda troca palavras com ele, os dois riem mas não sai disso. Nunca teve chance. O rapaz segue confiante, bebendo sua cerva e esperando a hora certa de ir ao trabalho.

Eis que algo inesperado acontece. Um cidadão corpulento, feio, mas imponente com seus cordões e relógio de ouro, se aproxima da moça linda. Não tem carisma nenhum mas dizem que é rico por ser filho de pai influente, político corrupto.Um otário para bancar sem graça.

A conversa flui. Nosso rapaz começa a ficar tenso. Será, pensa ele, que ela vai se deixar levar pelo poder do dinheiro daquele ogro?

Nosso rapaz pede outra cerveja. Beber parece uma boa solução para superar o momento complicado.

Algo inusitado ocorre:entra em cena a moça inexpressiva.

Para quem não sabe, a moça inexpressiva é uma moça que o rapaz conhece muito bem faz tempo. Vou deixar os detalhes de lado pois sou um gentleman, mas o rapaz conhece a moça de maneira deveras íntima.

A moça inexpressiva é dele, a hora que ele quiser, e ele sabe disso. Todos sabem.

A moça inexpressiva tem noção que para superar sua falta de beleza e carisma só existe uma alternativa: ela precisa ser agressiva, fácil. Ou seja, não perder tempo.

Ela chega no rapaz, “chegando”.

“Vamos para um lugar mais tranquilo” foi a fala de aproximação dela. O rapaz riu, começou a falar sobre amenidades, querendo ganhar tempo. Seus olhos estão focados na moça linda e no papo dela com o otário rico.

O rapaz sabe que está atrás. O pilantra rico e bobalhão parece ter encantando a moça com seu dinheiro, mas ela volta e meia olha para o nosso rapaz, e ele olha de volta.

Ele precisa decidir e não pode demorar:tentar a moça linda, quase inalcançável, ou se contentar com a inexpressiva, fácil, porém irrelevante?

O rapaz precisa de tempo e pede licença a moça inexpressiva para ir ao banheiro.

A caminhada de alguns metros será longa, e será todo o tempo que ele terá pra decidir.

O rapaz dá 6 passos e se decide:”vou na moça linda”.

Nem finge que vai ao banheiro para dar uma justificativa a moça inexpressiva.

Caminha confiante em direção a moça linda, a essa altura dançando com o otário rico.

O rapaz chega e não perde tempo, se apresenta ignorando o bucha e pede para conversar com a moça linda.

Ela fica sem graça, o playboy fica sem graça mas nada importa, o rapaz não pode ser parado.

A moça concorda, resolvem conversar. O ogro fala algo no ouvido da moça e vai ao bar pegar mais uma cerveja, é o que restou.

O rapaz sente que o momento chegou, é agora. Ele conversa com a moça linda, diz que pensa nela faz tempo e que estava aguardando a festa, ela ri e diz que estava louca para ele se aproximar mas que ele demorou. O rapaz recebe essas palavras como um tiro. Sabe que vacilou.

A moça vê no olhar do rapaz a tristeza, a decepção.

Ela encara o rapaz e diz: “quem sabe no futuro”? Dá um beijo no rosto dele e vai em direção ao ogro.

O rapaz fica sem chão. Pensa que não poderá fugir do destino cruel de ter que encarar mais uma noite com a moça inexpressiva.

“Que merda”, pensa ele. Mas o rapaz sabe que tem que jogar com as cartas que tem na mão, então, porra, moça inexpressiva é o cardápio do dia.

Quando o rapaz vai procurar a moça inexpressiva, toma um choque: um cara estranhão, bigodudo, parece que de origem lusa, está em vias de levar a moça inexpressiva.

O rapaz não acredita no que vê. Ficou sem nada. Demorou, hesitou, e pagou o preço. Ele sabe que não tem a quem culpar, apenas ele mesmo.

Se abate. Vai beber mais algumas e ir embora. Acabou.

Quando tudo parecia definido, o rapaz vê um velho amigo. Os dois se falam e o amigo logo vê que o rapaz não está bem, e imediatamente pergunta o que ocorreu.

O rapaz conta, resumidamente, o que se passou.

O amigo escuta, atento. Quando o rapaz termina de se auto flagelar, o amigo profere as seguintes palavras:

“rapaz, foda-se o ogro! Foda-se a moça inexpressiva”

O rapaz parece energizado pelas palavras do amigo. E decide que não vai cair sem lutar.

A moça inexpressiva já foi cooptada pelo luso, o rapaz a ignora. Jura que nunca mais vai perder tempo com ela.

Seu foco é total na moça linda.O ogro meio que já está com tudo sob controle para sair com ela da festa e, quando isso ocorrer, o rapaz sabe que sua chance terminou.

Ele precisa agir.A moça linda já está dando adeus para as amigas, o ogro rindo com seus amigos, contando vantagem. O rapaz sabe o que está acontecendo. Mas não liga.

Chega na moça linda, e abre seu coração. “quero você”, diz ele.”E acho que voce me quer também”.

O rapaz foi pro tudo ou nada. A moça linda fica imóvel. O rapaz sabe que o próximo movimento dela será decisivo.

Ela olha pra ele, dá um abraço e diz, baixinho: pena que você demorou tanto.

Dá mais um beijo no rosto dele, vira as costas procurando o ogro e se vai.

O rapaz tentou tudo, e perdeu. Fez o que pode, mas não deu. Sentiu até um certo orgulho por ter feito o que pode, mas o rapaz sabe que na vida, como no futebol (sua segunda paixão), o que importa é resultado.

O rapaz já caminhava para a saída só torcendo para que a moça linda já tivesse ido também e ele não fosse obrigado a ver cenas lamentáveis dela com o ogro quando sente uma mão em seu ombro.

Era uma amiga da moça linda.

Ela se aproxima, se apresenta e diz: a moça linda deixou um bilhete pra você, LERDO.

E sai rindo.

O rapaz abre o bilhete.Nele consta o nome da moça, o telefone dela e um recadinho, curto e ao mesmo tempo completo:

“me liga”.

HAHAHAHAHA.O rapaz sabe que perdeu a noite, mas ganhou a garota dos seus sonhos.

Caminhando pra casa, feliz com os acontecimentos, só consegue pensar nas palavras do seu amigo:

“Rapaz, foda-se o ogro! Foda-se a moça inexpressiva!”

 

Fim.


Bom dia amigos do Buteco,
em caráter excepcional, o amigo Luiz Filho gentilmente cedeu sua coluna de hoje para a postagem de um comentário meu, feito meio que na brincadeira, ontem.
Espero que gostem, o momento é de felicidade pela sequência de vitórias e nesse espírito fanfa que escrevi o texto.Vamos aproveitar!
SRN,
BcbFla