IMG-20150626-WA0000


FLÁVIO H. SOUZA | Twitter @PedradaRN

A Chapa Azul está apresentando seu plano. Em eventos programados para mostrar o Plano de Governo (PdG) a associados e pessoas ligadas em mídias sociais, a Chapa Azul saiu em campo e mostra o que pretende para os próximos 3 anos no clube enquanto comenta seus problemas e realizações.

Nesta 3ª feira, dia 29/09/2015, às 19:30, em evento realizado em hotel em Ipanema, a Chapa Azul contou com a prestativa ajuda de associados ligados aos grupos SóFLA e FAT, que apresentaram o Plano de Governo realizado em conjunto com o Conselho Diretor. O evento contou com a presença dos dirigentes Eduardo Bandeira de Mello (atual e candidato a presidente), Mauricio Gomes de Mattos (ex-presidente do Conselho de Administração, candidato a vice-presidente geral), Alexandre Wrobel (VP de Patrimônio), Rafael Strauch (Ex-VP Fla-Gávea, atual VP de Administração), Antonio Tabet (VP de Comunicação) e Pedro Iootty (VP de Secretaria).

Pedro Iootty (esquerda) e Alexandre Wrobel (direita)

Pedro Iootty (esquerda) e Alexandre Wrobel (direita)

Sala cheia, muitas pessoas reunidas, algumas, como pude verificar, eleitoras de chapas diferentes da azul em 2012. Enfim, associados que querem conhecer o Plano de Governo da Chapa Azul. Mesmo que não votem nela, estão no direito de saber o que pensam e o que querem. O Plano de Governo (PdG) da Chapa tem que buscar atender a expectativa dos associados quanto a evolução do Flamengo em termos administrativos e esportivos.

E o Plano a mim, atendeu. Com ênfase no profissionalismo implementado na gestão, com a contratação de diretores executivos e CEO de primeira linha, a Chapa Azul já começou defendendo que no futuro o profissionalismo seja, inclusive, institucionalizado, ou seja, colocado no estatuto do Flamengo como obrigatório. Foi o profissionalismo instalado no sistema financeiro, patrimônio, Esportes Olímpicos, Marketing, Jurídico, etc que permitiu o grande avanço financeiro e administrativo do Flamengo, que monta o alicerce para o contínuo avanço no futuro, com receitas gerando sobras de caixa, e processos que possam extrair o máximo das informações existentes e alavancar resultados atingindo maiores metas.

Quanto as pendências financeiras ainda existentes foi informado que as penhoras devem diminuir. À partir de 2017/18 o passado passará a doer menos no bolso. Com o excelente trabalho realizado por Eduardo Bandeira em relação a aplicação do Profut, o Flamengo deve sentir a melhora ainda este ano, garantindo que parte desta receita seja aplicada em obras no CT.


Foram traçados três diferentes cenários para o triênio, um ruim, um médio e um bom, com faturamentos esperados para cada um deles e linha de ação a serem desenvolvidas. Para se proteger dos solavancos que este país dá, com um governo inepto, é preciso saber se equilibrar e ter planos diversos para diferentes cenários. Porém em todos eles, mesmo no pior caso, o Flamengo teria saldo positivo.

Existem as penhoras que o Flamengo sofre dos chamados Atos Trabalhistas, para garantir o pagamento de processos judiciais trabalhistas sofridos. Flamengo já não tem novos passivos trabalhistas entrando. Mas deve continuar tendo penhora ou ao menos a reduzindo, para se defender do problema causado pelo atrapalhado contrato feito com Ronaldinho na gestão anterior junto com seu conturbado afastamento, que gerou um processo trabalhista milionário ao Flamengo, que está sendo questionado na Justiça.

Flamengo ainda tem que que contrair empréstimos para dar conta de suas obrigações. Mas a idéia é que a partir de 2016 já deve ter caixa livre para disponibilidade de caixa. O que demonstra que o Flamengo sai de uma situação de quase insolvência em 2013 para uma possível situação de ter caixa para investimentos necessários em 2016. Espetacular não? É de parabenizar o trabalho do Tostes na condução deste processo, junto com demais membros do Conselho Diretor, até sua saída alguns meses atrás. Mas o Flamengo pode ter folga de caixa. E isto é inédito. Tem que realizar direito, adequar os investimentos em áreas que retornem “lucro” social e de serviços prestados. E para isto precisa saber o que quer, elencar métricas, capacitar os funcionários. E tudo isto está sendo elaborado e mesmo realizado em termos de treinamento.

Hoje a dívida do Flamengo é de 540 milhões, o balanço de pagamentos mesmo gerando saldo de caixa, precisa também reduzir este montante.

A evolução contábil e administrativa permitiu que o Flamengo não tenha mais ressalvas em seus balanços, como era bastante comum nas gestões anteriores, contudo, devido a limitação de seu sistema de informação, ainda não pode ser auditado pelas empresas de mais renome no mercado. Está no Plano de Governo readequar a TI do Flamengo em um Plano Diretor de Tecnologia da Informação.

O Jurídico foi bastante elogiado. O VP Jurídico Flavio Willeman junto com o Diretor Jurídico Bernardo Accioly, e os demais advogados a serviço do Flamengo, conseguiram reduzir de 500 para 80 processos que o Flamengo está sofrendo na Justiça. Um trabalho de alta qualidade que permitiu o sucesso da gestão administrativo/financeira, pois diminuiu por demais um possível prejuízo.

O interessante desta apresentação é que além de contar o que pretendiam, como discurso de SITUAÇÃO, também defendiam o GOVERNO atual. Suas ações e resultados atingidos. O associado para votar, o torcedor para apoiar e acreditar na gestão, precisa ter a confiança que foi realizado um bem ao clube, com o esforço de dirigentes voluntários e profissionais contratados. E nisso uma apresentação da chapa de governo precisa mostrar o que fez com o tempo que esteve no poder. Natural.

Depois Antonio Tabet falou de seu curto trabalho enquanto VP de Comunicação, que já fez algumas mudanças em relação às mídias sociais e que sua ambição é proporcionar ao Flamengo um canal de vídeo de primeira grandeza. Já conversou com o Facebook, que irá oferecer uma consultoria ao Flamengo de melhor aproveitamento da ferramenta. É um sujeito antenado com a mídia vigente. Da imagem rápida e bem produzida, do profissionalismo nas produções. Antonio Tabet certamente é um excelente nome para um salto explosivo na comunicação do Flamengo.

Na ausência do VP José Sabino, Tabet também falou do marketing. O Flamengo espera montar um departamento cada vez melhor com os recursos que estarão disponíveis, fazendo este investimento dar maior retorno financeiro com melhor especialização. A ideia é que o Flamengo chegue ao “estado da arte” neste departamento. Como 2016 será ano olímpico, a visibilidade do Flamengo será maior ainda por ser o clube mais popular do Brasil. Muitos turistas virão e, claro, irão querer adquirir produtos ligados ao clube. E este fator já é observado pelos anunciantes. Os patrocinadores atuais já estão sondando sobre a renovação dos patrocínios. O Flamengo também espera melhorar o relacionamento com as Embaixadas Rubro Negras.

Rafael Strauch falou sobre o Fla-Gávea, sua pasta anterior. Que ainda é bastante deficitária em relação a outras “unidades de negócio” (Esportes Olímpicos e Futebol). Porém os planos para o Fla-Gávea passam por buscar sua sustentabilidade financeira. Agora mesmo eventos como “Morar Mais” ocupam espaço no Flamengo. O objetivo é proporcionar que o Fla-Gávea gere mais renda através da ocupação, reforma ou construção de novos espaços. Se o Fla-Gávea “se paga” não precisa de tirar recursos do futebol, por exemplo, permitindo mais investimentos em elenco, equipagem, profissionais, CT, etc.

Quanto aos Esportes Olímpicos, que atingiu o modelo auto-sustentável, o objetivo é manter a mesma filosofia. Os Esportes Olímpicos devem se pagar. E através do “arrocho financeiro” do clube que permitiu a obtenção de CND´s, o Flamengo conseguiu, através de recursos incentivados, a construção de academias, aquisição de modernos equipamentos, reformas de ginásios, sala de judô, etc transformando o Flamengo em um clube de bom nível olímpico. A ponto de, apesar de em 2013 ter que afastar diversos atletas pelos graves problemas financeiros, hoje em 2015 já tem mais atletas do que quando esta gestão chegou no clube. Além disso, Flamengo readequou as escolinhas. Antes tinham até professores particulares que nada repassavam ao clube. Agora não, tudo foi organizado e o número de alunos nas escolinhas explodiu. Passou de 2700 para 4000. A ponto de hoje ter fila de espera grande para algumas modalidades.

Pedro Iootty, VP de Secretaria, fez sua apresentação falando um pouco das melhorias alcançadas, principalmente a necessária unificação das diversas secretarias. Antes para alguém quiser se associar para fazer aula de tênis tinha que fazer uma intensa peregrinação pelo clube para saber da viabilidade da aula, se tinha vaga, voltar a secretaria original para se associar, depois voltar a secretaria que lidava com escolinha para se inscrever em turma, etc. Hoje não, em uma só secretaria se associa e se inscreve na escolinha, por exemplo. Pedro salientou a importância de buscar uma capacitação cada vez maior destes prestimosos funcionários de atendimento, inclusive salientando que muitos estrangeiros estão vindo para o clube e é preciso atendê-los bem.

EBM então discursou sobre a importância de contar com executivos de primeira linha. Ele é o único dirigente amador desta gestão com dedicação exclusiva, pois está aposentado do BNDES. EBM mencionou: “Precisamos é tomar conta dos executivos, não precisamos trabalhar.” Com isto sacramentando o modelo de Conselho de Administração vigente, dentro do prometido pela Chapa Azul. Executivos tocando o dia a dia, monitorados e acompanhados em resultados por dirigentes amadores de alta capacidade. O trabalho é buscar ter orçamento com os objetivos e metas traçadas para cada ação, elaborar um Plano de Investimentos para o triênio, garantindo que o Flamengo seja um clube cidadão.

Logo Alexandre Wrobel, VP de Patrimônio, ressaltou que o CT do Flamengo está muito aquém hoje do que o Flamengo precisa e merece. Porém diversas realizações foram feitas, na base remontaram toda a estrutura, construindo alojamentos e uma cozinha industrial, garantindo ao Flamengo o certificado de clube formador. Quanto ao Módulo Profissional, Wrobel informou que com o Profut, mais outros recursos a serem conseguidos e “carimbados” para o CT, conseguiria terminar o módulo ainda em 2016(!).  Ou seja, teríamos o Flamengo em 2017/18, com mais dinheiro e CT profissional de qualidade para perfomance e recuperação dos atletas (piscinas, alojamentos, por exemplo, estão inclusos).

Falando da Arena Multiuso garantiu que, uma vez aprovada, a obra duraria 12 meses para ser finalizada. Uma arena de primeira linha, nível NBA, embora de menor porte, de 3653 lugares sentados. O naming rights é do Flamengo, assim como as receitas da bilheteria. O Mac Donald´s exploraria a alimentação do estádio e teria disponível alguns dias para seus próprios eventos. Bem, esta empresa que pagaria a obra, nada mais justo…

 

Luis Nogueira fala do futebol

Luis Nogueira fala do futebol

E entrou o futebol. Luis Nogueira, associado que faz parte de um Grupo de Trabalho dedicado ao futebol e que ajudou na elaboração do Plano de Governo deste segmento, fez a apresentação, informando como está organizado o futebol atual, quais as responsabilidades do famoso “Comitê de Futebol”, do VP de Futebol e as interações que este tem com o Diretor Executivo, esclarecendo também, suas responsabilidades. Vários presentes fizeram perguntas buscando maior compreensão e um deles alertou sobre ficar de olho com a relação que diretores executivos tem com empresários. No que foi a deixa para EBM falar sobre o Centro de Inteligência, isto é, nenhum jogador é indicado por alguém e é contratado, ele tem que ser analisado e aprovado antes pelos analistas de performance, scouting, etc. Também foi citado o exemplo de Jonas e Guerrero, os jogadores que puderam e foram, efetivamente, contratados. Com mais investimentos outros jogadores poderão ser contratados, diferentemente de hoje que se limita mais a contratar jogadores livres de contrato ou por empréstimo, o que diminui ainda mais a oferta de jogadores. Com mais dinheiro a investir será possível pagar multas, disputar contratações com outros clubes de forma mais soberana, aumentando assim, o leque de ofertas passíveis de serem contratadas pelo Flamengo.

EBM reconheceu também que erraram muito em 2013/14 basicamente por não lidarem com o futebol de maneira “científica”  talvez pelas decisões voluntariosas e contratações sem critérios técnicos bem definidos, que caracterizam o Flamengo, na minha opinião, de 2013 até a saída do Luxemburgo. EBM fez um mea-culpa de sua administração no futebol perante a todos, mas informando que isto mudou. E o que mudou?

– O trabalho nas divisões de base é tocado de forma científica, com análises, estudos e contratações bem criteriosas, o que faz a sub15 hoje, ser melhor que a sub17, que é melhor que a sub20. O trabalho é de longo prazo.
– Inteligência de Mercado. O Flamengo tem o melhor centro de inteligência de mercado do Brasil. Jogadores, de todos os times, em qualquer parte, são categorizados como A, B , C (melhor, bom, OK) para possíveis contratações no futuro. Há um estudo e atualização perene destes dados para rápida contratação pelo Flamengo, se for o caso.
– Centro de Inteligência e performance. Busca tirar do atleta o máximo que ele pode dar. Avaliação física, técnica, performance. A comissão técnica e o próprio atleta recebe uma avaliação de seu jogo, treinamento e com isto pode fazer trabalhos específicos para se aperfeiçoar.

A idéia também é na reordenação do Departamento de Futebol criando novas gerencias para criar uma melhor estrutura que possibilite ao Diretor Executivo uma ênfase maior na tática a ser empregada na estratégia definida ao Departamento. Está previsto também a implementação de um estilo de jogo definido dos profissionais a base, para melhor orientação dos jogadores a serem preparados para o futuro assim como evitar a contratação de treinadores que não coadunam com esta filosofia (deram o exemplo de Celso Roth). Qualquer comissão técnica, ou técnico, a serem contratados terão que ter a capacidade e aceitar trabalhar com o Centro de Inteligência assim como ter metas esportivas a serem alcançadas.

Acabado o futebol, Maurício Gomes de Mattos, que se licenciou do cargo a que foi eleito como Presidente do Conselho de Administração, para ser o VP Geral da Chapa Azul, se apresentou. Membro da FAT, político de primeira linha, sempre atendendo e conversando com todos educadamente. O que mostra que a Chapa Azul, mesmo contendo membros relativamente novos na política do Flamengo, também conta com membros mais experientes, de história na política do clube.  EBM, com a palavra final, agradeceu a todos e espera contar com o apoio dos mesmos nesta eleição.
O meu ele terá.

Mauricio Gomes de Mattos e Eduardo Bandeira

Mauricio Gomes de Mattos e Eduardo Bandeira

PS: O que foi falado, discutido e apresentado transcende e muito o que foi escrito nesta coluna, que é apenas um pequeno resumo do que foi apresentado, certamente diversos importantes aspectos e detalhes ficaram de fora. Aconselho a todos esperarem a divulgação pública do Plano de Governo da própria Chapa Azul ou, aos associados interessados, entrarem em contato com a chapa para participarem destas reuniões.

Comente pelo Twitter @MRN_CRF ou direto na fanpage do MRN no Facebook (clique aqui). Sua opinião faz toda diferença!


Os conceitos emitidos nos textos do Blog Pedrada Rubro Negra são de inteira responsabilidade do autor. Não refletindo, obrigatoriamente, a opinião do mundorubronegro.com. Flávio H. Souza escreve no no MRN Blogs e no Buteco do FlamengoSRN!

 

LEIA MAIS PEDRADA RUBRO NEGRA

ÚLTIMAS DO MUNDO RUBRO NEGRO

Review do Hangout com Wallim Vasconcellos

Dinheiro para o CT: Flamengo aprova emissão de 200 novos títulos de Sócios-Proprietários

Flamengo aprova adequação do Estatuto à Lei Rouanet e pode captar incentivos para projetos culturais

EDITORIAL: OS 5 PRINCÍPIOS DO MUNDO RUBRO NEGRO NAS ELEIÇÕES DO FLAMENGO

Há um ano, o imparável Orgulho da Nação fechava a temporada perfeita

Com ProFut Flamengo vai ter 12Mi a mais em 2016

 

 

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

SIGA A GENTE NO TWITTER