Diogo Almeida | Twitter: @DidaZico


 

mrn infNa segunda quinzena de junho do ano passado, o zagueiro César deixava a Ponte Preta rumo ao Benfica, de Portugal. Pretendido também pelos italianos da Juventus e da Internazionale, assinou com os Águias por 5 temporadas em transferência que custou 3 milhões de euros aos cofres do atual campeão português.

Ao chegar em Lisboa, César conheceu Luisão, ídolo brasileiro, titular absoluto da zaga benfiquista por 13 temporadas, e o experiente Jardel, revelado pelo Avaí com passagens por Santos e Estoril. A dupla Luisão e Jardel terminaria o ano consagrada como titular inquestionável na temporada 2014/2015, encerrada com o título da I Liga e da Taça da Liga (equivalentes aos Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil).

Aos 22 anos, os portugueses não contrataram César para substituir Garay, que naquela mesma semana acertara sua ida para o Zenit. O jogador era a quarta ou até quinta opção do técnico Jorge Jesus em seu plantel de defensores, que ainda contava com Lisandro López (ex-Arsenal de Sarandí), Steven Vitória e Victor Lindelöf. César teve poucas oportunidades – disputou apenas 9 jogos – com bons e maus momentos, típico quadro de um jovem que inicia em outro clube.

Na derrota por 2-1 para o Olympique de Marseille, César foi batido pelos adversários nos dois gols e eleito com razão o culpado pelo revés. A torcida do clube também reclama

César em treinamento no CT do Benfica | Foto Benfica/Divulgação

César em treinamento no CT do Benfica | Foto Benfica/Divulgação

muito de uma jogada ocorrida justamente contra o maior rival, o Sporting: no lance do gol de André Martins (partida válida pela Taça de Honra), César deixou o jogador do Sporting  sozinho para tentar cortar a bola cruzada por Carrillo, mas errou a interceptação. A sequência de dois jogos com 3 gols ligados a falhas suas  pesou para que César não fosse mais convocado para as preleções do longevo técnico do time, antes dos jogos.


A redenção veio, ironicamente, na maior competição disputada pelo clube na “época”. Com o departamento médico lotado, Jesus foi obrigado a utilizar o jogador contra o Bayern Leverkusen pela sexta e última rodada da fase de grupos da Liga dos Campeões. Terminado o jogo sem gol e com a sua equipe eliminada, César tinha não apenas surpreendido comissão técnica e torcida como entrou para a seleção da rodada junto a grandes jogadores que se destacaram naquela semana, como Neymar, Podolski, Arbeloa e Nasri. 2015 chega esperançoso para o jovem e novamente surge outra oportunidade de atuar. Dessa vez o adversário foi o Arouca, pela Taça da Liga. A atuação era boa, partida segura era um indicador que a fase de adaptação estava chegando ao fim. Todavia, aos 23 minutos do segundo tempo sofreu lesão muscular na face posterior da coxa direita e foi para o departamento do clube lisboeta. À época Jorge Jesus declarou em entrevista coletiva: “Felizmente já teremos o Lisandro e o Luisão recuperados. O César tinha jogado bem no último encontro, e hoje também estava bem. Está cada vez mais competitivo, e taticamente perfeito”. A lesão atrapalhou o jogador, que findo o tratamento, não teve maiores oportunidades.

A surpresa e ponto alto em 12 meses de Benfica: Seleção da UEFA | Foto UEFA/Divulgação

A surpresa e ponto alto em 12 meses de Benfica: Seleção da UEFA | Foto UEFA/Divulgação

Na excursão de pré-temporada do Benfica na América do Norte (5 jogos no Canadá, EUA e México – International Champions Cup e Eusébio Cup) o jogador não foi relacionado para a viagem. Com a demissão de Jorge Jesus e a reformulação promovida pelo novo comandante Rui Vitória, o clube decidiu que era hora de rodar mais o jogador. Com a janela brasileira fechando o momento exigia decisão rápida. O Troyes, recém garantido à Liga 1 francesa, esteve interessado no brasileiro, mas com a chegada do Flamengo no circuito, o staff do jogador decidiu que uma volta ao Brasil, defendendo as cores mais fortes do nosso futebol, seria mais interessante para todos.

Poucas oportunidades: Benfica acredita no potencial do jogador | Foto Benfica/Divulgação

Poucas oportunidades: Benfica acredita no potencial do jogador | Foto Benfica/Divulgação

O jogador chega ao Flamengo para disputar lugar no time que vai à campo. Teve muito destaque na Ponte e não é um refugo português, nem jogador de Benfica B. Destro, suas maiores qualidades são a tranquilidade, movimentação (no confronto contra o Bayer – Benfica já eliminado – ele correu incríveis 11 quilômetros) e qualidade na bola aérea.

 

 

 

 

 


Conheça o zagueiro César, o novo reforço do Flamengo |  por @MathheusRamos |


 

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA A GENTE NO TWITTER