Depois da derrota desta quarta-feira (22), alguns jogadores e o treinador Muricy Ramalho falaram com a imprensa.


Paulo Victor, um dos destaques do jogo graças às grandes defesas, falou sobre a eliminação: “Faltou criar mais. Infelizmente sentimos o desgaste hoje, mas isso não pode servir de desculpa. Aconteceu. Nem sempre é como queremos”. Apesar do resultado, o goleiro não foi o único que fez diferença em campo. O zagueiro Juan também atuou bem e falou sobre a pressão após a derrota: “Pressão sempre vamos ter, afinal jogamos no Flamengo. Temos que continuar trabalhando. Estamos eliminados da Primeira Liga, mas ainda tem o Carioca e o Brasileiro… O ano é longo”.

“Fico chateado porque faltavam dois jogos para o título. Um jogo difícil, contra um time jovem, que joga no contra-ataque. O gol saiu num chute belíssimo e depois o jogo ficou aberto como eles gostam. A gente teve chances, mas infelizmente não conseguimos ganhar. A gente não teve a bola como de costume. Fica até chato falar a mesma coisa, mas as pernas estão pesando um pouco. Nos últimos três jogos não estamos tendo a tranquilidade nem o brilhantismo para completar a jogada, a melhor opção. Mas vamos trabalhar, ainda tem muito pela frente” – Juan

Márcio Araújo, um destaques negativos da partida, falou na saída do gramado e aliviou a eliminação: “O Atlético-PR fez o gol em uma bola chutada de fora da área. Não produzimos o que esperávamos, principalmente com as bolas laterais, que são um ponto forte nosso. Fica uma lição. A gente estava reclamando do cansaço, agora teremos uma competição a menos para aproveitar e descansar”.

Muricy também avaliou a derrota: “No primeiro tempo não foi tão mal, até pela falta de entrosamento. Tivemos chances. No segundo tempo pecamos um pouco, demos muita distância para o Atlético. Tínhamos que fazer esse rodízio. Vai ser assim o ano todo, chegamos numa fase com várias contusões. O resultado desse último exame que fizemos mostrou alto risco de lesões, nós conversamos e resolvemos mudar para um time que fisicamente pudesse aguentar o jogo. Aguentaram bem, mas é isso, é bom para observar. O ano vai precisar de um plantel, com certeza”.

Sobre escolher utilizar grade parte do time reserva, Muricy não achou errado: “Tem que fazer o correto. Não pode pôr um time sem capacidade física para aguentar. Coloquei o time como deveria, tenho que respeitar o atleta. Infelizmente estamos sem treinar, só jogando. Sábado vão parar alguns. O jogador tem que estar pronto para jogar. Vai ter rodízio, não importa o momento”.

Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

Perguntado sobre a falta de gols do time, o treinador tentou ver por outro lado: “O problema é quando você não tem oportunidades. O time cria bastante, hoje voltou a criar. Joga muito aberto, porque é o estilo do Flamengo. Claro que falta o último detalhe, mas é certeza que, você criando tanto, a bola vai começar a entrar e você volta a fazer gol”.


O esquema utilizado por Muricy tem incomodado uma parte dos torcedores, mas ele afirma que esse é o ideal para o time completo: “Pode mudar em algum jogo ou outro. Se todos estiverem aptos, vamos jogar dessa maneira. É a característica do nosso time, que tem jogadores rápidos de lado do campo”.

“Os jogadores estão saturados, querem treinar e descansar. Mas a competição é importante, enfrentamos times fortes e de primeira divisão. É bom para não se iludir”. – Muricy.

Seja um #ApoiadorMRN! Ajude contribuindo com R$ 5, R$ 10 ou R$ 20 mensais e participe do nosso grupo exclusivo de WhatsApp e muito mais. Esta é a forma que nós temos de manter e planejar o nosso projeto como um todo. Se você possui um negócio ou serviço que precisa ser divulgado, temos planos de apoio a partir de R$ 50 mensais com publicidade no nosso site e redes sociais. Clique aqui e vire um #ApoiadorMRN: bit.ly/ApoiadorMRN
Participe da campanha especial de arrecadação para viabilizar a produção e edição de conteúdo no canal do MRN no YouTube. Doe qualquer quantia de forma rápida e segura!