Banner Fla em foco v3O jogo Flamengo x Palmeira foi excelente e nem tanto pelo placar de 5 x 1, mas pelo que foi produzido em campo pelo time coletivamente e por alguns jogadores. E, a prova de que placar engana, foi o horrível 3 x 1 que Flamengo fez no União Mogi.

Zé Ricardo, ciente da maratona de jogos e do desgaste dos jogadores, colocou em campo um time praticamente reserva: João Lopes- Kleber, Léo Duarte, Lincoln, Arthur – Ronaldo – Alan, Henrique, Trindade, Patrick – Antônio

Logo de cara víamos que a organização impactante do último jogo não existia. Os jogadores se movimentavam muito, porém não mantinham as posições como deveriam e formavam crateras no campo, especialmente no meio onde Henrique e Trindade deveriam fazer a transição, se apresentar para organizar o jogo, mas nunca estavam, restando a Ronaldo organizar e construir tudo sozinho até a intermediária.

Aliás, para quem achou Paquetá e Sávio discretos na terça, esse jogo mostrou a função importantíssima que faziam e como ao fazê-la bem, davam meios para Ronaldo se movimentar por espaços desmarcados ou organizar o jogo com mais velocidade. Hoje, inclusive, apesar de Ronaldo ter ido bem errou muitos passes longos, mas não por que esqueceu de como bater na bola, mas porque os companheiros não estavam onde deveriam estar ao contrário do que ocorreu na terça.

Individualmente, gostei de Patrick e Lincoln. O zagueiro é mais consistente que Denner, que falha demais durante os jogos. Já Patrick, que está vindo do sub-17, tem bastante técnica, habilidade, falta um pouco de experiência, mas isso só se conquista jogando, por isso ao menos para mim já deveria ser titular no lugar de Cafu.


No entanto, nem mesmo todos os problemas acima citados afastaram o Flamengo da vitória. O frágil União Mogi que perdera de 4 x 0 pro Palmeira e 6 x 1 pro Red Bull, tomou um gol em 25 segundos no chutaço da entrada da área de Arthur, que não fez mais nada de interessante o resto do jogo e cometeu uma falha que permitiu o empate pouco mais de um minuto depois.

O Flamengo manteve-se com a posse da bola, chegando fácil ao ataque, porém com dificuldade de levar perigo, sem ter uma boa criação, dependia de cruzamentos na linha de fundo e chutes de fora da área, não havia tabelas ou triangulações. Assim, Patrick acertou um belo chute de longe ao ver o goleiro adiantado e, nos acréscimos, Thiago Ennes que entrara no finzinho fez o 3° ao aparecer na área para receber o cruzamento e cabecear pro gol.

A vitória garantiu o Flamengo em 1° no grupo com 100% de aproveitamento, mostrou que o time titular é forte e há alguns bons jogadores fazendo o time render de modo consistente, porém evidencia que não temos bons substitutos para todas as posições, especialmente para os meias Sávio e Paquetá e para o centroavante Felipe Vizeu, pois Antônio além de não conseguir fazer bem o pivô, demonstrou não ter calma para finalizar ao desperdiçar boas chances durante todo o jogo.

Saudações Rubro-Negras