Atqfx_j5YUBZ6lZ8KR0liH9hUqJkdhf1iEShD9Da_E-G

 

Esta semana o Movimento “O Maracanã é Nosso”, composto por torcedores dos grandes clubes do Rio de janeiro, chamou a atenção nas redes sociais e conseguiu a atenção da mídia e, consequentemente, dos políticos do estado.

A primeira manifestação foi o tuitaço ocorrido na terça-feira (23). Foram milhares de mensagens utilizando a hashtag #oMaracaéNosso. Hoje o Movimento tem sua agenda novamente completa de compromissos e é muito importante que você ajude.

Abandono

Fontes ligadas aos políticos informaram ao MRN que alguns políticos já estão incomodados com as críticas nas resdes sociais e estão preocupados com a repercussão negativa em ano eleitoral.

Antes um assunto pouco comentado, o abandono do Maracanã pelo atual consórcio gestor, trazido à tona pelo Movimento, causou comoção entre a população carioca. A construtora Odebrecht lidera o consórcio que administra o Maracanã. Mergulhada em dívidas e em escândalos de corrupção — seu presidente está preso pela Operação Lava-jato desde a metade do ano passado — demitiu 75% do seu quadro de funcionários na primeira semana de janeiro. Desde então o estádio não recebe jogos de futebol e já dá sinais de abandono estrutural. Em março ou abril o antigo “Maior do Mundo” será entregue para o governo estadual para fazer a transição ao Comitê Olímpico Internacional, quando ficará disponível para os Jogos Olímpicos em agosto e Paralímpicos em setembro.

Há a expectativa que, com o fim das Olímpiadas, Governo do Estado e Consórcio S/A cheguem a um acordo e o estádio seja devolvido à administração pública que o repassará novamente para um novo gestor privado. Os clubes, principalmente a dupla Flamengo e Fluminense, pleiteiam o direito de administrar o Maracanã, como foi prometido antes das obras para a Copa (leia: Cabral e a mentira do Maracanã Rubro-Negro).


Talvez o primeiro resultado concreto do Movimento “O Maracanã é Nosso” tenha sido a reportagem do jornal O Globo, que ouviu fontes ligadas ao Governador Luiz Fernando Pezão. Segundo a matéria (clique aqui para ler), o mandatário fluminense pensa em atrair os clubes para a co-gestão do Maracanã.

 

Como ajudar o Movimento “O Maracanã é Nosso” hoje?

No Twitter

Para quem possui conta no microblog. ao meio-dia está marcado um novo tuitaço. Dessa vez a hashtag usada será #oMeuMaraca e os organizadores pedem que as pessoas postem fotos no estádio e que cobrem das autoridades a possibilidade de inclusão dos clubes na provável nova chamada de licitação. Na primeira licitação de consórcio, após o término das obras para a Copa do Mundo, o então governador Sérgio Cabral (@sergiocabralrj) proibiu clubes de administrarem o estádio.

Além da arroba do ex-governador, marque também o atual governador Pezão (@lfpezao) e o prefeito da cidade do Rio de Janeiro Eduardo Paes (@eduardopaes_) nos seus tuítes. Não vamos esquecer a conta @MarcoACabral, que pertence ao filho do Sergio Cabral, alçado ao posto de secretário de esportes (realmente um nome relevante do esporte nacional, não é mesmo?)

 

No Facebook

Curta, compartilhe e convide seus amigos a curtirem a página do Movimento “O Maraca é Nosso”.

—— https://www.facebook.com/MaracaENosso ——

 

No Avaaz

Assine a petição para que os clubes possam participar da gestão do Maracanã!

>>> ABAIXO ASSINADO

 

E-mail

Se você pode ajudar de alguma forma entre em contato pelo email:[email protected]

 

MRN busca entrevistas com políticos cariocas

O site mundorubronegro.com sempre em busca de ser a voz dos torcedores do Flamengo na internet busca contato com políticos cariocas para fazer entrevistas relacionadas ao Maracanã.

O Movimento “O Maracanã é Nosso” não se restringe a manifestações pontuais nas redes sociais e vai continuar até que os clubes consigam exercer o direito de se tornarem protagonistas também fora das quatro linhas.

 


 

Com tuitaço, torcedores se organizam para cobrar políticos sobre abandono do Maracanã