Por anos ficamos imaginando quando um cara “de fechar o aeroporto” chegaria ao Flamengo. Daqueles que mobilizam gente de todos os cantos e faz a torcida transformar qualquer lugar do Rio de Janeiro em um pequeno Maracanã. Muitos vieram, muitos foram especulados, outros foram desejados. Porém esse cara demorava tempo demais para chegar.

Foi preciso um diálogo longo, uma história com obstáculos e muita insistência e negociação, mas enfim a Nação teve o que desejou por muito tempo. O cara que fez a cidade se colorir de vermelho e preto viu com os olhos brilhando a imensidão flamenguista saudá-lo em sua forma particular de dizer bem-vindo. Diego chegou e como ele mesmo disse, escolheu ser feliz.

Durante o dia muitos questionaram se acreditávamos no discurso apaixonado do jogador. Se a festa toda por ele valia a pena. Depois de cada demostração de carinho tanto de Diego quanto da Nação, digo que sim, vale muito. Diego quis o Flamengo na mesma proporção que o clube o quis. Após receber tantas declarações, ele se declarou, bateu no peito e disse “quero ser feliz e deixar cada um de vocês da mesma forma“.

A torcida fez uma festa que já se preparava há anos. A Nação ansiava por um jogador que fizesse tudo isso acontecer. Diego veio na hora certa e emocionado, só agradeceu e prometeu que retribuirá em campo. “Quero agradecer por tudo que a Nação tem me proporcionado em poucas horas. Hoje foi um dia especial que jamais vou esquecer. Dessa recepção, dessa confiança. No dia a dia vou me esforçar ao máximo para retribuir esse carinho. Agradeço a todos do Flamengo pelo esforço e profissionalismo, aos meus familiares que sempre estiveram ao meu lado. Hoje se concretiza um sonho em minha vida e vou vivê-lo intensamente“, disse o jogador na coletiva de apresentação.

Em um auditório lotado de rubro-negros e recepcionado por tantos outros na porta do clube, Diego disse que quer ganhar tudo e que se entregará 100% para conquistar o que o Flamengo merece. “Do que eu assisti do Flamengo, que foi possível, conversa com amigos que jogam aqui, vídeos, sei que temos uma equipe bem estruturada, um treinador seguro. A possibilidade de fazer uma grande temporada é muito grande e vim aqui para isso. Se tratando de Flamengo não tem outra opção, só dá para pensar em vencer. Chego para isso, para somar e ajudar, estamos no caminho certo“, disse.

O Flamengo tentou trazê-lo antes e Diego também quis mas a negociação sempre acabava travando. Agora usando oficialmente a 35 rubro-negra, o meia, assim como a Nação, não vê a hora de entrar em campo: “Estou ansioso para jogar, mas agora também tenho que lutar contra o emocional para a empolgação não passar por cima da razão. Estou há dois meses sem jogar. Me cuidei, estou bem fisicamente, mas o ritmo de jogo e os treinamentos com bola são insubstituíveis. Encaro esse desafio como um recomeço e vejo esse projeto como um garoto de 16 anos, que foi a idade que eu tinha quando cheguei ao profissional. Fisicamente me sinto muito bem, mas o que é fundamental para o jogador é o ritmo de jogo.  Ninguém consegue dizer agora em quanto tempo estarei pronto para minha estreia. Não vejo a hora de vestir a camisa mas tenho que estar 100% preparado para isso“.

Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

Diego mereceu e fará de tudo para continuar merecendo cada expressão de carinho que recebeu nos últimos dias, seja pessoalmente ou pela internet. O jogador mostrou diversas vezes que quer muito viver Flamengo, se jogou no meio da Nação e fez questão de se declarar ao clube quando afirmou: “Hoje se concretiza um sonho em minha vida“. Que também seja a realização dos sonhos dos torcedores.